Publicidade

Estado de Minas CAMPEONATO MINEIRO

Cruzeiro começa o desafio de se reinventar

A torcida celeste reencontrará hoje o time depois da histórica queda para a Série B do Brasileiro e verá contra o Boa uma equipe jovem que precisa de apoio para se reerguer


postado em 22/01/2020 04:00

O armador Maurício, de 18 anos, é uma das apostas do Cruzeiro para a temporada. Ele ocupará a vaga deixada por Thiago Neves(foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
O armador Maurício, de 18 anos, é uma das apostas do Cruzeiro para a temporada. Ele ocupará a vaga deixada por Thiago Neves (foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)


O Cruzeiro encara o Boa hoje, às 21h30, pelo Campeonato Mineiro, no primeiro compromisso oficial na nova realidade: a de time rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro. Não bastasse a queda, o clube atravessa graves problemas financeiros e abriu mão de quase todos os principais jogadores ou foi acionado na Justiça por outros, apostando agora em um time bastante jovem – apenas o goleiro Fábio, o lateral-direito Edílson e o zagueiro Leo, que aceitaram readequação salarial, e o armador Rodriguinho são remanescentes do time que caiu em 2019.

A intenção de todos é mostrar que a equipe pode até ter sido rebaixada, mas o clube continua gigante. E nada melhor para isso que dar demonstração de força, superando o primeiro desafio para manter a hegemonia estadual e iniciando o processo de reconstrução no nível nacional e internacional.

E nem mesmo a presença predominante de jogadores com até 22 anos na escalação muda o panorama. Do zagueiro Cacá, de 20 anos, ao armador Maurício, de 18, passando pelo lateral-esquerdo Rafael Santos (21 anos), pelos volantes Adriano (20) e Edu (19) e pelo atacante Welinton (20), a promessa é de muita entrega para superar a pouca experiência e ajudar a equipe.

“Consigo enxergar com bons olhos, apesar do pouco tempo de treinamento, a entrega dos jogadores. Como é um grupo mais novo, acho que já faremos um jogo competitivo contra o Boa”, afirma o técnico Adilson Batista, que, mesmo sabendo da falta de entrosamento, acredita nos comandados. “Espero que a equipe faça um jogo digno das tradições do Cruzeiro, com posse de bola, boa qualidade técnica, sendo agressiva.”

O desafio será mesmo mostrar que a Raposa continua forte, apesar do momento ruim. Para isso, será muito importante o apoio de jogadores experientes aos mais jovens, principalmente em momentos em que as coisas não saírem como desejado.

Também será preciso que a torcida tenha paciência. Em caso de erro dos jogadores, principalmente os mais jovens, as vaias vão atrapalhar muito, provocando nervosismo e mais equívocos – alguns dos titulares, como Adriano, nunca disputaram nem um minuto sequer no time principal.

O atacante Vinícius Popó, que vinha treinando como titular, acabou cortado da lista de relacionados por opção do técnico Adilson Batista.
 
Ainda sem definir seu futuro, Rodriguinho será o comandante do time de Adilson Batista em campo(foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Ainda sem definir seu futuro, Rodriguinho será o comandante do time de Adilson Batista em campo (foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
 

Sem empolgar

A expectativa sobre o comportamento da torcida celeste só aumenta quando levamos em conta dois fatores. Primeiro, justamente sobre as reações dos torcedores, que se acostumaram a comemorar títulos, como os dois Brasileiros e as duas Copas do Brasil nos últimos sete anos.

Se lotou lojas com o lançamento de novas camisas, agora fornecidas pela Adidas, e aderiu em massa à nova modalidade de sócio-torcedor, o Reconstrução – já são quase 37 mil adesões –, os torcedores ficaram irritados com o preço mínimo de R$ 40 estipulado para a estreia no Mineiro. A diretoria se sensibilizou e anunciou que cada sócio-torcedor das categorias 5 Estrelas terão direito a levar um acompanhante gratuitamente. Até ontem, porém, a procura foi pequena e o público não deverá ser grande hoje.

Para completar, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) baniu as torcidas organizadas Máfia Azul e Pavilhão Independente pelo período de 365 dias devido a inúmeras confusões protagonizadas por elas no ano passado. Com isso, estão proibidas a utilização de vestimentas, faixas, bandeiras e instrumentos musicais dentro do estádio e/ou em um raio de 5 km do Gigante da Pampulha.

Além disso, a Polícia Militar (PM) comunicou que solicitou a todas as torcidas organizadas a apresentação de um cadastro de seus filiados. Como o envio não foi feito, o órgão estadual não permitirá a entrada de mastros, bandeiras, faixas e instrumentos de qualquer uma delas no Mineirão no duelo entre Cruzeiro e Boa. Para os demais jogos, a situação será novamente analisada.

O adversário

Pelo lado do Boa, a intenção é, no mínimo, repetir a campanha do ano passado, quando foi o melhor time do interior, sendo eliminado nas semifinais pelo Atlético. Para isso, a equipe iniciou a preparação ainda em novembro e durante a preparação enfrentou equipes como Atibaia-SP, Pouso Alegre, Operário-MT, Grêmio Osasco-SP e Guarani de Divinópolis. Entre os jogadores, há alguns conhecidos do torcedor mineiro, como o goleiro Renan Rocha e o meia-atacante Gindre, além do volante Nonoca, emprestado pelo Cruzeiro.


ENQUANTO ISSO...

Clube libera TN10

Cruzeiro e Thiago Neves chegaram a acordo parcial na audiência de conciliação realizada ontem na 4ª Vara do Trabalho de Minas Gerais. A cobrança de R$ 16 milhões na Justiça ainda continua, mas o jogador de 34 anos foi autorizado a se transferir para outro clube. “Foi uma audiência boa para ambas as partes. Todo mundo querendo o melhor para as duas partes. Isso que era o mais importante, uma audiência amigável, e isso aconteceu. Vou continuar torcendo pelo Cruzeiro, mas eu também tinha que pegar minha liberação para seguir minha vida”, afirmou o ex-camisa 10 celeste. “A audiência transcorreu bem. O Cruzeiro ofereceu para ele permanecer no clube, o que foi recusado pelo jogador alegando falta de segurança para morar em BH. Então, o clube resolveu liberá-lo dos direitos federativos. Não foi julgado o mérito, o Cruzeiro não reconhece nenhuma culpa”, afirmou o novo superintendente jurídico da Raposa, Kris Bretas.


FICHA TÉCNICA

Cruzeiro x Boa

Cruzeiro: Fábio; Edílson, Cacá (Manoel), Leo e Rafael Santos; Adriano, Edu (Jadsom), Maurício, Rodriguinho e Welinton; Judivan
Técnico: Adilson Batista
Boa: Renan Rocha; Chiquinho Alagoano, Wesley, Fernando Fonseca e Cesinha (Carlinhos); Claudeci, Caio César (Nonoca) e Gindre; Leo Goteira, Carlinhos e Jefferson
Técnico: Nedo Xavier
1ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Mineirão
Horário: 21h30
Árbitro: Ronei Cândido Alves
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Leonardo Henrique Pereira
TV: Pay per view

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade