Publicidade

Estado de Minas

O PODER DO PÓ

Andrea Riseborough destaca seu papel em ZeroZeroZero, da Amazon Prime Vídeo. Na série, a atriz é Emma Lynwood, herdeira de uma rede de tráfico de cocaína


postado em 15/03/2020 04:00 / atualizado em 13/03/2020 13:57

No caminho da cocaína

Superprodução ZeroZeroZero não glamoriza o tráfico e mostra o comércio da droga como busca pelo poder. Título da série vem da gíria usada por europeus para nomear o pó de alta qualidade 

Com liturgias, regras e códigos morais próprios, o mercado global de cocaína movimenta bilhões de dólares anualmente e está estruturado como uma sofisticada rede empresarial na qual ambiciosos players com perfis completamente diferentes jogam afinados como um relógio suíço.

Os grandes "empresários" do ramo são em sua maioria pais de família respeitados por suas comunidades no México, nos Estados Unidos e na Europa e mantêm negócios de fachada enquanto operam o tráfico de forma violenta. Esse universo peculiar se tornou fetiche do público e inspirou dezenas de documentários, filmes e séries.

Na esteira da bem-sucedida franquia Narcos, da concorrente Netflix, a Amazon Prime Vídeo colocou em seu catálogo a série ZeroZeroZero, superprodução que acompanha o caminho da cocaína do chão de fábrica no México, onde é embalada em latas de chili, até o nariz do consumidor final na Europa.

O título é uma gíria usada pelos europeus para a cocaína de altíssima qualidade produzida pela elite do narcotráfico mundial. Trata-se de uma ficção, que fique claro, mas que foi baseada no livro homônimo do cultuado jornalista e escritor italiano Roberto Saviano.  A assinatura e o caderno de fontes dele nos serviços de inteligência conferem à série um grau de verossimilhança maior do que todas as outras obras do gênero, a maioria inspirada em biografias de "capos", como Pablo Escobar, Chapo ou Felix Gallardo.

ESCALA 

A narrativa de ZeroZeroZero conta a história sob a perspectiva de todos envolvidos – vendedores, intermediários e compradores de pó. “Foi um privilégio trabalhar em uma série criada por alguém que escreveu um livro muito técnico sobre o funcionamento do ramo. O livro do Roberto Saviano, que eu li, obviamente, dá uma boa ideia de como esse mundo funciona, embora seja ficcional. A série é uma extensão desse livro", disse a atriz Andrea Riseborough (A morte de Stalin, A guerra dos sexos).

Na série da Amazon, Andrea interpreta a personagem Emma Lynwood, que cuida do dia a dia das operações da transportadora de seu pai, interpretado por Gabriel Byrne (In treatment, Os suspeitos). Com a morte do patriarca, ela é obrigada a tomar decisões drásticas para manter o negócio funcionando. A empresa de transportes marítimos, cuja sede fica em New Orleans, tem mais de 100 anos na praça, mas mergulha no tráfico para sobreviver.

A série também abre um debate clichê em produções do gênero. Uma força de elite da polícia mexicana nos moldes do Bope do Capitão Nascimento corre por fora da polícia local corrupta e usa e abusa da tortura como método de trabalho.

LABORATÓRIO 

Após apostar suas fichas em Hunters, série na qual Al Pacino é um caçador de nazistas, a Amazon Prime Vídeo fez de ZeroZeroZero seu novo grande investimento de 2020. A plataforma não revela o investimento, mas o elenco é caro. Um dos protagonistas é  Dane DeHaan, que fez o espetacular Homem-Aranha 2. Ele interpreta Chris Lynwood, cuja vida é virada de cabeça para baixo quando sua ajuda é solicitada no negócio da família, enquanto luta contra uma doença degenerativa.

"Meu personagem tem algo chamado doença de Huntington, que é uma doença degenerativa genética. Uma coisa de que gosto na série é que ela não é sobre um personagem com a doença – isso é só um obstáculo no caminho dele, que é obrigado a superar muitas outras coisas", revelou o ator.  

POR DENTRO DE  ZEROZEROZERO

(foto: Fotos: Amazon Prime Vídeo/Divulgação)
(foto: Fotos: Amazon Prime Vídeo/Divulgação)

O ator Dane DeHaan, que fez o Homem-Aranha 2, é Chris Lynwood, portadorde doença degenerativa

Gabriel Byrne faz o papel do patriarca da família de Emma Lynwood (Andrea Riseborough),  um chefão do narcotráfico

Giuseppe De Domenico e Francesco Colella estão no elenco da aposta da Amazon Prime Vídeo para 2020

Com Adriano Chiaramid, série inspirada em livro de Roberto Saviano mostra negócios, consumo e vício

Três perguntas para...

Andrea Riseborough
atriz

Como você se preparou para fazer essa série?
Li sobre o ramo de negócios da minha personagem, que vem de uma família proprietária de empresa de transportes marítimos com sede em New Orleans. E li o livro do Roberto Saviano.

Saviano segue um protocolo de segurança rígido. Você o conheceu? 
Sim, fizemos uma entrevista juntos no Festival de Cinema de Veneza. Ele divulgou muitos fatos sobre tráfico. Foi um privilégio estar lá, ele é uma pessoa corajosa, em detrimento da própria segurança.

Vê semelhanças com outras séries de drogas? 
São muito diferentes. O que eu gostei em ZeroZeroZero é que o envolvimento com o tráfico não foi glamourizado. Há séries e livros em que você quer fazer parte do que está acontecendo. Nesta, a cocaína é resultado de pessoas almejando poder. Quanto mais poder a minha personagem consegue, mais ela gosta, de modo muito humano.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade