Publicidade

Estado de Minas

Dobradinha histórica

Felipe Lima e João Gomes Júnior ficaram com a prata e o bronze, respectivamente, na prova dos 50m peito. É a primeira vez que dois brasileiros sobem ao mesmo pódio nesta competição


postado em 25/07/2019 04:08

Felipe Lima (prata) e João Gomes Júnior (bronze) comemoram a dobradinha brasileira nos 50m peito em Gwangju, na Coreia do Sul(foto: Oli SCARFF/AFP)
Felipe Lima (prata) e João Gomes Júnior (bronze) comemoram a dobradinha brasileira nos 50m peito em Gwangju, na Coreia do Sul (foto: Oli SCARFF/AFP)


Em dobradinha inédita para o Brasil, os nadadores Felipe Lima e João Gomes Júnior brilharam ontem no Mundial de Esportes Aquáticos, disputado em Gwangju, na Coreia do Sul. Eles conquistaram as medalhas de prata e bronze nos 50m peito. Foi a primeira vez que o país registrou uma dobradinha no pódio em uma final de Mundial de piscina longa (50 metros).

Lima chegou à frente do compatriota ao registrar o tempo de 26s66, contra 26s69 de João Gomes. O campeão mundial foi o britânico Adam Peaty, com o tempo de 26s06. O vencedor era mesmo o grande favorito. Antes, vencera a prova dos 100m peito, com direito a recorde mundial na fase eliminatória.

Em uma disputa apertada, Peaty dominou do começo ao fim. Como de costume, em distância de 50m, a prova foi decidida na batida de mão. Logo após, Lima cumprimentou o britânico e nadou até a raia do compatriota para um abraço de comemoração.

Em comparação aos resultados das semifinais, Lima piorou ligeiramente o seu tempo. Antes, ele anotara 26s62. João Gomes, que marcara 26s84, mostrou evolução. E Peaty foi ainda melhor do que os 26s11 registrados na fase anterior.

“Isso é muito gratificante, o Brasil merece. As pessoas que estão acompanhando, que acreditaram na gente, torceram por nós, nossas famílias e amigos, companheiros de equipe. Tudo isso é muito gratificante, tivemos uma rotina muito árdua para chegar aqui. Tivemos eliminatórias, semifinais, final. Estou muito feliz com o resultado, ainda mais com o meu parceiro de treino”, comemorou Lima, que é ex-atleta do Minas – transferiu-se para o Pinheiros-SP.

A dobradinha confirmou os bons resultados que o Brasil vem obtendo em Mundiais tanto de piscina longa (50 metros), como este que acontece na Coreia do Sul, quanto nos de piscina curta (25 metros). Em Budapeste, há dois anos, João Gomes, de 33 anos, faturou a prata nesta mesma prova. Lima, de 34, foi bronze nos 100m peito no Mundial de Barcelona’2013.

“O João foi prata em Budapeste. Neste ano, eu vim para incomodar um pouquinho ele, um incômodo bom. Isso só traz mais gás para os treinos, pensando agora nos Jogos Pan-Americanos”, disse Lima, que treina diariamente com o companheiro.

João Gomes também elogiou o amigo e companheiro de treino. “O Felipe é um cara que, quando comecei, me espelhava nele. Tínhamos quase a mesma idade. Sempre o via nadando e queria chegar onde ele estava. Graças a Deus, estou no pódio junto com ele. Ele merece, vem batalhando há muito tempo neste cenário.”

Com o resultado obtido ontem, o Brasil chegou a três medalhas na natação neste Mundial de Esportes Aquáticos, sendo cinco no total. Antes, Nicholas Santos conquistara o bronze nos 50m borboleta. Na maratona aquática, em águas abertas, Ana Marcela Cunha faturou dois ouros, nas distâncias de 5km e 25km.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade