Publicidade

Estado de Minas

Mais um ouro para Ana Marcela


postado em 20/07/2019 04:13

Nadadora baiana ganhou ontem a segunda prova no Mundial de Gwangju, desta vez nos 25km, que não são sua especialidade(foto: CBDA/Twitter/Reprodução)
Nadadora baiana ganhou ontem a segunda prova no Mundial de Gwangju, desta vez nos 25km, que não são sua especialidade (foto: CBDA/Twitter/Reprodução)

A nadadora baiana Ana Marcela Cunha segue fazendo história na natação em águas abertas. Ontem, ela venceu a prova dos 25km do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, em Gwangju, na Coreia do Sul. Com o resultado, se tornou tetracampeã mundial da distância. Foi o segundo ouro de Ana Marcela na competição sul-coreana – há quatro dias, ganhou também nos 5km. Outro resultado positivo da baiana foi a quinta colocação nos 10km. Assim, ela se garantiu tanto na pova dos 5km tanto na dos 10km nos Jogos Olímpicos de Toquio’2020.

Ana Marcela é a primeira nadadora a conquistar 11 medalhas em mundiais. São cinco ouros (quatro nos 25km, em Xangai’2011, Kazan’2015 e Budapeste’2017 antes de Gwangju; e um nos 5km), duas pratas e quatro bronzes. Além disso, ela tem um bronze em um campeonato de águas abertas, disputado em 2010, no Canadá. Essa competição, exclusiva das águas abertas, teve seis edições entre 2000 e 2010, mas foi extinta.

A prova de ontem foi disputada debaixo de chuva e a brasileira completou o percurso em 5h08min03, oito segundos à frente da segunda colocada, a alemã Finnia Wunram. A medalha de bronze ficou com a francesa Lara Grangeon (5h08min21). As condições climáticas, que para muitos seriam consideradas desfavoráveis, para Ana Marcela não foram problema. “Para mim, é ótimo nadar na chuva. Vou continuar amando quando o tempo está virado. Brasileira, estou acostumada com Copacabana (no Rio de Janeiro), sei como é quando o mar vira”, disse a baiana, exibindo a medalha no peito.

Curiosamente, Ana Marcela não treina especificamente para os 25km. Sua planilha de treinos é exclusiva para os 10km, prova mais importante por estar no programa olímpico. Para nadar os 25km, ela aposta na experiência e força mental, de acordo com o seu treinador, Fernando Possenti. Outra curiosidade é que homens e mulheres competem ao mesmo tempo, com diferença de 20 minutos entre as largadas.

O Brasil tem bom desempenho também no nado artístico do Mundial. Hoje, o país terá representantes na final do dueto misto rotina livre, com a dupla Giovana Stephan e Renan Alcantara, e na da prova combinada. O Sportv2 transmite.

DOPING Em julgamento em um hotel de Gwangju, o brasileiro Gabriel Santos, de 23 anos, reprovado em exame antidoping em maio, foi punido com suspensão de oito meses e ficará fora da competição na Ásia. Também desfalcará a equipe do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Lima, que começam na sexta-feira, no Peru. A decisão foi tomada por um painel de doping da Federação Internacional de Natação (Fina). Gabriel faria parte da equipe brasileira no revezamento 4x100m. O Pinheiros, clube defendido pelo nadador, divulgou nota no fim do mês passado dizendo acreditar na inocência de Gabriel.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade