Publicidade

Estado de Minas

Pontinho magro

Com reservas, Atlético fica no empate diante do Tombense, em que brilhou a estrela de atacante vindo da base. Titulares foram poupados para a estreia na Sul-Americana


postado em 03/02/2020 04:00 / atualizado em 02/02/2020 22:17

Com um golaço no segundo tempo, Marquinhos salvou o Galo no Independência, mas o 1 a 1 frustrou a torcida(foto: RAMON LISBOA/EM/D.A PRESS)
Com um golaço no segundo tempo, Marquinhos salvou o Galo no Independência, mas o 1 a 1 frustrou a torcida (foto: RAMON LISBOA/EM/D.A PRESS)

A torcida do Atlético mais uma vez deixou o Independência com uma ponta de decepção após novo empate da equipe pelo Campeonato Mineiro. Depois de o Coimbra dar trabalho na quarta-feira, ontem foi a vez de o Tombense tirar pontos preciosos do time de Rafael Dudamel, que escalou uma formação reserva. No empate por 1 a 1, em jogo de muito equilíbrio, o aspecto positivo foi a entrega dos atletas na marcação e no ataque, o que ao menos evitou que o time alvinegro deixasse o Horto sob vaias.

O confronto de ontem marcou a estreia do armador colombiano Dylan Borrero, de 18 anos, considerado uma das joias do futebol de seu país. Embora tenha sido afobado em vários lances, o atleta construiu boas jogadas, o que traz uma esperança de qualidade no setor ofensivo – um dos mais carentes no grupo.

Dudamel preservou os titulares para o duelo de quinta-feira contra o Unión-ARG, em Santa Fe, pela estreia na Copa Sul-Americana. A equipe se mostrou desentrosada em vários momentos, permitindo que o Tombense chegasse com perigo à meta de Michael – o Galo levou gol pela primeira vez no Estadual, numa jogada de bola parada na etapa inicial, com Matheus completando de cabeça em impedimento. “Controlamos bem o jogo. É claro que, como fomos muito presentes no ataque, foi normal sofrermos contra-ataques. Acredito que não sofremos tanto na defesa. Infelizmente, não foi o resultado que queríamos, mas valeu pela entrega da equipe”, analisou o zagueiro Igor Rabello.

Principal destaque dos donos da casa, o atacante Marquinhos vibrou com o belo gol de fora da área na etapa final, mas se mostrou frustrado com o 1 a 1: “Precisávamos caprichar mais no último terço. Consegui acertar um chute de longe e marcar. Estou feliz pelo gol, mas triste pelo resultado. Trabalhamos muito durante a semana e ficamos chateados quando não conseguimos ganhar. Precisamos evoluir para voltar a vencer”.

O Atlético só teve força diante do Tombense quando Dudamel escalou o volante Allan e o armador Hyoran na etapa complementar. Ambos deram mais dinâmica ao time alvinegro, especialmente na qualidade no passe. Outro titular acionado foi o volante Zé Welison, que corrigiu a marcação depois que Ramón Martinez levou cartão amarelo e precisou ser substituído para não correr o risco de ser expulso.

Dudamel exaltou a disposição dos jogadores: “Apesar do resultado, a partida trouxe boa sensação pelo segundo tempo intenso. No primeiro, jogamos com o mesmo ritmo em todos os setores. No segundo, conseguimos mais possibilidade devido à dinâmica do time. Mas o jogo foi importante porque pude observar a característica de vários atletas, que precisam jogar ao máximo para elevar seu nível”.

''Apesar do resultado, a partida trouxe boa sensação pelo segundo tempo intenso. No primeiro, jogamos com o mesmo ritmo em todos os setores. No segundo, conseguimos mais possibilidade devido à dinâmica do time. Mas o jogo foi importante porque pude observar a característica de vários atletas, que precisam jogar ao máximo para elevar seu nível''

Dudamel, técnico do Atlético


ESQUEMA 

O Galo viaja hoje para Rosario e, na quarta-feira à tarde, segue para Santa Fe. O treinador deve voltar ao esquema 4-3-3 (ontem usou o 4-2-3-1), com a trinca de volantes Zé Welison, Allan e Jair. Dudamel não confirmou, mas a zaga titular será formada por Réver e Gabriel, que ficaram no banco diante do Tombense. Mesmo inscrito, o armador Cazares – com chance de se transferir para o Al Ain, dos Emirados Árabes – não deve viajar para a Argentina.

enquanto isso...

Goleiro sai. Atacantes na mira

No dia em que confirmou a venda do goleiro Cleiton para o Bragantino, o presidente Sérgio Sette Câmara prometeu reforços para o setor ofensivo do Atlético. Ele, porém, não antecipou nomes. “Mas posso garantir que vamos trazer de dois a três jogadores muito bons pra fazer parte do nosso ataque. A torcida pode esperar pros próximos dias.” Há negociações envolvendo os venezuelanos Soteldo, de 22 anos, e Jefferson Savarino, de 23. Diego Tardelli, de 34 anos, também é cogitado. Com a saída de Cleiton o Galo embolsará R$ 23 milhões e ficará com um percentual do jogador, projetando futura negociação para o exterior. Aos 22 anos, ele disputa o Torneio Pré-Olímpico na Colômbia com a Seleção Brasileira Sub-23. O camisa 1 passa a ter um dos maiores salários do Bragantino (cerca de R$ 200 mil), que investiu pesado em contratações em 2020, no ano em que volta à elite nacional. A venda se torna a maior da história entre goleiros do Atlético, superando a transferência de Diego Alves para o Almería-ESP, por cerca de R$ 7 milhões, em 2006.


FICHA TÉCNICA
Atlético 1 x 1 Tombense

Atlético: Michael; Patric, Igor Rabello, Maidana e Lucas Hernández; Martínez (Zé Welison 32 do 2º), Adriano (Allan 13 do 2º), e Dylan Borrero; Bruninho (Hyoran 18 do 2º), Marquinhos e Ricardo Oliveira
Técnico: Rafael Dudamel

Tombense: Felipe; David, Admilton, Matheus e João Paulo; Rodrigo, Marquinhos (Matheus Claudino 35 do 2º) e Ibson; Ortega, Gersinho (Da Silva 19 do 2º) e Rubens (Maycon 29 do 2º)
Técnico: Eugênio Souza

4ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Independência
Gols: Matheus 23 do 1º; Marquinhos 15 do 2º
Árbitro: Murilo Francisco Misson
Assistentes: Marconi Helbert Vieira e Felipe Alan Costa Oliveira
Cartão amarelo: Igor Rabello, Martínez, Marquinhos (Tombense), Felipe, Rodrigo e Da Silva
Público pagante: 10.209
Renda: R$ 106.440
Próximos jogos: URT (f), Caldense (c) e Boa (f)

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade