Publicidade

Estado de Minas CAMPEONATO MINEIRO

América X Cruzeiro: evolução turbina clássico no Mineirão

Com as duas equipes em ascensão, América e Cruzeiro chegam em sua melhor forma na temporada para duelos das semifinais, que começam neste domingo (1/5)


01/05/2021 04:00 - atualizado 01/05/2021 08:40

Zagueiro Eduardo Bauermann promete entrega total: ''Vamos entrar bem focados para conquistar nosso objetivo''(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 29/8/20)
Zagueiro Eduardo Bauermann promete entrega total: ''Vamos entrar bem focados para conquistar nosso objetivo'' (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 29/8/20)

América e Cruzeiro começam a decidir neste domingo (2/5), às 16h, no Mineirão, quem vai à final do Campeonato Mineiro de 2021. Os times vão se reencontrar 41 dias depois de o Coelho fazer 1 a 0 no clássico, pela quinta rodada da fase de classificação, e tiveram desempenhos diferentes desde então.

No Estadual, o Coelho viveu alguns tropeços, como as derrotas para Atlético e Tombense, ambas fora de casa, mas venceu os dois últimos jogos, o que o ajudou a terminar em segundo lugar. Já a Raposa terminou em terceiro, muito pela derrota por 1 a 0 para o Pouso Alegre, no Manduzão, quando vinha de sequência invicta de cinco partidas, até mesmo com vitórias importantes, como no clássico contra o Atlético.

No período, os rivais tiveram também de se concentrar na disputa da segunda fase da Copa do Brasil e garantiram a classificação, mas não sem algum sofrimento. Se o time celeste fez 1 a 0 sobre o América-RN, em Natal, com gol no fim, os americanos precisaram ir aos pênaltis para garantir a vaga contra o Ferroviário-CE, no Independência, ao ceder o 1 a 1 já nos acréscimos do segundo tempo.

Antes daquele primeiro confronto da temporada 2021, o América vinha de quatro triunfos, incluindo a estreia na Copa do Brasil, e uma derrota. Já o Cruzeiro havia conquistado duas vitórias, dois empates (um na estreia no mata-mata nacional) e uma derrota e ainda tentava assimilar os conceitos do técnico Felipe Conceição, recém-contratado.

Apesar das diferenças, o primeiro duelo foi bem disputado. O que se espera que se repita agora, com os times com mais ritmo e bem mais entrosados. Além disso, ambos vêm animados por goleadas – o Coelho, 5 a 0 sobre a URT, fora de casa; e a Raposa, 4 a 0 diante do Patrocinense, no Gigante da Pampulha.

“Sabemos da importância deste jogo e que é diferente (do primeiro), por ser semifinal. Então, temos de trabalhar mentalmente também, pois no campo estamos muito bem preparados. Todo mundo tem de estar focado para a gente sair com bons resultados”, afirma o zagueiro americano Eduardo Bauermann.

Ele vê o América mais bem preparado agora do que quando venceu o rival, em março, no último jogo antes da parada de 10 dias por causa da pandemia de COVID-19. E nega que o Coelho seja favorito por ser um time de Série A, enquanto o adversário amarga a B do Brasileiro pelo segundo ano seguido. “Independentemente da situação do América e a do Cruzeiro, sabemos que será difícil, como foi na fase de classificação. Agora é diferente, pois só um avança à final. Então, vamos entrar bem focados para conquistar nosso objetivo.”

Volante Matheus Barbosa destaca crescimento: ''Estamos mais bem preparados, evoluímos bastante como equipe''(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press %u2013 7/4/21)
Volante Matheus Barbosa destaca crescimento: ''Estamos mais bem preparados, evoluímos bastante como equipe'' (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press %u2013 7/4/21)

CONFIANÇA

Pelo lado do Cruzeiro, os atletas também acreditam que o time está bem melhor que há pouco mais de 40 dias. “A confiança mudou bastante, aumentou. Naquela época (do primeiro jogo), o professor Felipe Conceição ainda estava conhecendo o grupo, passando o trabalho, o estilo de jogo. A gente ainda estava entendendo o que ele desejava. Hoje, estamos mais bem preparados, evoluímos bastante como equipe, entendemos bastante o estilo dele”, diz o volante celeste Matheus Barbosa, que vê o time mais entrosado. “A gente já sabe como cada companheiro gosta de receber a bola, por exemplo. Isso ajuda muito.”

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade