Publicidade

Estado de Minas NOSTALGIA

Confira os fatos que ajudam a contar a história da Ford no Brasil

Das importações do primeiro modelo A à construção de várias plantas e uma enorme estrutura, passando pela fase onde a empresa apenas montava veículos por aqui


16/01/2021 04:00

Linha de montagem do Ford T, no bairro Bom Retiro, na cidade de São Paulo(foto: Ford/Divulgação)
Linha de montagem do Ford T, no bairro Bom Retiro, na cidade de São Paulo (foto: Ford/Divulgação)
 
Após pouco mais de 100 anos atuando oficialmente no Brasil, no início da semana a Ford anunciou que está deixando de produzir veículos no país. Os primeiros veículos da marca chegaram ao Brasil em 1904, na figura do primeiro Modelo A, produzido nos Estados Unidos. Os veículos eram importados e vendidos pela agência de William T. Right, situada no bairro do Bom Retiro, na cidade de São Paulo. O famoso Modelo T chegou por aqui em 1908, pelas mãos de importadores independentes.
A criação da filial brasileira foi aprovada pela diretoria da Ford Motor Company em 24 de abril de 1919, o que fez da empresa a primeira do setor de veículos a se estabelecer no Brasil. Já em 1º de maio, começava a montagem do Modelo T em um galpão na Rua Florêncio de Abreu, na capital paulista, com peças importadas.
 
Sede própria foi inaugurada em 1921, no bairro do Bom Retiro, em edifício nos moldes da sede da empresa em Detroit(foto: Ford/Divulgação)
Sede própria foi inaugurada em 1921, no bairro do Bom Retiro, em edifício nos moldes da sede da empresa em Detroit (foto: Ford/Divulgação)
 
 
No ano seguinte, a estrutura foi levada para um espaço maior, em um antigo palácio de patinação, na Praça da República. Porém, a produção de 4 mil unidades naquele ano levou a empresa a procurar por um edifício próprio. Foi em 1921, quando a linha de montagem foi transferida para um prédio no bairro do Bom Retiro, cópia da sede da empresa em Detroit.
 
Linha de montagem do Ford T se transformou em atração turística em São Paulo(foto: Ford/Divulgação)
Linha de montagem do Ford T se transformou em atração turística em São Paulo (foto: Ford/Divulgação)
 
 
De acordo com a Ford, a visita à fábrica tornou-se uma atração turística em São Paulo, com os visitantes acompanhando as fases de montagem do Modelo T. Entre as ações de marketing desenvolvidas nessa época estavam as demonstrações de força dos modelos T e TT, sua derivação utilitária. Já em 1924, a Ford promoveu uma exposição automobilística no Palácio das Indústrias, em São Paulo, em estandes ambientados.
 
Os primeiros Ford Modelo A, produzidos nos Eua, chegaram ao Brasil por importação, em 1904(foto: Ford/Divulgação)
Os primeiros Ford Modelo A, produzidos nos Eua, chegaram ao Brasil por importação, em 1904 (foto: Ford/Divulgação)
 
 
Em 1928, a Ford passou a montar o segundo Modelo A, o sucessor do Modelo T no Brasil. Em meados dos anos 1930, a Ford Europa exportou para o Brasil os modelos Anglia, Y e Prefect, produzidos na Inglaterra, além do Eifel, montado na Alemanha. O sofisticado Mercury 1939 chegou a ser montado no Brasil, mas era feito somente por encomenda.
 
No início de 2019, a Ford anunciou o fechamento da fábrica de São Bernardo do Campo, interrompendo a fabricação do Fiesta e dos caminhões Cargo(foto: Ford/Divulgação)
No início de 2019, a Ford anunciou o fechamento da fábrica de São Bernardo do Campo, interrompendo a fabricação do Fiesta e dos caminhões Cargo (foto: Ford/Divulgação)
 
 
O esforço da indústria americana para a Segunda Guerra Mundial interrompeu as importações de automóveis para o Brasil, mas, segundo a Ford, a produção brasileira foi toda voltada para a montagem de caminhões para o Exército, a pedido do governo.

FABRICANTE Em 1953, foi inaugurada a fábrica do lpiranga, na capital paulista. Com 200 mil metros quadrados (m²), a fábrica tinha capacidade diária de produção de 125 veículos, somando 2.500 empregados. Mas, o primeiro modelo Ford fabricado no Brasil, com 40% de nacionalização, foi o caminhão F-600, em 1957. A linha nacional aumentou no ano seguinte, com os modelos F-100, F-350 e F-600 a diesel. Já em 1960, a marca lançou o primeiro trator nacional, o Ford 8-BR Diesel.
Outros investimentos realizados nessa década foram a inauguração da fábrica de motores no Ipiranga e a fundição de Osasco (SP), ambas em 1958, com a instalação dos primeiros fornos elétricos de indução da América do Sul, produzindo ferramentas de estamparia e peças fundidas para os veículos da Ford e de outras marcas.

WILLYS Um passo muito importante foi dado em 1967, quando a Ford adquiriu o controle da Willys Overland do Brasil, assumindo as fábricas de São Bernardo do Campo e Taubaté (ambas em São Paulo). A marca continuou a fabricar e comercializar vários produtos da Willys, como o Jeep e a Rural.

GALAXIE Mas, o primeiro automóvel de fato fabricado pela marca no Brasil foi o luxuoso Galaxie, em 1967, com motor V8, direção hidráulica e outros itens inéditos. O segundo automóvel fabricado por aqui foi o Corcel, em 1968, projeto que veio no espólio da Willys, feito em parceria com a Renault.
Nos anos seguintes, a marca continuou a investir no país. Em 1969, a Ford inaugurou um centro de pesquisas em São Bernardo do Campo. No mesmo espaço adquirido junto com a Willys, em 1974, foi inaugurada a nova fábrica de motores e fundição de Taubaté. Já o campo de provas de Tatuí (SP) foi criado em 1978, equipado com laboratórios e diferentes tipos de pistas.
 
Em 1987, a Ford e a Volkswagen criaram uma parceria e passaram a operar no Brasil e na Argentina dentro da holding Autolatina, associação que durou até 1995, com o compartilhamento de plataformas lo- cais. A VW tinha 51% de participação na sociedade, e a Ford, 49%. Várias combinações foram feitas entre as marcas, sendo que o Gol foi equipado com o motor 1.0 CHT da Ford, enquanto o Escort XR3 recebeu o motor AP 1800 da VW. As marcas ainda produziram alguns modelos “irmãos”, como o VW Santana e o Ford Versailles, o Apollo e o Verona, além do Logus e Pointer, ambos derivados do Escort. O casamento não deu certo, e na separação a Ford acabou levando a pior, pois viu sua participação de mercado cair de 21% para 13%, já que não tinha produtos fortes para encarar a concorrência. Apesar disso, conseguiu se manter no Brasil.

ALTOS E BAIXOS Depois da Autolatina, a história da Ford no Brasil continuou sem grandes acontecimentos, até que, em 2001, a marca inaugurou o Complexo Industrial de Camaçari (BA), onde eram produzidos o EcoSport e o Ka. No mesmo ano,  a fábrica de caminhões iniciou as operações em São Bernardo do Campo. No início de 2019, ano de seu centenário no Brasil, a Ford anunciou o fechamento da planta de São Bernardo do Campo, interrompendo junto a fabricação do Fiesta e dos caminhões Cargo.

O FIM No início de 2021, a marca anunciou o encerramento da produção de veículos no Brasil, mantendo apenas a comercialização de sua linha de importados. A produção nas plantas de Camaçari, onde eram produzidos o Ka, o Ka Sedan e o EcoSport, e a de Taubaté, que fabricava motores e caixas de câmbio, foi interrompida imediatamente. A fábrica da Troller de Horizonte (CE) continua em funcionamento apenas até o quarto trimestre. De acordo com a Ford, serão mantidas no Brasil a sede administrativa da América do Sul, na cidade de São Paulo, o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, e o campo de provas de Tatuí.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade