Publicidade

Estado de Minas COPA DO BRASIL

'Vilão' vive noite de herói no Coelho


15/04/2021 04:00 - atualizado 15/04/2021 11:46

Jogadores do América comemoram a classificação para a próxima fase do torneio nacional, após o goleiro Matheus Cavichioli defender dois pênaltis(foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)
Jogadores do América comemoram a classificação para a próxima fase do torneio nacional, após o goleiro Matheus Cavichioli defender dois pênaltis (foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)


Nos pênaltis, o América bateu o Ferroviário por 3 a 2 e avançou à terceira fase da Copa do Brasil. A partida no Independência teve poucas chances claras de gol, mas foi marcada pelos erros do Coelho no terço final e pelo 'castigo' aos 48 minutos do segundo tempo, com o empate dos visitantes em 1 a 1. 

O confronto contou também com 'redenção' do goleiro Matheus Cavichioli, que falhou no gol do Ferrão, mas se redimiu defendendo duas penalidades. Com o avanço à terceira fase, o América garantiu mais R$ 1,7 milhão em premiação, se somando a R$ 2,06 milhões já garantidos. Agora, concentra suas forças para reagir no Campeonato Mineiro, sábado, às 17h30, contra o Coimbra, também no Horto.

Ontem, o time começou eletrizante. Logo no primeiro minuto, teve grande oportunidade. Partindo da esquerda, Felipe Azevedo cortou para dentro e cruzou na cabeça de Juninho. O volante escorou para Rodolfo, livre na marca do pênalti. No entanto, o atacante cabeceou mal, por cima da trave do goleiro Jonathan.

O decorrer da primeira etapa revelou um cenário já encontrado pelo América em jogos do Estadual. A equipe de Lisca dominava a posse de bola, mas tinha dificuldades de criar chances diante da bem postada defesa do Ferroviário.

Mas aos 17min, em lance de bola parada na lateral, Bruno Nazário cruzou bem e Felipe Azevedo subiu para desviar para o fundo das redes. Gol do atacante em sua primeira partida na temporada 2021, após se recuperar de lesão muscular na coxa direita.

O principal mérito do Coelho no primeiro tempo foi controlar o ritmo e ainda impedir as tentativas de transição ofensiva da equipe cearense. Apesar disso, faltava criatividade e sobravam erros no terço final. O atacante Rodolfo, por exemplo, pecou muito nas finalizações e tecnicamente. As expressões faciais do camisa 9 americano demonstravam sua insatisfação com o desempenho.

PROTAGONISMO

Na segunda etapa, o Ferroviário subiu suas linhas de marcação e tentou incomodar mais a saída de bola do América. Porém, sem ameaçar o time de Lisca. Não demorou para que o alviverde reassumisse o protagonismo. Bruno Nazário, com boa qualidade técnica, se destacava. Mas deu lugar ao jovem Carlos Alberto, enquanto Rodolfo saiu para a entrada de Ribamar. As alterações deram mais velocidade ao Coelho, mas persistiam os erros ofensivos.

Quando parecia com a vitória encaminhada, o América levou uma bolada na trave aos 44min e, aos 48min, numa falha do goleiro Cavichioli, Augusto empatou. Ele se redimiu nas penalidades, ao defender duas cobranças. Sabino, João Paulo e Ribamar converteram nos 3 a 2, enquanto Carlos Alberto desperdiçou. Uma das bolas dos cearenses entrou, mas foi ignorada pela arbitragem.

*Estagiário sob a supervisão do subeditor Eduardo Murta

FICHA TÉCNICA

AMÉRICA (3) 1x1 (2) FERROVIÁRIO

América: Matheus Cavichioli; Diego Ferreira, Eduardo Bauermann, Anderson e João Paulo; Zé Ricardo, Juninho (Flávio), Alê (Sabino) e Bruno Nazário (Carlos Alberto); Felipe Azevedo (Gustavo) e Rodolfo (Ribamar)
Técnico: Cauan de Almeida (interino)
Ferroviário: Jonathan; Polegar (Roni), Vitão, Richardson e Emerson (Madson); Wesley Dias (Sousa Tibiri), Diego Viana e Reinaldo; Berguinho (Mauri), Wendson (Augusto) e Adilson Bahia
Técnico: Francisco Diá
Segunda fase da Copa do Brasil
Estádio: Independência
Gols: Felipe Azevedo 17 do 1º; Augusto 48 do 2º
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo (SP)
Assistentes: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP) e Daniel Luis Marques (SP)
Cartão amarelo: Roni, Augusto


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade