Publicidade

Estado de Minas CRUZEIRO

Time feminino treina hoje no Pacaembu


postado em 17/08/2019 04:00

Antes de viajar para a capital paulista, jogadoras do Cruzeiro treinaram no câmpus da PUC, no Coração Eucarístico(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Antes de viajar para a capital paulista, jogadoras do Cruzeiro treinaram no câmpus da PUC, no Coração Eucarístico (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)


Com a preocupação de ter um time descansado para enfrentar a primeira batalha da final da Série A2 do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, amanhã, às 14h, contra o São Paulo, no Pacaembu, na capital paulista, o Cruzeiro mudou a programação que vinha sendo usada nas fases anteriores. Pela primeira vez, o time viajou para São Paulo dois dias antes da partida. Hoje, fará um treino de reconhecimento do gramado no estádio da decisão.

De acordo com o regulamento da competição, quando um time vai jogar a até 700 quilômetros de sua sede – na A1, que é a Primeira Divisão, essa distância diminui para 500 quilômetros –, a viagem, que é arcada pela CBF, é feita de ônibus. Somente quando a distância é superior as jogadoras viajam de avião. De Belo Horizonte a São Paulo são 584 quilômetros.

Por isso, segundo o técnico Hoffman Túlio, foi importante o time treinar pela manhã, no campo da PUC Minas, no Bairro Coração Eucarístico. Em seguida, as jogadoras almoçaram e viajaram. “Se fizéssemos essa viagem amanhã (hoje), o time estaria cansado no domingo.”
 
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
 

"O Pacaembu é um campo com as mesmas dimensões do Sesc, em Venda Nova, onde mandamos todos os nossos jogos. Isso é um ponto a nosso favor"

Hoffman Túlio, técnico celeste

 
O treinador celeste lembra que o time paulista é uma equipe forte, que tem, por exemplo, a atacante Cristiane, da Seleção Brasileira, embora ela ainda seja dúvida. “Ela se contundiu quando estava no Mundial da França e ainda não havia voltado a treinar. Se jogar, é uma atleta que terá de receber uma marcação especial.”

Para Hoffmann, o fato de jogar no Pacaembu é melhor do que se o adversário fosse o Palmeiras, contra quem o São Paulo jogou a semifinal. “O campo do Palmeiras é bem pior, menor, mais estreito. Prejudicaria nossa maneira de jogar, nosso toque de bola e troca de passes. Já o Pacaembu é um campo com as mesmas dimensões do Sesc, em Venda Nova, onde mandamos todos os nossos jogos. Isso é um ponto a nosso favor.”

Para o jogo de amanhã, segundo o treinador, será muito importante o Cruzeiro não sofrer gol, uma vez que o segundo jogo da decisão foi confirmado para o Mineirão, dia 25, às 14h, onde o time terá o apoio da torcida na busca pelo título. 



Publicidade