Publicidade

Estado de Minas CRUZEIRO

Cruzeiro planeja 2021 com reforços experientes e folha salarial enxuta

Time celeste terá de ser criativo para encontrar bons jogadores


11/01/2021 08:15 - atualizado 11/01/2021 08:21

André Mazzuco disse que clube terá de ser criativo no mercado da bola(foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
André Mazzuco disse que clube terá de ser criativo no mercado da bola (foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Praticamente fora da briga pelo acesso, o Cruzeiro usará a reta final da Série B como teste visando à próxima temporada. Em 11º lugar, com 44 pontos - oito a menos que o 4º CSA -, o time celeste enfrentará o Oeste nesta quarta-feira, às 21h30, no Independência, pela 34ª rodada. Depois, pegará Juventude (fora), Operário (casa), Náutico (casa) e Paraná (fora). O objetivo é terminar a competição da melhor forma possível para iniciar bem o planejamento de 2021.

Em entrevista na sexta-feira, depois da vitória por 1 a 0 sobre o Sampaio Corrêa, o técnico Luiz Felipe Scolari afirmou que teria reunião com o novo diretor executivo de futebol, André Mazzuco, para definir os pormenores da pré-temporada. Um dos assuntos em pauta é a incorporação de pelo menos cinco contratações experientes ao grupo.

O clube terá de se reinventar, visto que as finanças ficarão mais comprometidas em razão da permanência na segunda divisão. Se em 2020 ainda houve um resquício de receitas da Série A, em 2021 a “fonte secou”. Com gasto médio de R$6,5 milhões no departamento de futebol profissional, o Cruzeiro tentará reduzir os valores, mas sem abrir mão de reforços qualificados.

“O nosso eixo norteador é a realidade do clube. Precisamos entender as nossas limitações e tentar ser o mais eficiente possível dentro desse cenário. Precisamos ser criativos, buscar receitas e criar soluções que nos permitam a possibilidade mais próxima de acesso”, afirmou André Mazzuco.

A criatividade almejada pelo Cruzeiro é tentar encontrar jogadores que se adaptem à filosofia de Felipão, ofereçam retorno técnico e concordem em receber vencimentos próximos ao padrão da Série B - folha salarial entre R$700 mil e R$1,5 milhão. “Quando se tem uma limitação financeira, vale a criatividade. Há pessoas trabalhando para o departamento de futebol que vão buscar uma alternativa”, complementou o diretor.

Clubes com potencial de investimento muito inferior ao do Cruzeiro obtiveram retorno com contratações menos badaladas. O Sampaio Corrêa buscou Caio Dantas, que havia disputado o estadual do Rio de Janeiro pelo Boavista (7 gols em 12 jogos). Até o momento, o atacante de 27 anos, que passou pelo América em 2014, fez 17 gols e deu quatro assistências em 33 partidas. Seus direitos econômicos pertencem ao Água Santa, de São Paulo.

Já o América mapeou bons nomes na Série B de 2019. O meia Alê e o atacante Rodolfo vieram do Cuiabá, enquanto o zagueiro Eduardo Bauermann representou o Paraná. O clube ainda trouxe o goleiro Matheus Cavichioli, que era reserva do Guarani, e proporcionou grande evolução a Ademir, no Lanna Drumond desde abril de 2018 após surgir no Patrocinense no Campeonato Mineiro. O time treinado por Lisca é líder isolado da Série B, com 66 pontos em 33 rodadas.

Time

Para enfrentar o Oeste na quarta-feira, o Cruzeiro não contará com o armador Giovanni e o atacante William Pottker, expulsos contra o Sampaio Corrêa. Jadsom Silva, Claudinho e Jadson são alternativas para o meio-campo, enquanto Welinton, Arthur Caíke, Marcelo Moreno e Stênio surgem como opções de frente. Por outro lado, Scolari terá o retorno do zagueiro Manoel, artilheiro celeste na Série B ao lado de Rafael Sobis, com cinco gols. Ele voltará a formar dupla com Ramon.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade