Publicidade

Estado de Minas VÍTIMA DO PROCONVE L7

Renault Sandero R.S. 2.0 ganha kit R.S. Finale e deixa de ser produzido

Equipado com motor que não cumpre a legislação de emissão de poluentes, versão esportiva do hatch terá um último lote de 100 unidades antes de sair de linha


25/12/2021 04:00

 Renault Sandero R.S
Lançado em 2015, o Renault Sandero R.S. teve cerca de 4.600 unidades produzidas no Brasil (foto: Renault/Divulgação)

Outra vítima do Proconve L7, programa que regula a emissão de poluentes dos automóveis, é o Renault Sandero 2.0 R.S., que deixará de ser produzido por não atender à legislação. Mas antes de entrar na lista dos modelos que “caíram do telhado”, o hatch compacto ganha o kit especial R.S. Finale, que traz alguns mimos para os admiradores da versão.

O kit será oferecido nas 100 últimas unidades do Sandero R.S e ele inclui pôster no estilo blueprint do esportivo e itens da griffe R.S., como boné, chaveiro, squeeze e carteira, além de uma plaqueta de metal numerada afixada no console central. A Renault relembra que o nome Finale já foi adotado em uma edição final do Megane R.S. 275. O Renault Sandero R.S. Finale terá o mesmo preço de R$ 99.290, mas com pintura metálica vai para R$ 100.790.

MAIS QUE VISUAL

Considerado um dos poucos modelos de proposta esportiva que não fica apenas no apelo visual, o Sandero R.S. foi desenvolvido pela Renault Sport e lançado no Brasil em 2015. O hatch ganhou detalhes no seu desenho externo, mas seu principal destaque está sob o capô. O motor 2.0 aspirado, que entrega 150cv e 20,9kgfm com etanol, associado ao câmbio manual de seis velocidades, garante desempenho empolgante, conferindo uma performance discretamente esportiva.

O câmbio tem relações mais curtas, proporcionando uma condução mais prazerosa. Com esse conjunto, o “hot hatch” tem máxima de 202km/h e chega aos 100km/h em apenas 8 segundos. É um carro que garante respostas imediatas nas acelerações, com arrancadas muito ágeis e retomadas de velocidade seguras. De acordo com a Renault, o Sandero R.S. teve mais de 4.600 unidades produzidas, além de séries limitadas, como a Racing Spirit, lançada em 2017.

REPROVADO

Porém, o antigo motor 2.0 16V que equipa o Sandero R.S. não cumpre as novas regras de emissões que entrarão em vigor no início de 2022, o Proconve L7. E como a Renault não pretende adequá-lo às novas exigências, trocando por um motor turbo mais eficiente, por exemplo, a opção foi encerrar a produção da versão esportiva, que certamente deixará uma legião de fãs.

“O Sandero R.S. 2.0 é um carro emblemático para a Renault do Brasil e tem uma legião de fãs apaixonados pelo modelo. Por isso, preparamos uma despedida especial para encerrar o ciclo de produção do esportivo”, afirma Bruno Hohmann, vice-presidente comercial da Renault do Brasil.

Além do kit R.S. Finale, o modelo traz de série sensor de estacionamento, câmera de ré, ar-condicionado automático, abertura elétrica do porta-malas, multimídia Media Evolution com Apple CarPlay e Android Auto, direção eletro-hidráulica, retrovisores elétricos, comando de satélite no volante, quatro airbags, controle eletrônico de estabilidade (ESP) com auxílio de partida em rampa (HSA), Isofix, travamento automático das portas a 6km/h, indicador de troca de marcha, bancos revestidos em tecido, luzes diurnas em LED, volante com revestimento premium, lanternas traseiras com assinatura em LED e rodas de liga leve de 17 polegadas diamantadas. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade