Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Aéreas de baixo custo decolam no Brasil

Isso é bom para o consumidor: a concorrência acirrada deve levar à redução de preços


postado em 04/07/2019 04:00


 


(foto: Flybondi/Divulgação)
(foto: Flybondi/Divulgação)


O Brasil é o principal alvo das empresas aéreas de baixo custo (low cost). Depois da chilena Sky Airline e da norueguesa Norwegian, a argentina Flybondi foi autorizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a operar no país. Há outros pedidos de aéreas estrangeiras aguardando a liberação da Anac. Isso é bom para o consumidor: a concorrência acirrada deve levar à redução de preços. No primeiro trimestre, o valor médio da passagem aérea em voos domésticos brasileiros caiu 1,3%, mas especialistas acham que a queda pode ser maior até o fim do ano. A Flybondi vai operar voos entre Buenos Aires e Rio de Janeiro. Com a chegada da nova rota, a capital fluminense se consolida como o destino de referência para os passageiros low cost. A Flybondi se junta às outras aéreas de baixo custo que já operam no Aeroporto Tom Jobim. A Norwegian oferece a rota Rio-Londres, enquanto a chilena Sky conecta o Rio a Santiago (Chile).


Grupo alemão amplia negócios no país
A Staedtler, fabricante de lápis alemã com 
quase 200 anos de existência, vai aumentar 
seus investimentos no Brasil e na América Latina. A companhia está inaugurando uma subsidiária em São Paulo – até então, os negócios eram feitos apenas por meio de uma distribuidora – 
e recentemente inaugurou a maior fábrica 
de materiais escolares e de escritórios do Peru. 
As operações próprias têm sido capitaneadas 
pelo CEO global, Axel Marx.



Sergipe quer atrair investimentos da Braskem
O governo de Sergipe promove hoje e 
amanhã um evento para atrair investidores 
para o estado, que acabou de descobrir gigantescas reservas de gás natural. 
Sergipe tenta seduzir a petroquímica 
Braskem, que sofre pressões no vizinho 
estado alagoano depois de um contestado
 laudo da Companhia de Pesquisa de 
Recursos Minerais (CPRM) apontar a petroquímica como causadora de rachaduras em um bairro de Maceió. 
Uma equipe da Braskem estará no evento para avaliar oportunidades de investimentos.


Nubank contrata ex-presidente da Petrobras
(foto: Wilton Júnior/Estadão Conteúdo)
(foto: Wilton Júnior/Estadão Conteúdo)
 
Uma das maiores fintechs do Brasil, o Nubank continua jogando pesado para se firmar como uma das grandes instituições financeiras do país. Ontem, a empresa confirmou o ex-presidente da Petrobras Ivan Monteiro (d) como seu novo consultor financeiro. Ele também fará parte do comitê de riscos da instituição, mas como membro independente. Monteiro comandou a estatal de junho a dezembro de 2018, durante o governo Michel Temer.





"Uma queda da Selic de 6,5% para 5,5% não faria cócegas no PIB. O que vai causar impacto na economia é uma queda do spread, e é isso que precisa ser discutido”
(foto: Instituto Milennium/Reprodução)
(foto: Instituto Milennium/Reprodução)
 
. Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados


RAPIDINHAS

» A dinamarquesa Vestas, uma das maiores fabricantes de turbinas eólicas do mundo, recebeu um pedido de 197MW para o parque eólico Folha Larga II, em Campo Formoso (Bahia). O pedido inclui o fornecimento e a instalação de 47 turbinas eólicas e um contrato de serviço para a manutenção do parque nos próximos 20 anos.

» A internet das coisas (IoT) será a principal indutora da transformação dos negócios nos próximos três anos. É isso o que diz uma pesquisa da KPMG, que consultou 740 líderes da indústria de tecnologia. Segundo o estudo, a robótica proporcionará maior ganho de eficiência que, bem aplicado, resultará em lucros adicionais para as empresas.

» Uma pesquisa realizada pela Sage, empresa de software de gestão na nuvem, apontou as incertezas políticas como o principal entrave para as companhias ampliarem investimentos no exterior. O estudo confirma uma percepção generalizada: governos instáveis podem afetar os negócios. O item foi citado por 41% dos respondentes.

» A mão pesada do Estado continua atacando as empresas de mobilidade. Ontem, a Prefeitura do Rio publicou um decreto que determina a idade mínima de 18 anos para o uso de patinetes elétricos. No primeiro mês, a regra será adotada em caráter experimental. Depois, os “infratores” serão punidos com multa.



R$ 300 milhões
foi quanto a Mastercard e a Zurich investiram no banQi, o banco digital da Via Varejo. A ideia é usar os recursos para oferecer novas soluções financeiras 


Publicidade