Publicidade

Estado de Minas

Bronze da experiência


postado em 23/07/2019 04:06

"Estou muito satisfeito, com 39 anos, fazendo história na natação" Nicholas Santos, nadador brasileiro (foto: Oli SCARFF/AFP)


O nadador brasileiro Nicholas Santos, de 39 anos, voltou a se destacar no cenário mundial das piscinas. Ontem, ele conquistou a medalha de bronze na prova dos 50m borboleta do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, disputado em Gwangju, na Coreia do Sul, com o tempo de 22s79. Assim, atualizou uma marca que já era dele: o de nadador mais velho a conquistar uma medalha na história dos Mundiais, já que, aos 37, tinha sido prata em Budapeste’2017, na Hungria.

“Foi um pouquinho distante do que eu tinha planejado. Tinha como objetivo 22s40. Mais uma vez acho que na saída o árbitro segurou bastante, isso atrapalha nas provas de velocidade. Mas estou satisfeito, praticamente não estaria aqui não fosse o convite da Federação Internacional de Natação (Fina), já que não estava convocado. Estou muito feliz, mais uma medalha em Mundial, a primeira do Brasil neste Mundial. Estou muito satisfeito, com 39 anos, fazendo história na natação”, disse Nicholas ao sair da piscina.

O vencedor da prova foi o norte-americano Caeleb Dressel, que marcou 22s35, com o russo Oleg Kostin em segundo, 22s70. Se tivesse marcado o tempo que desejava, Nicolas sairia da água com a prata. Foi a primeira medalha do Brasil nas provas de natação. Antes, Ana Marcela, nas provas de águas abertas, ganhou dois ouros – um nos 5km e outra nos 25km.

MAIS RECORDE O brasileiro Guilherme Guido não subiu ao pódio ontem, mas fez bonito ao estabelecer o novo recorde sul-americano dos 100m costas nas eliminatórias desta prova no Mundial de Esportes Aquáticos.

Ele cravou o tempo de 52s95 e, com a marca expressiva, avançou às semifinais em segundo lugar no qualificatório. Sétimo colocado na final dos 100m costas do Mundial de 2017, em Budapeste, na Hungria, Guido quebrou recorde sul-americano que pertencia a ele próprio. Em dezembro de 2015, o atleta do Pinheiros-SP estabeleceu a marca continental anterior desta prova ao cronometrar 53s09.

Guilherme Guido garantiu vaga na final do 100m costas pelo segundo ano consecutivo. Seu tempo foi o sétimo melhor na classificação. Ele vai tentar o ouro hoje, a partir das 8h (horário de Brasília, SporTV2).


Publicidade