Publicidade

Estado de Minas

Triunfo providencial

Cruzeiro derrota o Vasco, na segunda vitória com Rogério Ceni no Brasileiro, e pega embalo para o duelo decisivo pela Copa do Brasil, contra o Internacional, quarta-feira


postado em 02/09/2019 04:00 / atualizado em 01/09/2019 23:36

Armador Maurício, de 18 anos, que subiu para o profissional da Raposa nesta temporada, comemorou seu primeiro gol com a camisa celeste, levando a torcida à loucura no Mineirão, na noite de ontem(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Armador Maurício, de 18 anos, que subiu para o profissional da Raposa nesta temporada, comemorou seu primeiro gol com a camisa celeste, levando a torcida à loucura no Mineirão, na noite de ontem (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)


A fundamental mistura entre juventude e experiência foi determinante para que o Cruzeiro conquistasse a segunda vitória, ambas como mandante, sob o comando de Rogério Ceni neste Campeonato Brasileiro. O triunfo por 1 a 0 sobre o Vasco, ontem à noite, no Mineirão, teve o toque de dois jogadores, numa partida em que o jogo coletivo celeste demorou para encaixar: se o consagrado goleiro Fábio, mais uma vez, mostrou brilho ao defender a cobrança de pênalti de Yago Pikachu, o prata da casa Maurício, de 18 anos, saiu de campo como herói ao marcar seu primeiro gol como profissional e assegurar os três pontos essenciais para os cruzeirenses.

O resultado positivo não poderia ter vindo em melhor momento. Além de afastar a Raposa um pouco mais da zona de rebaixamento do Brasileiro, a vitória garante injeção de ânimo extra para a equipe lutar pela classificação à final da Copa do Brasil, diante do Internacional, quarta-feira, no Beira-Rio. O time celeste precisará de equilíbrio e futebol ofensivo para tirar a vantagem dos gaúchos, que venceram por 1 a 0, em Belo Horizonte, na última partida de Mano Menezes como treinador celeste.

Rogério Ceni afirma que o Cruzeiro terá postura ofensiva na casa do adversário: “Estamos indo mais cedo para Porto Alegre para recuperar e descansar os jogadores. Vamos tentar desenvolver alguma coisa na parte tática nesses dias. É um jogo difícil, o Inter é favorito. Mas não temos que colocar peso nessa partida. Vamos colocar a bola no chão e tentar vencer”.

Diante de um Vasco que vem crescendo a cada partida sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, o Cruzeiro jogou ontem o que muitos chamam de “feijão com arroz”. Mas há de se ressaltar que vem evoluindo desde a chegada de Ceni, que está invicto na Raposa. Os donos da casa não foram os mesmos da vitória sobre o Santos, e nem mesmo do empate com o CSA, em Maceió. Ceni chegou a ficar irritado com a quantidade de erros infantis. Em certos momentos, a Raposa desperdiçou passes curtos – permitindo que o Vasco chegasse com perigo no contra-ataque – e não mostrou a intensidade que o treinador queria na transição ofensiva.

O goleiro Fábio reconheceu a dificuldade durante os 90 minutos, valorizou a vitória e o pênalti defendido no segundo tempo – foi a 28ª defesa dele em penalidades com a camisa celeste: “A vitória veio com a superação de todos e num momento crucial do jogo. Enfrentamos muita pressão, mas todos fizeram excelente trabalho. Pude fazer uma defesa importante e ajudar na vitória”.

Substituto de Leo pelo terceiro jogo consecutivo, o zagueiro Fabrício Bruno disse que a retranca vascaína impediu que o Cruzeiro criasse mais chances de gol: “Tentamos o gol desde o início. O adversário baixou suas linhas e isso nos dificultou. Mas a brecha que eles deram no contra-ataque foi fatal para que o Maurício marcasse o gol da vitória”.

CONFIANÇA


A defesa de pênalti de Fábio foi comemorada pela torcida como se fosse um gol. E também deu aquela chacoalhada geral em todo o time na parte final do jogo. O lance que deu a vitória ao Cruzeiro foi quase todo construído por David, jogador que vem tendo mais chances com o novo treinador. O camisa 11 recebeu na intermediária, carregou a bola entre os defensores adversários e rolou na medida para Maurício chutar de canhota e vencer o goleiro Fernando Miguel. Nos minutos finais, o Vasco tentou, sem sucesso, o empate, depois de ter vários escanteios cortados pela defesa celeste.

Cruzeiro
Fábio; Orejuela, Dedé, Fabrício Bruno e Egídio; Henrique, Robinho (Ederson 39 do 2º), David, Thiago Neves (Maurício 21 do 2º) e Marquinhos Gabriel; Pedro Rocha (Fred 15 do 2º)
Técnico: Rogério Ceni

Vasco
Fernando Miguel; Yago Pikachu, Henríquez, Ricardo e Danilo Barcelos; Richard, Raúl e Marcos Júnior; Rossi (Tiago Reis 31 do 2º), Marrony (Fellipe Bastos 31 do 2º) e Talles (Valdívia 26 do 2º)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

17ª rodada do Campeonato Brasileiro

Estádio: Mineirão
Gol: Maurício 35 do 2º
Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Danilo Ricardo Manis (SP)
VAR: Wagner Reway (PB)
Cartão amarelo: Robinho, Raúl, Henrique, Talles, Rossi e Marquinhos Gabriel
Pagantes: 18.853 (26.052 presentes)
Renda: R$ 281.902
Próximos jogos: Grêmio (c), Palmeiras (f) e Flamengo (c)


Estreladas...


• Ingressos esgotados 
A vantagem construída pelo Internacional no Mineirão, no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil, deixou a torcida colorada animada.  Tanto que já estão esgotados os ingressos para a partida de quarta-feira, no Beira-Rio. Um novo recorde de público do estádio pode ser estabelecido, mas, para que isso ocorra, será preciso superar a marca dos 49.614 torcedores que estiveram no duelo com o Flamengo,  pela Copa Libertadores – empate por 1 a 1, que resultou na eliminação dos gaúchos do torneio continental.

• Reforço para o ataque
O Cruzeiro inicia a semana concentrado no Internacional, mas também pode apresentar o primeiro reforço da era Rogério Ceni. O atacante Ezequiel, de 21 anos, já está em Belo Horizonte e depende apenas dos exames médicos para assinar contrato com a Raposa.  Nova opção de velocidade pelos lados do campo, Ezequiel chega por indicação do treinador. Ele foi emprestado pelo Botafogo e o valor da negociação deverá girar em torno de R$ 500 mil, por vínculo até o fim do ano. Se o time celeste quiser ficar com o atacante em definitivo, 80% dos direitos econômicos serão fixados em R$ 11,5 milhões.


Publicidade