Publicidade

Estado de Minas AVALIAÇÃO

Aceleramos o Ford Mustang Mach 1, o belo pony car que exala esportividade

Edição limitada do cupê esportivo chama a atenção pelo visual imponente e pela impressionante força do seu motor V8 de 483cv. O preço já subiu para R$ 523.950


07/08/2021 04:00 - atualizado 07/08/2021 00:15

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
Cupê esportivo ou fastback? Pony car ou muscle car? Nomenclaturas à parte, o Ford Mustang é aquele tipo de carro que muitos gostariam de ter na garagem de casa. Ícone dos anos 1960, o modelo está disponível no Brasil apenas na versão Mach 1, que traz sob o capô o motor Coyote V8 recalibrado, resultando em um acréscimo de 17cv. Além do belo visual, o Mustang Mach 1 traz muita eletrônica para garantir uma condução esportiva com total segurança, mas também permite que os sistemas sejam desativados para ser levado literalmente no braço. É um carro que tem as pistas como seu habitat, porém, pode também rodar mansinho na cidade, contando com sistemas de auxílio à condução.
 
Defletor de ar e as quatro saídas do escape reforçam visual esportivo(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Defletor de ar e as quatro saídas do escape reforçam visual esportivo (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
 
Depois de 18 anos de ausência, o Mustang Mach 1 retorna ao Brasil em edição limitada e numerada, trazendo um desempenho ainda mais apimentado, fazendo lembrar as performances da versão nas pistas de corrida no fim dos anos 1960. Quando foi lançado por aqui em abril, custava R$ 499 mil e as primeiras 80 unidades foram vendidas em menos de 24 horas. Agora, para ter essa exclusividade na garagem é preciso desembolsar R$ 523.950.
 
Painel digital e comandos à mão facilitam a vida para o motorista(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Painel digital e comandos à mão facilitam a vida para o motorista (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 

VISUAL O Mustang Mach 1 impressiona por onde passa com seu belo visual. Com a frente longa e linhas aerodinâmicas, a versão traz uma faixa larga na cor cinza no centro do capô, emoldurada por um contorno alaranjado, traço mais fino que aparece também nas laterais. A frente do carro é imponente, com faróis full LED e spoiler no para-choque, que tem ainda grandes entradas de ar nas extremidades. Na grade frontal, além do cavalinho ao centro, elementos circulares ocupam os lugares onde antes haviam faróis auxiliares de milha.
 
Modelo tem generoso porta-malas de 382 litros, e não traz estepe(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Modelo tem generoso porta-malas de 382 litros, e não traz estepe (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
 
As saias laterais ajudam a enfatizar o aspecto esportivo do Mustang, deixando o cupê mais próximo ao chão. As rodas de alumínio são de 19 polegadas, com desenho exclusivo para a versão, com as pinças de freio Brembo pintadas em laranja à mostra. O nome Mach 1 aparece na frente e nos para-lamas dianteiros. Na traseira, uma faixa preta vai de uma lanterna a outra e tem ao centro o nome da versão. E na parte inferior do para-choque traseiro, um robusto defletor de ar fica cercado pelas saídas duplas do escapamento, com enormes cornetas cromadas.
 
Motor Coyote foi recalibrado e ganhou 17cv, chegando a 483cv(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Motor Coyote foi recalibrado e ganhou 17cv, chegando a 483cv (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 

INTERIOR O interior do Mustang Mach 1 faz lembrar um cockpit de um carro de pista. O painel tem elementos inspirados na aeronáutica, com vários comandos. A placa com o nome Mach 1 e o número do chassi da unidade está fixada acima do porta-luvas. Os bancos, com desenho esportivo, são revestidos em couro perfurado na parte central e trazem uma faixa de outra cor no encosto. Na soleira das portas, o Mach 1 aparece iluminado. E quando você abre a porta do carro, o retrovisor projeta o cavalinho no chão. O espaço para quem vai na frente é generoso, com bancos confortáveis e com regulagem elétrica. Já o banco traseiro é o famoso quebra-galho. Não proporciona muito conforto e é difícil de entrar e sair. O porta-malas surpreende com seus 382 litros de capacidade.
 
As rodas de alumínio são de 19 polegadas, com pneus de perfil baixo(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
As rodas de alumínio são de 19 polegadas, com pneus de perfil baixo (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 

CONECTIVIDADE No quesito tecnologia, destaque para o Fordpass Connect, que permite o travamento/destravamento das portas pelo celular; partida remota com acionamento do ar-condicionado; visualização do nível de combustível; a localização do carro; monitoramento da pressão dos pneus, tudo visto pelo celular. Destaque também para o sistema multimídia Sync 3, com tela tátil horizontal, conectividade por Apple CarPlay, Android Auto e App Link. Traz duas entradas USB, conexão Bluetooth, sistema de navegação nativo e comandos de voz em português. E para quem gosta de ouvir música no carro, o som é Bang & Olufsen Premium Sound, com 12 alto-falantes e 1.000W de potência. Música com som de alta-fidelidade dentro do possante.

USINA DE FORÇA Sob o capô, o Mach 1 não traz novidades, já que é equipado com o conhecido motor Coyote V8 de 5.0 litros. Mas o propulsor foi recalibrado, ganhando 17cv e chegando aos 483cv. O torque é de expressivos 56,7kgfm. Potência e torque consideráveis para proporcionar ao cupê uma performance verdadeiramente esportiva. Conta com filtro de ar Open Air Box do Mustang Bullit. O carro acelera rápido demais e prega o motorista no encosto do banco. É preciso ter braço firme para domar o puro sangue. Quando se pisa fundo no acelerador, o kick down, a resposta é imediata, proporcionando retomadas de velocidade muito seguras. Se quiser fazer ultrapassagens, pode ir com total confiança. Ele não vai te decepcionar.
 
O câmbio automático de 10 velocidades também foi recalibrado e ganhou novo conversor de torque, resultando em trocas de marchas mais rápidas. O motorista pode optar por fazer trocas manuais no câmbio ou nas aletas atrás do volante. Dessa forma, a condução fica ainda mais esportiva. O modelo tem seletor de modos de condução: normal, esportivo, esportivo +, pista, drag, neve/molhado e my mode. Com eles, é possível deixar o carro mais manso para rodar na cidade ou mais bravo e na mão, desativando controles de estabilidade e de tração. Mas pense bem antes de fazer isso. E se fizer, é melhor que esteja em uma pista apropriada.
 
O Mustang Mach 1 traz também sistema que permite ajustar o ronco do motor, com os modos silencioso (se é que isso é possível), normal, esportivo e pista (tipo rugido de leão). E se você quiser, pode fazer a medição do seu 0 a 100km/h, pois o Track Apps exibe as métricas de desempenho no painel de instrumentos e conta com cronômetro. Tem também o Line Lock (burnout), sistema para aquecer os pneus traseiros antes de ir para a pista. Basta selecionar o modo em tecla no volante e acelerar. Lembre-se de fechar os vidros antes, para que a fumaça branca e o cheiro de borracha queimada não entrem pelas janelas. Depois é só conferir a farinha de borracha que fica no asfalto.
 
O Mach 1 traz alguns elementos herdados de versões icônicas, como a barra antitorção no cofre do motor do Bullitt; o sistema de arrefecimento do motor do Shelby GT 35; e o escapamento e o difusor traseiro do Shelby GT 500. A suspensão dianteira é MagneRide com nova calibração, e a traseira tem braços e barra de torção mais rígidos, deixando o esportivo colado ao chão. Na prática, o carro é mais duro mesmo, como todo esportivo, e transfere bem as irregularidades do solo pra dentro. Mas quem tem um Mustang não liga pra isso. Por outro lado, o carro faz curvas com total segurança, colado ao chão, como se fosse um kart. E para melhorar ainda mais, o defletor inferior traseiro e o novo spoiler otimizam o fluxo de ar e o downforce.
 
E do mesmo jeito que anda muito, o Mustang Mach 1 para com total segurança. Os freios Brembo de alta performance, com discos de 15 polegadas e seis pistões, conseguem segurar o esportivo com firmeza. A direção com assistência elétrica também tem boa calibragem, mas o diâmetro de giro não favorece as manobras de estacionamento em lugares apertados. Entre os sistemas de auxílio à condução disponíveis, destaque para assistente em frenagem de emergência (EBA), alerta de colisão, assistente autônomo de frenagem com detecção de pedestres, sistema de alerta pós-acidente, e sistema de permanência em faixa com detecção de fadiga

CONCORRENTE O principal concorrente do Mustang é o Chevrolet Camaro SS V8 cupê, que não tem todos os sistemas de auxílio à condução do Mustang, mas traz rodas de 20 polegadas, head-up display e teto solar. O motor é um V8 de 6.2 litros, de 461cv e 62,9kgfm de torque. Acelera até 100km/h em 4,2 segundos, com máxima de 290km/h. O consumo divulgado é de 6,5km/l na cidade e 9,6km/l na estrada. O modelo anunciado no site da Chevrolet é ano 2020 e tem preço de R$ 397.360 para o cupê e R$ 444.980 para o conversível. O problema é que existe a possibilidade de o Camaro deixar de ser produzido para dar lugar a um sedã elétrico, com chegada prevista para 2024.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade