Publicidade

Estado de Minas

Tranquilidade por um final diferente

O Cruzeiro trouxe um bom resultado da Argentina e tem um time mais forte do que aquele goleado pelo River em 2015, no Mineirão, depois de vencer em Buenos Aires


postado em 25/07/2019 04:08

O goleiro Fábio, que teve outra grande atuação na terça-feira, em Bueno Aires, é um dos poucos remanescentes de 2015, quando o Cruzeiro foi goleado por 3 a 0 pelo River Plate, no Mineirão(foto: JUAN MABROMATA/AFP)
O goleiro Fábio, que teve outra grande atuação na terça-feira, em Bueno Aires, é um dos poucos remanescentes de 2015, quando o Cruzeiro foi goleado por 3 a 0 pelo River Plate, no Mineirão (foto: JUAN MABROMATA/AFP)
 

O próximo compromisso do Cruzeiro é contra o Athletico, sábado, às 19h, pelo Campeonato Brasileiro, mas as atenções de todos no clube estão voltadas para o jogo com o River Plate, terça-feira, às 19h15, também no Mineirão, valendo vaga nas quartas de final da Copa Libertadores. No primeiro jogo das oitavas, terça-feira, em Buenos Aires, houve empate sem gols e quem vencer fica com a vaga. No caso de novo 0 a 0, a decisão ocorrerá na disputa de pênaltis, sendo que qualquer outra igualdade beneficiará os argentinos.

A situação é considerada boa pelos cruzeirenses. Porém, como há pouco mais de quatro anos a Raposa foi surpreendida pelos Millonarios em pleno Gigante da Pampulha – depois de vencer o primeiro jogo, fora, por 1 a 0, acabou goleada por 3 a 0, em casa, sendo eliminada nas quartas de final do torneio continental –, a promessa é de concentração total.

“O empate nos dá certa tranquilidade, mas estamos cientes de que se não fizermos por onde dentro de campo a vantagem pode ser do adversário. Precisamos estar concentrados, atacar com responsabilidade e defender da melhor forma possível. (O River Plate) É uma equipe perigosa, atual campeã da América, então precisamos estar concentrados e atentos em todos os momentos para conseguir a classificação”, afirma o goleiro Fábio.

Ele e o volante Henrique são remanescentes da equipe de 2015, que era bicampeã brasileira, mas não foi longe na Libertadores. Também integravam aquele grupo o goleiro Rafael e o zagueiro Leo, que não entraram em campo. Já o zagueiro Dedé não foi inscrito na Libertadores’2015 por estar se recuperando de cirurgia no joelho.

No primeiro jogo, o então técnico Marcelo Oliveira escalou a equipe com Fábio; Mayke, Manoel, Bruno Rodrigo e Mena; Willians, Henrique, Marquinhos, De Arrascaeta (Gabriel Xavier 12 do 2º) e Willian (Charles 24 do 2º); Leandro Damião (Henrique Dourado 45 do 2º). O gol da vitória foi de Marquinhos, aos 36min do segundo tempo. Na partida de volta, a formação foi Fábio; Mayke, Manoel, Bruno Rodrigo e Mena; Willians (Joel 26 do 2º), Henrique, Marquinhos, De Arrascaeta (Gabriel Xavier, intervalo) e Willian (Alisson 10 do 2º); Leandro Damião. O Mineirão recebeu quase 54.898 pagantes, que viram Sanchez e Maidana abrirem 2 a 0 para os argentinos no primeiro tempo e Teo Gutiérrez fechar o placar no segundo.

“É mais um jogo em que você tem que entregar tudo, independentemente de jogar em casa. É um jogo duro, a gente enfrenta um grande adversário. Tem que ter inteligência, concentração e saber colocar isso no momento certo, para não fazer de mais uma coisa e de menos outra”, diz ele, sobre a obrigação celeste de vencer o jogo para avançar sem necessidade de pênaltis.

A forma como o empate foi obtido em Buenos Aires, com o adversário desperdiçando pênalti no último lance, é levada pelos cruzeirenses como um ponto positivo, apesar de lamentarem alguns contra-ataques não aproveitados. “Um jogo desta grandeza é feito por partes. Então, mesmo sofrendo como sofremos, com o assédio do adversário, a confiança que se ganha para decidir em casa se torna ainda maior. E isso altera o rendimento que podemos ter nos nossos domínios. Futebol vive dessa confiança, o grupo fica mais encorpado, acredita até o fim. Vamos respeitar o adversário, mas ambicionando nossa classificação. Acho que o jogo de terça vai influenciar positivamente”, argumenta o técnico Mano Menezes.

RECUPERAÇÃO Para o jogo de volta da Libertadores, ele aguarda que atletas como os armadores Robinho e Thiago Neves estejam melhores fisicamente. E também que quem não jogou, como o atacante Fred, tenha condições de jogo.

Para a partida de sábado, é certo que ele vai colocar em campo uma equipe alternativa. A escalação deverá ser definida amanhã.


ENQUANTO ISSO...
...Promoção de ingressos
Para atrair a torcida, a diretoria do Cruzeiro estabeleceu preços populares para todos os setores do Mineirão no jogo contra o Athletico-PR, sábado, às 19h, pela 12ª rodada do Brasileiro. Para os setores Amarelo Inferior e Vermelho Inferior, os bilhetes custam R$ 10, enquanto no Amarelo Superior, Vermelho Superior e Roxo Superior, R$ 20. Estarão abertos, hoje e amanhã, das 10h às 19h, as bilheterias do ginásio do Barro Preto e a Sul do Mineirão. No sábado, o posto da região central fecha às 17h, enquanto no Mineirão a venda vai até as 20h.


Publicidade