Publicidade

Estado de Minas LIBERTADORES

Protestos põem Inter em alerta


postado em 03/02/2020 04:00

O Colorado, do técnico Eduardo Coudet, vai encarar o Universidad de Chile em Santiago, sacudida por manifestações políticas (foto: Ricardo Duarte/Internacional)
O Colorado, do técnico Eduardo Coudet, vai encarar o Universidad de Chile em Santiago, sacudida por manifestações políticas (foto: Ricardo Duarte/Internacional)

O Internacional está preocupado com o jogo contra a Universidad de Chile, amanhã, em Santiago, estreia da equipe gaúcha na fase classificatória da Copa Libertadores. E o que inquieta os colorados não é o time adversário, mas os violentos protestos registrados na capital do Chile, que, após um período de calmaria, voltaram com tudo nas últimas semanas.

Em janeiro, quatro pessoas morreram em decorrência de confrontos entre manifestantes e policiais em Santiago. Os manifestantes protestam contra a política econômica e de garantias sociais do governo Sebastián Piñera, de inspiração conservadora. O clima é pesado na cidade desde o segundo semestre do ano passado, quando explodiram articulações gigantescas dos oposicionistas, e os dirigentes do Inter temem pela segurança da delegação. O clube recebeu da Conmebol a informação de que a partida está mantida, ao menos por enquanto.

"Estamos monitorando a situação, como vocês têm acompanhado. Estamos em contato permanente com a Conmebol, e há uma validação de que a partida está mantida. A gente aguarda. Nossa logística está montada e, a princípio, o jogo está mantido. A gente espera que tenha segurança e condições de jogo", disse Alessandro Barcellos, vice-presidente de futebol do Inter.

O jogo pode ser considerado de alto risco também por outro fator: vários dos confrontos ocorridos em Santiago têm envolvido integrantes de torcidas organizadas dos principais clubes chilenos, entre eles a Universidad de Chile. Não será surpresa, portanto, se o ambiente no estádio estiver explosivo.

O técnico Eduardo Coudet também está muito preocupado com a segurança do Inter em sua passagem por Santiago. O argentino, porém, não acredita que os problemas vividos pelos chilenos vão ter alguma influência dentro do campo se o duelo for disputado. "É uma situação difícil que está vivendo o Chile. Tomara que melhore a situação e que a gente possa jogar a partida. Jogar fora de casa é sempre complicado. Eu acho que essa situação não deixa o jogo mais difícil".

TITULARES POUPADOS 

No sábado, Coudet escalou uma equipe reserva no 0 a 0 com o Ypiranga, poupando seus principais jogadores para a partida de Santiago. O duelo de volta está marcado para o dia 11, no Beira-Rio. Caso passe pelo time chileno, o Inter terá de enfrentar mais uma fase eliminatória, desta vez contra o vencedor do confronto entre Macará (Equador) e Tolima (Colômbia), para chegar à fase de grupos da Libertadores. Outro brasileiro na pré-Libertadores, o Corinthians estreará na quarta-feira, fora de casa, diante do Guaraní-PAR, com o jogo de volta dia 12, no Itaquerão.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade