Publicidade

Estado de Minas

Com V de vingança

Atlético quebra a sina de cair em mata-matas para o Botafogo, vence os cariocas pela Sul-Americana e abre em BH o duelo com o colombiano La Equidad por vaga na semifinal


postado em 01/08/2019 04:07

Fábio Santos abriu o placar para o Galo, e Vinícius selou a vitória no segundo tempo no Independência: caiu tabu de 25 anos(foto: Fotos: RAMON LISBOA/EM/D.A PRESS)
Fábio Santos abriu o placar para o Galo, e Vinícius selou a vitória no segundo tempo no Independência: caiu tabu de 25 anos (foto: Fotos: RAMON LISBOA/EM/D.A PRESS)


Se não for com certa dose de sofrimento, não é Atlético. Tem sido assim nos últimos anos e não foi diferente no confronto de ontem com o Botafogo, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Com gols na etapa complementar, o Galo venceu por 2 a 0 e cumpriu o objetivo de chegar à próxima fase da competição internacional, assegurando R$ 2,3 milhões de cota de participação. O adversário do time mineiro nas quartas será o colombiano La Equidad, com o primeiro jogo em Belo Horizonte dia 20 ou 21 de agosto. E o da volta, na Colômbia, 27 ou 28. A definição será amanhã.

Com o resultado, o Atlético se livra de uma sina que durava 25 anos. Desde 1994, nas quartas de final do Campeonato Brasileiro, foi a primeira vez que a equipe eliminou os cariocas num mata-mata, se vingando das quedas na Copa do Brasil de 2017, 2013, 2008 e 2007, além de eliminações na própria Sul-Americana em 2011 e 2008. E continua com o sonho de trazer um título internacional nesta temporada, amenizando a recente frustração pela queda diante do Cruzeiro na Copa do Brasil. O alvinegro volta a campo justamente contra os celestes, domingo, às 19h, novamente no Horto, pelo Brasileiro.

Depois da vitória por 1 a 0 no Engenhão, imaginava-se que a busca pela classificação fosse mais tranquila. Mas não ocorreu do jeito que os mais 22 mil torcedores esperavam. Na noite fria em Belo Horizonte, o que se viu no começo foi uma equipe afoita no momento de finalizar ao gol botafoguense. Erros de passe no meio-campo, perdas de bola infantis e espaços deixados na retaguarda foram os maiores adversários no Horto. Para piorar, Ricardo Oliveira e Chará tiveram desempenho abaixo do esperado e irritaram a torcida ao perder várias chances. O camisa 9 completou o 14º jogo sem marcar. O torcedor quase ficou com o coração na boca no primeiro tempo: numa cobrança de falta o Botafogo acertou a trave.

Na etapa final, porém, o domínio foi quase todo atleticano. E brilhou a estrela do volante Jair. Esse gaúcho de 24 anos vem ocupando o lugar do recém-aposentado Adílson com inteligência e consistência técnica e tática. Além de marcar com precisão, ele foi importante no setor ofensivo, sofrendo o pênalti que abriu caminho para o triunfo mineiro – o lateral-esquerdo Fábio Santos converteu a cobrança com belo chute no canto esquerdo superior de Gatito Fernández.

O zagueiro Igor Rabello destacou o comprometimento dos donos da casa na marcação e valorizou a sequência de três jogos sem levar gol: “O Botafogo costuma dificultar muito nos jogos fora de casa, mas fomos superiores e vencemos. É mais um tabu que quebramos. É o conjunto que fez a diferença. Todo mundo teve o mérito na marcação. É importante não tomar gol porque vamos sempre fazer lá na frente”.

Mas a tranquilidade total só veio com o gol de Vinícius, selando a classificação. Substituto de Cazares, o armador já havia marcado na vitória no Rio e vem crescendo a cada jogo com a camisa alvinegra. Ele aproveitou rebote em chute de Ricardo Oliveira e emendou da entrada da área. Outros jogadores também mostraram boa atuação, como o lateral-direito Patric e o volante Elias.

SEM VICTOR Para o clássico com o Cruzeiro o Galo dificilmente contará com o goleiro Victor, ainda em tratamento de tendinite no joelho esquerdo. Com isso, Cleiton – muito elogiado pela comissão técnica – continuará como titular no gol. Fica a expectativa de a equipe ter à disposição novamente o armador Cazares, que está há uma semana sem atuar por causa de uma conjuntivite. O jogador deve ser liberado para voltar aos treinos com o grupo a partir de hoje.
 
FICHA TÉCNICA 
Atlético 2 x 0 Botafogo
Atlético: Cleiton; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Jair, Elias, Vinícius, Otero (Geuvânio 16 do 2º) e Chará (Luan 38 do 2º); Ricardo Oliveira
Técnico: Rodrigo Santana
Botafogo: Gatito Fernández; Marcinho, Marcelo Benevenuto, Cícero e Gílson; João Paulo (Alan Santos 21 do 2º), Gustavo Buchecha (Igor Cássio 33 do 2º) e Alex Fernando; Rodrigo Pimpão (Leo Valencia 26 do 2º), Luiz Fernando e Diego Souza
Técnico: Eduardo Barroca
Jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana
Estádio: Independência
Gols: Fábio Santos 31 e Vinícius 40 do 2º
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)e Bruno Pires (GO)
VAR: Leodán González (URU)
Cartão amarelo: Vinícius, Marcelo Benevenuto e Jair
Pagantes: 22.385
Renda: R$ 465.166
Próximo jogo: La Equidad (c)


Di Santo na área
O Atlético anunciará nas próximas horas a contratação do atacante argentino Franco di Santo (no alto, à esquerda), de 30 anos, com passagens por Chelsea, Werden Bremen, Shalke 04 e Rayo Vallecano. Presente no Independência ontem, o jogador, de 1,93m, estava disponível no mercado desde que deixou o clube espanhol recentemente. Hoje ele passará por exames médicos e assinará contrato com os mineiros. Seu empresário, Gustavo Goñi, é o mesmo que contribuiu na vinda de Lucas Pratto para a Cidade do Galo no início de 2015 – o centroavante do River Plate teria dado boas referências do clube ao novo contratado alvinegro. O Galo tentou primeiramente contratar Luciano, mas o atleta acabou indo para o Grêmio. Di Santo estava na pré-convocação da Argentina para a Copa do Mundo da Rússia. No entanto, ficou fora da lista de 23 jogadores do técnico Jorge Sampaoli. O atacante tem 60 gols em 355 jogos oficiais na carreira.


Publicidade