Publicidade

Estado de Minas SÉRIE A

Galo aposta em desempenho no Mineirão

Com Sampaoli, time está invicto e tem mais de 94% de aproveitamento no estádio


22/10/2020 23:08 - atualizado 22/10/2020 23:08

Lateral Guilherme Arana diz que últimos tropeços não tiraram o foco do Atlético(foto: Pedro Souza/Atlético - 23/5/20)
Lateral Guilherme Arana diz que últimos tropeços não tiraram o foco do Atlético (foto: Pedro Souza/Atlético - 23/5/20)


O Atlético tem alguns trunfos para buscar a reabilitação no Campeonato Brasileiro diante do Sport, amanhã, às 21h, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Um deles é o local da partida, o Mineirão, onde não perde desde a chegada do técnico Jorge Sampaoli, no início de março.

Com o argentino no comando, o Galo atuou 12 vezes no Gigante da Pampulha, vencendo 11 e empatando uma. Nessas partidas, marcou 30 gols e sofreu apenas oito. Curiosamente, foi vistante em um desses jogos, quando também venceu: 1 a 0 sobre o Tombense, na final do Campeonato Mineiro, em 30 de agosto.

O aproveitamento no ano é de 94,44%. Pelo Brasileiro, são sete vitórias e um empate, aproveitamento de 91,66%.

Ressalte-se que os torcedores não puderam ver nenhuma dessas partidas. Com a Massa empurrando o time, os resultados poderiam ser até melhores, com o alvinegro mantendo a liderança do Brasileiro, perdida para o Internacional na rodada passada. Também foi superado pelo Flamengo, que hoje é o vice-líder, mas o Galo tem um jogo a menos que os dois que estão à frente dele na classificação.

“Perder a liderança não muda nada, a preparação é a mesma. Claro que tropeçamos no último jogo, mas já temos outra batalha neste sábado e temos de voltar a mostrar o que vínhamos mostrando, buscando sempre a vitória”, afirma o lateral Guilherme Arana.

Chamado pelos atleticanos de “salão de festas”, o Gigante da Pampulha foi palco de grandes conquistas alvinegras, inclusive a maior delas, a Copa Libertadores de 2013. Porém, é preciso que o time faça sua parte em campo, o que não ocorreu, por exemplo, contra o Fluminense, que não é cotado para brigar pelo título.

Para Arana, isso ocorre também por conta da qualidade dos adversários: “Não há soberba da nossa parte. Todas as equipes são bem trabalhadas, o campeonato é muito disputado”.

O que chamou a atenção tanto no empate com o Tricolor Carioca quanto na derrota para o Bahia, de virada, foi a diferença de performance de um tempo para outro. Contra o time do Rio, o Atlético saiu atrás e só foi “acordar” na etapa final. Já em Salvador, dominou o primeiro tempo, quando poderia ter aplicado goleada, mas “apagou” na segunda metade do jogo, tomando a virada.

Segundo o defensor, isso não se repetirá: “Nosso time não pode jogar um tempo só. Contra o Bahia, isso não ocorreu. Não podemos entrar com a guarda baixa. Temos de ir bem do começo ao fim, pois o Brasileiro é muito difícil, o líder pode perder para último colocado. Esses erros não podem voltar a acontecer. Mas não é um tropeço que vai tirar nosso foco”.

Opções para o técnico

Para o jogo de amanhã, Sampaoli já poderá contar com o recém-contrato Matías Zaracho, que teve o nome publicado no Boletim Informativo Diário (Bid) da CBF. Já Réver, que saiu no intervalo do jogo contra o Bahia reclamando de dor, treinou e não deverá ser problema.

Ontem, a CBF alterou o dia do Atlético x Flamengo, no Mineirão. Passou de 7 de novembro, sábado, para o dia 8, às 18h15.

Galo de Sampaoli no Mineirão

12 jogos
11 vitórias
1 empate
30 gols marcados
8 gols sofridos
94,44% de aproveitamento

Data Placar/Adversário Competição
29/7 4 x 0 Patrocinense Mineiro
2/8 2 x 1 América Mineiro
12/8 3 x 2 Corinthians Brasileiro
16/8 2 x 0 Ceará Brasileiro
26/8 2 x 1 Tombense Mineiro
30/8 1 x 0 Tombense Mineiro (*)
3/9 3 x 0 São Paulo Brasileiro
13/9 2 x 1 Bragantino Brasileiro
27/9 3 x 1 Grêmio Brasileiro
4/10 4 x 1 Vasco Brasileiro
10/10 3 x 0 Goiás Brasileiro
14/10 1 x 1 Fluminense Brasileiro






*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade