Publicidade

Estado de Minas RAPIDINHAS

Oitava geração do VW Golf é revelada


postado em 29/02/2020 04:00

(foto: volkswagen/Divulgação)
(foto: volkswagen/Divulgação)

 
A oitava geração do Volkswagen Golf foi apresentada antes do Salão de Genebra, que acabou sendo cancelado devido ao surto do coronavírus. O hatch médio foi revelado nas versões GTI (esportiva), GTE (híbrida) e GTD (diesel). Um dos destaques do design são as luzes de neblina embutidas na grade em formato de X. Os faróis, mais especificamente as luzes de rodagem diurna, são unidos por uma faixa fina de LED. As rodas de 17 polegadas são exclusivas de acordo com cada versão, e as pinças de freio pintadas em vermelho. As saias laterais são em preto.
 
O nervoso GTI traz sob o capô motor 2.0 turbo com 245cv de potência e 37,7kgfm de torque, com câmbio manual de seis marchas de série e opção de um automatizado de dupla embreagem com sete marchas. O GTD também não faz feio, com propulsor 2.0 a diesel de 200cv e 40,8kgfm, sempre com câmbio automático. Já o híbrido GTE combina motor 1.4 turbo de 150cv com um elétrico de 112cv, que, juntos, somam 242cv e 40,8kgfm. O câmbio é automatizado de dupla embreagem de seis marchas. No modo puramente elétrico, a autonomia é de 60 quilômetros
 
O interior do Golf GTI traz bancos concha com o tradicional revestimento em tecido xadrez, manopla de câmbio em formato de bola de golfe, volante esportivo, quadro de instrumento digital com tela de 10,25 polegadas combinado com o display de 10 polegadas da central multimídia. A Volkswagen não confirmou se o modelo será vendido no Brasil.
 
(foto: Volkswagen/divulgação)
(foto: Volkswagen/divulgação)
 
 
Tiggo 5X reestilizado
 
A linha 2021 do Caoa Chery Tiggo 5X chega ao mercado com uma reestilização. É isso mesmo. Lançado há pouco mais de um ano, o modelo já ganhou retoques, deixando todos os que compraram e confiaram na marca (que ainda dá os primeiros passos por aqui) rodando em um veículo desatualizado. O preço também foi remarcado em R$ 3 mil, custando agora a partir de R$ 91.990 na versão de entrada T.
 
As mudanças se concentram na dianteira, com faróis mais esticados, nova luz de rodagem diurna, grade e para-choque. A traseira tem novas lanternas e moldura cromada na tampa do porta-malas. O conjunto mecânico manteve o motor 1.5 turbo flex (com até 150cv de potência e 21,4kgfm de torque) e o câmbio automatizado de dupla embreagem com seis marchas.
 
O sistema multimídia, com telão de 9 polegadas, agora passa a aceitar o Android Auto para espelhar o smartphone (o Apple CarPlay já era compatível). Outra novidade é a câmera com visão de 360 graus na versão de topo TXS, que não teve o preço revelado, mas costumava ser R$ 11 mil mais cara que a versão de entrada. 
 
(foto: Honda/Divulgação)
(foto: Honda/Divulgação)
 
 
Edição limitada

Se você acha que o Honda Civic Si é a variante mais irada do modelo, preste atenção nesta versão Type R Limited Edition. Com o motor 2.0 turbo, de 320cv de potência e 40,8kgfm de torque, o bólido acelera até os 100km/h em 5,7 segundos. O câmbio é manual. Para extrair o máximo de performance, uma rigorosa dieta foi prescrita, e até o ar-condicionado foi cortado. Para se abster de 48kg, o isolamento acústico foi retirado do teto, capô, para-choque e painel. No design, destaque para o para-choque agressivo, minissaias laterais, pneus de perfil baixo, pinças de freio pintadas em vermelho, uma imensa asa traseira e saídas triplas de escape. A cabine traz bancos-concha vermelhos e nem a telinha do sistema multimídia foi poupada. É para quem gosta de acelerar. Como indica o nome, a série é limitada em 100 unidades, devidamente numeradas.
 
(foto: GM/divulgação )
(foto: GM/divulgação )
 
 
4 milhões de unidades
 
A planta da Chevrolet de Gravataí, no Rio Grande do Sul, alcançou a marca de quatro milhões de veículos construídos desde sua inauguração, em 20 de julho de 2000. Operando em três turnos, a fabrica produz mais de 60 unidades por hora. Trata-se da unidade mais produtiva da General Motors no mundo. Não é à toa que de lá “sai” o modelo mais vendido do Brasil há cinco anos, o Chevrolet Onix.
 
(foto: Peugeot/Divulgação)
(foto: Peugeot/Divulgação)
 
 
Picape do leão

A Peugeot lança a picape média Landtrek no México no final de 2020. Trata-se da estreia da marca no segmento. O projeto é derivado da chinesa Changhan, e começa a ser produzido em regime de CKD na fábrica da Nordex, no Uruguai. O modelo deve chegar ao Brasil em 2021. Serão oferecidas três opções de carroceria: dupla, simples e chassi. As dimensões da versão de cabine dupla são 5,33 metros de comprimento, 1,96m de largura e 3,18m de entre-eixos. A capacidade de carga será de 1 tonelada, enquanto a capacidade de reboque é de 3,5 toneladas. A motorização esperada para o Brasil é um propulsor 2.2 turbodiesel, com 170cv de potência e 37kgfm de torque, com opções de câmbio manual ou automático. Haverá versões com tração 4x2 e 4x4.
 
(foto: renault/divulgação )
(foto: renault/divulgação )
 
 
Pré-venda Duster
 
A Renault abriu a pré-venda do novo Duster 2021, que será lançado em março. Os clientes que se cadastrarem no site exclusivo até 9 de março e efetuarem a compra do modelo na concessionária até 30 de março poderão escolher entre três brindes: um patinete elétrico; três revisões gratuitas; ou um kit de acessórios contendo barras transversais de teto e suporte de bicicletas. A marca define a segunda geração do SUV compacto como “uma verdadeira revolução em seu interior e um exterior inteiramente renovado, mantendo o design icônico que caiu no gosto do consumidor”. A conferir. 


Publicidade