Publicidade

Estado de Minas CRUZEIRO

Contra o Inter, Edílson precisa recuperar o bom futebol

Com a convocação de Orejuela pela Seleção Colombiana, Edílson será titular pela primeira vez com Rogério Ceni amanhã e precisa apagar a imagem ruim de suas últimas atuações com a camisa celeste


postado em 03/09/2019 04:00 / atualizado em 02/09/2019 22:28

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

"É um jogo decisivo. Por isso, tenho de estar 100% concentrado para não cometer nenhum erro"

Edílson, lateral-direito celeste

 
 
Experiência, currículo recheado de títulos e bolas paradas com qualidade. Tais virtudes, que se tornam fundamentais em jogos de grande magnitude, se aplicam ao lateral-direito Edílson, contratado pelo Cruzeiro com status de estrela em dezembro de 2017, depois de vencer a Copa Libertadores pelo Grêmio. Mas, depois de uma temporada e meia, o jogador de 33 anos não manteve o nível e perdeu a condição de titular no clube celeste para Orejuela. Com a ausência do colombiano, convocado para defender a seleção de seu país, Edílson volta à cena em momento de dúvidas no importante confronto de amanhã contra o Internacional, às 21h30, no Beira-Rio, pelas semifinais da Copa do Brasil.

Será a primeira vez em que o camisa 2 começará uma partida desde que Rogério Ceni assumiu a Raposa. A entrada do jogador ocorre depois de vários episódios que diminuíram seu prestígio com a torcida. Nesta temporada, ele já foi expulso duas vezes – contra Avaí e o próprio Internacional, pelo Brasileiro – e acumula falhas que prejudicaram os mineiros na fase ruim que culminou na demissão de Mano Menezes no começo do mês passado. Coincidentemente, o atleta será julgado hoje no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelo cartão vermelho recebido diante dos catarinenses, podendo pegar de uma a seis partidas de suspensão por ter xingado o árbitro. A punição seria cumprida no Brasileiro.

Para que o Cruzeiro possa vencer por pelo menos um gol de diferença para levar a decisão da vaga para os pênaltis, um dos desafios de Edílson será manter o equilíbrio emocional. Certamente, ele enfrentará um ambiente hostil da torcida colorada, já que existe antiga rixa desde que o jogador defendeu o Grêmio. O lateral-direito também se envolveu em confusão com o uruguaio Nico López no último duelo entre mineiros e gaúchos, em 12 de maio, com direito a cotoveladas e sangue no rosto do camisa 7 do time gaúcho.

Edílson disse que o lance naquele dia não foi por maldade: “Como fui eu que acertei o braço no rosto do Nico, fica mais fácil falar (que teve maldade). Peço desculpa, foi o que fiz, era o mínimo que poderia fazer naquele momento. Não tenho nada contra o Nico López, não conheço, mas não tenho nada contra. Não chegou a ser uma atitude errada porque não quis pegar o rosto dele. Acabei pegando. Mas isso está bem lá atrás”.

O camisa 2 sabe que precisa estar bem mentalmente para mostrar o melhor futebol e ajudar o Cruzeiro a chegar à final da competição de mata-mata: “Agora é um jogo decisivo. Por isso, tenho de estar 100% concentrado para não cometer nenhum erro. O sentimento é de jogar uma semifinal de Copa do Brasil e poder chegar de novo a uma decisão. O Inter era meu rival um tempo atrás, quando estava no Grêmio, mas agora estou em outro clube, no Cruzeiro, e jogo decisivo tem importância. Pensamos em chegar à final pela terceira vez seguida”.

Titular inquestionável no ano passado, Edílson fez apenas 20 jogos em 2019, sendo 11 no Campeonato Mineiro. Ele ficou ausente da equipe por mais de dois meses por causa de um estiramento na panturrilha direita. A lesão ocorreu no aquecimento da partida contra a Chapecoense, em 26 de maio, no Independência. O jogador passou por tratamento e só voltou no jogo contra o Avaí, em 11 de agosto, quando foi expulso. Nesse período da ausência do camisa 2, Lucas Romero (que já deixou o clube) foi improvisado em vários jogos na direita e Orejuela ganhou a posição de titular.

Se Edílson está praticamente certo na direita, o mesmo não se pode dizer do zagueiro Leo, que não atuou na vitória de domingo sobre Vasco por 1 a 0, no Mineirão. O jogador se recupera de problema muscular na coxa direita e não atua desde o jogo contra o Avaí. A expectativa é de que ele volte a treinar com o grupo hoje à tarde, em Porto Alegre – a delegação celeste viajou ontem à noite. Caso ele não atue, Fabrício Bruno continuará como titular ao lado de Dedé.
 
Na saída da Toca para Confins, a força dos torcedores a caminho do duelo com o Inter(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Na saída da Toca para Confins, a força dos torcedores a caminho do duelo com o Inter (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
 

APOIO

Cerca de 200 torcedores do Cruzeiro marcaram presença na porta da Toca da Raposa II, na noite de ontem, para apoiar os jogadores a caminho da partida de volta das semifinais da Copa do Brasil, contra o Inter. Com muitos sinalizadores, os cruzeirenses aproveitaram para fazer festa na saída do ônibus do CT rumo ao Aeroporto de Confins, de onde a delegação seguiu para Porto Alegre. Hoje o grupo realizará atividade no CT do Grêmio, às 14h30.


ESTRELADAS...
(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
 

Primeira entrevista

O armador Maurício (foto) roubou a cena ontem na Toca da Raposa II. Autor do gol que garantiu a vitória sobre o Vasco, ele concedeu sua primeira entrevista coletiva desde que subiu ao time profissional. Ele é o primeiro jogador nascido no século XXI a balançar as redes pela Raposa. “O trabalho da base é bom e qualificado. Os jogadores que estão aqui têm muito o que aprender e o Rogério tem nos ajudado bastante para trabalharmos sempre mais. Cheguei no ano passado aqui e tinha alguns defeitos no meu estilo de jogo. Aprendi muito com o Mano e agora tenho evoluído com o Rogério e com o Nelson (auxiliar), que trabalhou comigo no São Paulo”, afirmou o armador de 18 anos.

Reforço na área

Perto de ser anunciado como primeiro reforço desde a chegada de Rogério Ceni, o atacante Ezequiel começou a treinar com os companheiros na Toca da Raposa II. Mesmo que vários detalhes da negociação ainda não tenham sido fechados, ele foi liberado pelo Botafogo (dono de seus direitos econômicos) para começar a preparação. O jogador já passou por uma parte dos exames médicos e assinará contrato nos próximos dias. Ele chega para ser mais uma peça de velocidade no atual grupo, que já conta com Marquinhos Gabriel, Pedro Rocha e David.



Publicidade