Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Grana alta! Startups latinas deverão receber US$ 20 bilhões em 2021

Startups do Brasil estão entre as que mais angariaram recursos. Não à toa, o número de empresas brasileiras iniciantes avaliadas em mais de U$ 1 bilhão


24/09/2021 04:00 - atualizado 24/09/2021 08:04

Eventos de inovação estão associados a empresas nascentes, que atraem interesse dos investidores de todo o mundo
Eventos de inovação estão associados a empresas nascentes, que atraem interesse dos investidores de todo o mundo (foto: Justin Sullivan/Getty Images/AFP - 4/10/19)
As startups da América Latina estão no radar dos grandes investidores internacionais. De acordo com um novo levantamento realizado pela consultoria Atlantico, as empresas iniciantes do continente deverão receber US$ 20 bilhões em aportes em 2021.

É o triplo do montante que foi captado em 2020. O número de empresas investidas também tende a ser recorde: ao menos 800, quase 300 a mais do que no ano passado. Conforme o relatório da Atlantico, as startups do Brasil estão entre as que mais angariaram recursos.

Não à toa, o número de empresas brasileiras iniciantes avaliadas em mais de U$ 1 bilhão – os famosos unicórnios – chega a 19, mais do que em qualquer outro país latino. Isso é ótimo.

Startups estão quase sempre associadas a inovação e, por isso mesmo, são fundamentais para tornar o ambiente de negócios mais saudável. Não à toa, Estados Unidos e China são campeões mundiais tanto em quantidade de startups quanto de unicórnios.

''A mistura de crise política com crise econômica afeta as expectativas, o que sugere postergar qualquer decisão mais significativa de investimentos para quando a sucessão presidencial ficar mais clara''

José Roberto Mendonça de Barros, economista e sócio-fundador da consultoria MB Associados


Volks amplia investimentos em veículos elétricos


A Volkswagen está decidida a se tornar a maior fabricante de veículos elétricos até 2025. Para isso, a montadora alemã vai realizar uma série de investimentos. O mais recente é uma nova planta de baterias na China, que receberá 140 milhões de euros. No total, o Grupo Volks planeja desembolsar, nos próximos anos, impressionantes 73 bilhões de euros no desenvolvimento de novas tecnologias elétricas e híbridas. Por enquanto, a americana Tesla segue como líder do setor. Por enquanto.

None
(foto: Nelson Almeida/AFP %u2013 15/6/21)

Bolsa respira, mas desafios permanecem

O sofrimento de 2021 está longe de acabar, mas a Bolsa brasileira ao menos conseguiu engatar uma breve recuperação. Ontem, pelo terceiro dia consecutivo, o Ibovespa fechou em alta, o que foi resultado sobretudo do maior otimismo no cenário internacional e da redução dos riscos relacionados à incorporadora chinesa Evergrande, que parece mais próximo de um acordo com os seus credores. Segundo analistas, porém, o breve refresco não é um indicativo que o cenário virou. Novos desafios vêm por aí.

None
(foto: Reprodução da Internet %u2013 28/2/19 )

Quer fortalecer a memória? Mire-se em Buffet

Warren Buffet, um dos investidores de melhor desempenho da história, diz que prefere ler relatórios impressos – na verdade, imensos calhamaços – em vez de usar computador. Ele está certo. A Universidade da Califórnia realizou um estudo que compara como o cérebro absorve informações no papel e através das ferramentas digitais. O resultado é taxativo: o cérebro memoriza melhor os textos impressos. Buffet é um prodígio de memória, capaz de relembrar investimentos de décadas atrás.

Rapidinhas

  • O crescimento do mercado de criptomoedas tem impulsionado os negócios das corretoras especializadas no ramo. A americana FTX, uma das maiores do mundo, triplicou suas receitas desde o início da pandemia. Nesta semana, a empresa anunciou que patrocinará a equipe Mercedes de Fórmula 1.

  • E por falar em criptomoedas: um empresário paulista, dono de restaurantes e postos de combustível, adotou uma estratégia inusitada para honrar seus compromissos durante a pandemia.  “No início da crise, vendi dois carros e investi o dinheiro em moedas virtuais”, diz. “Com o lucro na operação, consegui pagar os salários dos funcionários.”

  • A estratégia pode até ter funcionado, mas os especialistas alertam para o perigo de operações desse tipo. As moedas virtuais continuam a ser os investimentos mais arriscados do mercado. Elas podem até subir muito, mas estão sujeitas a despencar na mesma medida – o sobe e desce do Bitcoin é exemplo concreto disso.

  • A Kraft Heinz, dona das marcas Heinz e Quero no Brasil, assinou acordo para comprar a Hemmer, empresa nacional que produz molhos, condimentos e conservas. Segundo a Kraft, a ideia é aumentar a presença em mercados emergentes. A transação, cujo valor não foi divulgado, está sujeita à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

  • US$ 10,7 bilhõesé o valor da fortuna pessoal de Hui Ka Yan, fundador e dono da Evergrande, empresa chinesa do ramo imobiliário que ameaça dar calote bilionário e arrastar mercados do mundo inteiro.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade