Publicidade

Estado de Minas ESPORTIVO

Puro prazer: Toyota GR 86 é cupê com motor boxer de 235cv e tração traseira

Projeto foi desenvolvido em parceria com a Subaru, especialista em motores com cilindros horizontalmente opostos. Visual invocado não deixou de lado a elegância


10/04/2021 04:00

As linhas básicas do cupê foram preservadas, mas agora com arremates e recortes mais agressivos(foto: Toyota/Divulgação)
As linhas básicas do cupê foram preservadas, mas agora com arremates e recortes mais agressivos (foto: Toyota/Divulgação)
 
A Toyota apresentou o novo GR 86 devidamente assinado pela divisão esportiva Gazoo Racing, que é a segunda geração do modelo 86 GT. Lançado em 2012, já em parceria com a Subaru, o modelo 86 foi desenvolvido com o objetivo de trazer de volta aos clientes os sonhos e a alegria inerentes de dirigir carros esportivos.
 
A traseira do Toyota GR 86 é mais ousada, com um par de escapes, um em cada extremidade(foto: Toyota/Divulgação)
A traseira do Toyota GR 86 é mais ousada, com um par de escapes, um em cada extremidade (foto: Toyota/Divulgação)
 
 
Assim, o modelo sempre se destacou pela configuração mecânica dos sonhos para quem gosta de pisar fundo – motor dianteiro, tração traseira e capacidade de resposta instintiva –, características que serão detalhadas ao longo da matéria. De acordo com a Toyota, mais de 200 mil unidades da primeira geração foram vendidas em todo o mundo.
 
A esportividade está explícita no interior, com pedaleiras em inox e quadro de instrumentos digital(foto: Toyota/Divulgação)
A esportividade está explícita no interior, com pedaleiras em inox e quadro de instrumentos digital (foto: Toyota/Divulgação)
 
 
O melhor da festa é que o Toyota 86 de primeira geração, esse vistoso cupê 2+2, não custa muito mais que um Corolla ou um Prius no mercado americano. Mas a festa termina quando pensamos que não existe a menor perspectiva de termos o novo GR 86 nas concessionárias brasileiras da marca.
A ideia é que o novo GR 86 seja lançado no Japão no segundo semestre do ano. Ele compartilha plataforma e conjunto mecânico com o Subaru BRZ, mas a Toyota já adianta que cada marca tem seu ajuste fino, conforme o estilo de cada uma. Ao que tudo indica, a parceria entre as marcas japonesas tende a se estreitar no futuro.
 
O motor 2.4 litros desenvolve potência de 235cv a 7.000rpm e torque de 25,5kgfm a 3.700rpm(foto: Toyota/Divulgação)
O motor 2.4 litros desenvolve potência de 235cv a 7.000rpm e torque de 25,5kgfm a 3.700rpm (foto: Toyota/Divulgação)
 
 
, mas agora com arremates mais agressivos, com recortes e vincos na medida certa da elegância. A traseira é mais ousada, com um par de escapes nas extremidades. Parte dos componentes é pintada em preto, contrastando com a pintura, como as rodas e os retrovisores, e a grade é funcional, abrindo sua aletas apenas quando o veículo já atingiu a temperatura ideal. Saídas de ar e spoilers laterais aprimoram a aerodinâmica.
 
A segunda geração preservou as dimensões do modelo: 4,26 metros de comprimento e 2,57m de distância entre-eixos. O uso de alumínio no teto resulta em um centro de gravidade mais baixo, assim como a utilização do material nos para-lamas, nos bancos dianteiros e nos silenciadores contribuem para a redução do peso, que ficou em 1.270 quilos. Ainda assim, a rigidez torcional da carroceria foi aprimorada em aproximadamente 50%.
 
Já o interior passou por uma revolução e em nada se parece com o habitáculo espartano de antes. O quadro de instrumentos é digital, tela tátil de sete polegadas, ar-condicionado automático de dupla zona, partida do motor por botão e vários comandos dão um tom de conforto. A esportividade está nos bancos com apoios e as pedaleiras em inox.
 
Mas, o melhor está sob o capô. O novo motor 2.4 de quatro cilindros horizontalmente opostos tem potência de 235cv a 7.000rpm e torque de 25,5kgfm a 3.700rpm. A aceleração até os 100km/h é feita em 6,3 segundos, abaixo dos 7,4s da geração anterior. Os bons números surpreendem, ainda mais quando sabemos que o motor é aspirado, o que proporciona mais controle.
 
Já o propulsor boxer, herança da Subaru, reúne vários benefícios. Além de leve e compacto, este tipo de motor acaba reduzindo o centro de gravidade do veículo, melhorando seu desempenho em curvas. De acordo com a Toyota, a capacidade de resposta do propulsor também foi aprimorada. O câmbio pode ser manual ou automático, ambos de seis marchas. E para completar, a tração é traseira!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade