Publicidade

Estado de Minas

Brilho na ginástica em Lima


postado em 01/08/2019 04:06

Arthur Nory foi medalha de prata e Chico Barretto levou o ouro na barra fixa(foto: LUIS ROBAYO/AFP)
Arthur Nory foi medalha de prata e Chico Barretto levou o ouro na barra fixa (foto: LUIS ROBAYO/AFP)


A equipe brasileira de ginástica artística se despediu dos Jogos Pan-Americanos Lima, ontem, com resultados históricos. Em número de medalhas (11), se igualou à edição do Rio de Janeiro’2007, mas desta vez teve duas pratas a mais. Há 12 anos, o Brasil foi o primeiro colocado na modalidade, com quatro ouros, duas pratas e cinco bronzes. No Peru, foram quatro ouros, quatro pratas e três bronzes, terminando no segundo lugar geral, atrás apenas dos Estados Unidos, que também voltarão para casa com 11 medalhas, porém, uma prata a mais.

As últimas quatro medalhas da lista brasileira foram garantidas ontem. As mais empolgantes vieram da barra fixa, com a dobradinha entre Chico Barretto (ouro) e Arthur Nory (prata). Foi a segunda vez que dois atletas brasileiros ocuparam os lugares mais altos do pódio no evento peruano – a primeira foi no individual por aparelhos, que teve Caio Souza como campeão e Nory como vice.

Chico Barretto foi o grande nome da equipe em Lima, com três ouros. Venceu ainda no cavalo com alças (medalha inédita para o país) e na final por equipes masculina. “Estamos colhendo os frutos dos bons treinamentos. O mais importante será o Mundial, que valerá vaga para Tóquio. Lá, o nível será bem mais elevado. Mas os resultados aqui mostram que estamos no caminho certo”, diz o paulista, referindo-se ao Mundial de Stuttgart, na Alemanha, de 4 a 13 de outubro, que valerá vaga nos Jogos Olímpicos do ano que vem.

Caio Souza também faturou três medalhas, sendo dois ouros (por equipes e no individual geral) e a prata de ontem, nas barras paralelas, a primeira medalha brasileira nesse aparelho. “Eu havia dito, antes do Pan, que vinha ao Peru para fazer história. Consegui, pois foram dois ouros e essa inédita das paralelas. Tudo o que aconteceu aqui é consequência do trabalho que o Brasil vem fazendo. Estamos obtendo resultados”, disse.

Arthur Nory, dono de um ouro e duas pratas, falou sobre a dificuldade para chegar ao Pan de Lima em forma, uma vez que teve detectado um problema crônico na cartilagem do joelho esquerdo. “Parei de pular e saltar, para seguir competindo. Mas isso foi bom porque pude me concentrar mais nas barras e no cavalo com alças. Estou muito feliz com o resultado, meu e de toda a equipe.”

MULHERES No solo, Flávia Saraiva mostrou mais uma vez seu talento e garantiu sua terceira medalha no Pan. As outras, também de bronze, vieram na final por equipes e na final individual por aparelhos.  Com o resultado, a ginasta de 19 anos se tornou a quarta brasileira a conquistar medalha no solo em Pan-Americanos, todas de bronze – Daniele Hypólito em Guadalajara’2011, Dayane dos Santos em Winnipeg’1999 e Jade Barbosa no Rio’2007.

BRASIL NO PAN
Hoje
Boxe
22h15 81kg – final (Keno Machado)
23h15 57kg – final (Jucielen Cerqueira)

Ciclismo
14h41 Velocidade por equipes masculino

Handebol masculino
20h Peru x Brasil

Saltos ornamentais
12h Trampolim 1m masculino (Luís Felipe Moura)
21h Trampolim 3m sincronizado feminino  – final (Juliana Veloso/Luana Lira)

Vôlei masculino
22h30 Brasil x Chile
 


Publicidade