Publicidade

Estado de Minas

Estado de Minas participa de consultorias internacionais com Facebook e Google

De acordo com o diretor-executivo do Estado de Minas, Geraldo Teixeira da Costa Neto, as consultorias injetam ânimo para os próximos passos da empresa


postado em 24/07/2019 06:00 / atualizado em 24/07/2019 11:41

(foto: Facebook/ Divulgação)
(foto: Facebook/ Divulgação)

Profissionais do Estado de Minas estão passando por treinamento com especialistas de dois gigantes da comunicação digital. O jornal foi selecionado entre os poucos veículos brasileiros que integram programas de inovação para modelos de assinaturas e aceleração de conteúdo local, promovidos respectivamente por Google e Facebook. As consultorias têm potencial para promover mudanças significativas no conteúdo que preparamos para você, leitor do jornal, em diferentes plataformas.

De acordo com o diretor-executivo do Estado de Minas, Geraldo Teixeira da Costa Neto, as consultorias injetam ânimo para os próximos passos da empresa. "O jornalismo na internet requer, além de informações relevantes à sociedade, uma série de novas habilidades do universo digital. Estar atualizado com as melhores práticas do mundo é fundamental para quem quer manter o DNA de pioneirismo na internet, já que o nosso vitorioso projeto está no ar há mais de 20 anos."

"A escolha do Estado de Minas reafirma a relevância de nossas marcas e o potencial de crescimento no cenário digital, cada vez mais desafiador, mas, ao mesmo tempo, cada vez mais promissor", afirma o diretor de Redação, Carlos Marcelo.

Na próxima semana, começa o Acelerador de Notícias Locais, do Projeto Facebook para Jornalismo. O objetivo é apoiar veículos de notícias locais rumo a modelos de negócio mais sustentáveis, ajudando a encontrar e fidelizar audiência. 

Foram selecionados veículos de diferentes estados, representando todas as regiões do Brasil: Estado de Minas (MG), Gazeta do Povo (PR), O Povo (CE), Correio (BA), A Gazeta (ES), NSC Total (SC), Jornal do Commercio (PE), A Crítica (AM), Correio do Estado (MS) e O Popular (GO).

A dinâmica, com duração de 12 semanas, prevê encontros presenciais e webinários com especialistas de grupos de notícias internacionais. Além da mentoria, que se estende pelos seis meses seguintes ao treinamento, o programa oferece apoio financeiro para a criação de projetos. O treinamento foi desenvolvido pelo ex-executivo do The New York Times Tim Griggs.

Diminuir os chamados desertos de notícias, regiões onde há escassez de imprensa local, é um dos principais objetivos do projeto. No ano passado, o Facebook apoiou o Atlas da Notícia: um mapeamento de locais sem cobertura significativa de imprensa. O estudo identificou que 51% dos municípios brasileiros não têm cobertura de imprensa, cuja população corresponde a 30 milhões de pessoas. Além disso, 30% dos municípios brasileiros foram classificados como quase deserto, onde há apenas um ou dois veículos jornalísticos impactando 34 milhões de pessoas.

“O mais importante dessas parcerias, na minha opinião, é o olhar de fora, verdadeiramente descontaminado, sobre nossas atividades. Isso vai fazer toda a diferença no momento de traçarmos os novos rumos e desafios do nosso trabalho”, acredita a editora de Redes Sociais e Conteúdos Digitais, Liliane Corrêa.

GOOGLE 


Já em andamento desde maio, o Google News Initiative Subscription Laboratory prevê plano de oito meses de trabalho. Durante esse tempo, consultores da Mather Economics e da World Association of Newspapers and News Publishers (WAN- IFRA – Associação Mundial de Jornais e Editoras de Notícias) analisam e aprimoram todas as etapas relativas ao processo de assinaturas digitais das empresas participantes.

Nesse programa, o Estado de Minas está junto a nomes como Clarín e La Nación, da Argentina; El Espectador, da Colômbia, e Reforma, do México. Do Brasil, além do grande jornal dos mineiros, participam O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e Nexo. O grupo inclui alguns dos principais jornais do continente, além de veículos de presença regional e alguns já nativos digitais.

"Estamos vivendo intensamente uma grande transformação digital, mudança que afeta diretamente a forma como as pessoas se informam, a forma como as marcas conversam com os seus consumidores. Mais que testar ou experimentar, precisamos modernizar nosso modelo de negócio ao máximo e continuar inovando", diz Alexandre Magno, diretor de Operações e Negócios Digitais dos Diários Associados.

Importante prerrogativa para a seleção era a abertura dos aprendizados, no compartilhamento com outros representantes do setor. O objetivo do programa é garantir que os negócios de assinatura dos veículos participantes avancem consideravelmente. O programa também pretende disseminar os conhecimentos adquiridos para outras publicações latino-americanas interessadas no universo digital.

"A parceria coloca os Diários Associados na linha de frente dos veículos de comunicação que estão pensando o futuro nas diversas plataformas. A responsabilidade é grande nesta fase em que a mídia está em xeque. Queremos alcançar os melhores formatos para contar histórias e relatar os fatos com credibilidade, em linguagem moderna e acessível, que façam os leitores perceberem o valor dos conteúdos", destaca o editor de Mídias Convergentes, Benny Cohen.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade