Publicidade

Estado de Minas

Mais de 80% dos brasileiros com smartphone usam redes sociais

Twitter, Instagram, Facebook e Reddit estão entre as mais usadas


postado em 30/09/2014 12:11 / atualizado em 30/09/2014 13:13

Para se inteirar sobre o que ocorre no mundo, Samanta Jozana diz usar as redes sociais durante todo o tempo em que está acordada (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Para se inteirar sobre o que ocorre no mundo, Samanta Jozana diz usar as redes sociais durante todo o tempo em que está acordada (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
A designer Samanta Jozana passa a maior parte do tempo em que está acordada usando redes sociais como Twitter, Instagram, Facebook e Reddit. Só no Twitter tem mais de 2,5 mil seguidores. Ela usa o Reddit, uma rede norte-americana que divulga conteúdos que podem ser votados na internet, para se inteirar sobre o que está sendo discutido no mundo. Além de usar as redes para se informar, mostrar suas ideias e se relacionar com amigos, Samanta aproveita para divulgar os trabalhos que mais gostou de fazer e isso traz resultados positivos para sua vida profissional.


O uso das redes sociais no Brasil está crescendo na velocidade da chegada dos computadores nas casas do interior do país e também em lares mais pobres, mas principalmente pelo aumento do uso dos smartphones. Dados da Nielsen Ibope de agosto mostraram que 82% dos brasileiros que têm smartphones navegam em redes como Facebook, Twitter, WhatsApp, entre outras. Segundo a consultoria IDC, no primeiro semestre deste ano, 4,2 milhões de tablets foram comercializados no Brasil, contra 3,4 milhões em igual período de 2013.

Já a venda de smartphones bateu recorde no segundo trimestre deste ano em comparação com abril, maio e junho de 2013, avançando para 13,3 milhões de unidades um avanço de 22% no período. “O resultado do segundo trimestre para smartphones representa recorde de vendas não só no Brasil, mas no mundo inteiro. É a primeira vez que o país entra nesse patamar de 13 milhões e o mundo ultrapassa a marca de 300 milhões de smartphones vendidos”, afirma Leonardo Munin, analista de mercado da IDC Brasil.

Para o diretor de Criação da agência de comunicação Plan B, Daniel Negreiros, o crescimento do uso da internet móvel é o principal responsável pela expansão da presença dos brasileiros nas redes porque esses aparelhos funcionam como se fossem um computador à mão em qualquer hora e em quase todo lugar. “Os brasileiros são muito sociáveis e isso faz com que abracem as redes sociais. Aqui as pessoas contam para os amigos pelo Facebook o que viram no próprio Facebook ou no YouTube e isso começa a pautar o assunto das pessoas.”

“Pessoalmente, uso as redes para tudo, principalmente o YouTube e o Facebook. Como trabalho com isso preciso acompanhar o que está acontecendo”, diz Negreiros. O passeio pelas redes inclui o Spotfy, site que dá acesso a músicas e que permite que uma pessoa que está registrada saiba o que os amigos estão ouvindo. José Calazans, analista de mercado da Nielsen Ibope, explica que o acesso às redes sociais via internet móvel pode ser considerado uma grande novidade no Brasil. “As pessoas estão passando a trocar mensagens e a postar nas redes e no celular dá para fazer as duas coisas”, explica. De acordo com levantamento da empresa, 74% das pessoas que navegam na internet o fazem em casa e no trabalho.

Pesquisa feita pela Desenvolvimento e Envolvimento Estratégico de Pessoas e Clientes (Deep) em 2014 aponta que, em média, as pessoas gastam até uma hora e 16 minutos por dia no acesso às plataformas quando estão trabalhando. Levando em conta uma carga de trabalho de oito horas por dia, seria como se o funcionário deixasse de trabalhar três dias a cada mês. Segundo o relatório da Pew Research, entre os brasileiros que têm acesso à internet, 73% usam redes sociais como Facebook e Twitter. O maior número de usuários é jovem, entre 18 e 29 anos, como a designer Samanta Jozana.

“O Reddit é a pagina mais relevante da internet. Tudo que vai ser assunto nos outros lugares aparece lá primeiro. As pessoas categorizam se gostaram ou não das publicações, que em seguida são publicadas nas páginas mais populares. De repente, o assunto vai para o Facebook e todos estão discutindo.” Ela também explica por que gosta do Twitter. “No Twitter você pode conversar sozinho sem estar conversando sozinho. Tenho um pensamento muito fragmentado e quando vejo já construí um raciocínio no Twitter. Enquanto isso, outras pessoas dão opinião sobre o que estou falando. É bacana”, justifica.

 

(foto: Cristina Horta/EM/D.A PRESS )
(foto: Cristina Horta/EM/D.A PRESS )
Contra ponto

Andréia Salvador de Castro, dentista e usuária seletiva das redes

A dentista Andréia Salvador de Castro está nas redes sociais, mas raramente faz uso delas. Prefere o WhatsApp ao Facebook, porque as mensagens são curtas. “Todo mundo reclama que não entro no Facebook. Só faço isso quando tenho tempo nos fins de semana. No WhatsApp, seleciono os grupos dos quais quero participar. Abro sempre no final do dia e geralmente só respondo quando se trata de assunto profissional. Já ouvi falar do Instagram, mas para mim, Facebook e WhatsApp já são coisas demais.”

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade