20°/ 35°
Belo Horizonte,
20/OUT/2014
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Tomate está mais caro que carne suína em BH Gastos com o fruto chegaram a dobrar nos últimos 30 dias no varejo, superando as despesas com cortes de frango e porco. Alta reflete efeitos do tempo frio nas lavouras, que reduziu oferta

Paulo Henrique Lobato -

Publicação: 20/07/2012 06:00 Atualização: 20/07/2012 08:31

As cotações altas dos fornecedores só devem recuar ao longo de agosto (LEANDRO COURI/EM;DA PRESS)
As cotações altas dos fornecedores só devem recuar ao longo de agosto

Gerente de um sacolão no Bairro Sagrada Família, Jeferson José Pinto lamenta ter que vender o quilo do tomate Santa Cruz a R$ 5,99, valor idêntico ao do frango oferecido no estabelecimento e superior ao preço de alguns cortes suínos num açougue da vizinhança tradicional da Zona Leste de Belo Horizonte. O quilo do lombo, por exemplo, era encontrado, ontem, a R$ 4,98 e o do pernil, a R$ 5,89. “O preço do tomate dobrou em aproximadamente um mês. Antes, vendíamos o quilo a R$ 2,99”, comparou o comerciante, que fez questão de colocar um pequeno aviso na banca de hortifrutis para esclarecer aos consumidores que a disparada não é culpa do estabelecimento: “Prezados clientes, pedimos desculpas, pois o tomate encontra-se na entressafra. Por isso, o motivo da alta”, diz o cartaz.

Há, porém, outras justificativas. “A entressafra do tomate vai até junho. Mas a situação, neste ano, está pior, devido às chuvas e às temperaturas mais baixas em São Paulo e na Região Sul do Brasil, levando parte da produção de Minas Gerais para aqueles mercados. Com isso, houve redução da oferta no estado”, explicou Ricardo Martins, analista da seção de Informações de Mercado da Ceasa Minas, entreposto de Contagem, na Grande Belo Horizonte, onde a maioria dos sacolões da capital compra o alimento para revender à população.

O especialista acredita que o preço só voltará ao curso normal em agosto. Até lá, a dona-de-casa que não abre mão de uma salada continuará desembolsando mais pelo produto. Nem os sacolões especializados no atendimento ao público de menor poder aquisitivo, como os da rede Abastecer, escaparam do preço salgado do alimento. Numa unidade da Avenida Silviano Brandão, por exemplo, o quilo do tomate longa vida, um dos mais consumidos no país, encareceu de R$ 2,49 para R$ 3,99 – 60% a mais.

“Está mais caro do que o qu lo da uva rubi e o da itália, que estamos vendendo a R$ 2,99”, ressaltou o gerente do sacolão, Márcio Silva. Segundo ele, o preço da embalagem com 20 quilos de tomate disparou na Ceasa nas últimas semanas. Cada caixa foi negociada, ontem, a R$ 65. Em março, quando a oferta era maior do que a demanda, a caixa chegou a ser vendida a R$ 10.

“Esse preço, contudo, é desvantajoso, aliás terrível, para o produtor. O justo, tanto para o agricultor quanto para o consumidor, estaria entre R$ 25 e R$ 30”, estima o analista de Informações de Mercado da Ceasa Minas. O consumidor só deverá um recuo de preços ao longo de agosto

Enquanto o preço do principal ingrediente da salada estiver nas alturas, o professor Donizete Queiroz pretende reduzir a compra habitual: “Sempre levo de dois a três quilos. Vou passar a comprar meio quilo. O valor está muito alto. Paguei, na última vez que vim aqui, pouco mais de R$ 2 pelo quilo. Agora está R$ 3,99”, disse Donizete, enquanto escolhida alguns frutos num sacolão do Sagrada Família. Perto dele, a cabeleireira Nilza Freitas Borges, de 65 anos, também se assustou com o preço do alimento: “Nossa! O valor subiu muito. Está parecido com o de carne”.

Por coincidência, do outro lado da rua, o açougue Mister Boi propagandeia o preço de meia peça do lombo suíno a R$ 4,98. No mesmo estabelecimento, a peça inteira do pernil de porco sai a R$ 5,89. Para muitos, como o comerciante Jeferson, gerente do sacolão que fixou o alerta sobre a disparada do preço do tomate, a vantagem é levar para casa o quilo de carne: “Como o preço do tomate está nas alturas, prefiro um frango assado”.

Pesquisa vê diferença de 198%

Apesar da alta mais suave, frente à explosão dos preços do tomate, a elevação dos preços dos produtos vendidos nas padarias de Belo Horizonte também afetou o bolso do consumidor. Entre junho e julho, segundo pesquisa divulgada pelo Procon Assembléia, as mercadorias negociadas nesses estabelecimentos tive reajuste de 0,38%, em média.

O pão francês encareceu menos (0,23%), mas outros itens foram reajustados acima da média. É o caso dos preços do quilo do pão doce (3,77%), do pão de forma Wickbold Tradicional (3,07%) e do litro do leite tipo C de saquinho da marca Precioso (2,27%).

A pesquisa também comparou os preços de um mesmo produto nas padarias da capital. Nessa base de comparação, o campeão do ranking foi o pão sovado. A variação do valor do quilo do alimento foi de 198,33%, entre o menor e o maior preços encontrados, de R$ 6 e R$ 17,90, respectivamente. A disparidade dos preços do pão doce também foi gritante, de 136,86%, entre as cotações de R$ 7 e R$ 16,58.

Por outro lado, alguns itens mostraram queda no preço no período analisado. Os destaques ficaram por conta do quilo do presunto de peru da marca Sadia, do requeijão light Cotochés (200 gramas) e do litro do leite tipo C vitaminado da Itambé, cujos preços caíram 4,92%, 3,08% e 2,17%, respectivamente. Vale ressaltar que alguns produtos podem ter preços bem diferentes em razão de fatores, como o prazo mais curto de validade. A pesquisa completa pode ser conferida no site www.almg.gov.br. (PHL)
 

 

 

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: jose sousa
SE TODOS PLANTASSE UM PEZINHO DO TOMATE EN SUA CASA ESTE PREÇO COM SERTEZA NAO EXISTIRIA AI K EU KERIA VE............. | Denuncie |

Autor: Jarbas Otaviano
Uai, no destaque da chamada "CONSTRUÇÃO" É, parece que estão temperando as massas !!! | Denuncie |

Autor: Jarbas Otaviano
Uai, no destaque da chamada "TOMATE". Então, estão misturando as 'massas' É, isso é Estaminas !!! /20jul;11:53h/ | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.