Publicidade

Estado de Minas

Cruzeiro cria Código de Conduta


postado em 19/07/2019 04:07



O Cruzeiro pretende apresentar aos seus profissionais, nas próximas semanas, a primeira edição de seu Código de Conduta, criado após as denúncias de corrupção que desencadearam severa crise política e administrativa no clube. Também serão instituídos um canal de denúncias e um Comitê de Ética. Atualmente, dirigentes do clube são investigados pela Polícia Civil por suspeitas de apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e falsidade ideológica.

No último dia 9, policiais cumpriram mandados de busca e apreensão na sede do Cruzeiro, no Barro Preto; nas casas do presidente do clube, Wagner Pires de Sá; do vice-presidente de futebol, Itair Machado; do diretor-geral, Sérgio Nonato; e nos centros de treinamentos Tocas da Raposa I e II. No dia seguinte, a Justiça determinou, por decisão liminar da 12ª Câmara Cível de Belo Horizonte, o afastamento de Itair Machado das funções de vice-presidente de futebol.

No último dia 5, antes da operação policial e do afastamento de Itair, portanto, o presidente Wagner Pires de Sá divulgou ofício interno em que designou novo coordenador para o Setor Interno de Compliance. Vice-administrativo, Hermínio Francisco Lemos assumiu as funções com os objetivos de liderar a conclusão do código de conduta do clube e de definir um cronograma de apresentação do Programa de Compliance para todos os funcionários do Cruzeiro.

O Estado de Minas/Superesportes teve acesso ao manual, com 23 páginas, que será distribuído em breve aos funcionários e, possivelmente, aos torcedores, conforme indicou o diretor comercial do clube, Renê Salviano, em publicação no Twitter, no último dia 15. “Daqui a poucos dias, à disposição para todos nós torcedores”, escreveu o dirigente, que publicou a primeira imagem do manual.

O manual é dividido em seis grandes tópicos: apresentação, condutas a serem observadas, estrutura e procedimentos do comitê de ética, disposição gerais, fluxograma de apuração de denúncia e termo de consentimento livre e esclarecido.

Antes de tratar do Conselho de Ética, o manual ainda dá amplo destaque ao tópico ‘Proteção e tratamento de dados e informações’. “Todos devem manter a confidencialidade dos dados e informações a que venham ter acesso por qualquer meio ou forma, em decorrência de suas atuações no Cruzeiro Esporte Clube”.

Comitê de Ética “Com a finalidade de apurar infrações e garantir a efetividade do disposto neste Código de Conduta será instituído o Comitê de Ética”, diz a apresentação no documento obtido pela reportagem. Logo de início, o manual explica como será sua composição: três membros, sendo um conselheiro indicado pela mesa diretora do Conselho Deliberativo; um colaborador do Cruzeiro eleito pelo conjunto de colaboradores; e um membro indicado pelo presidente. A vigência do Comitê de Ética, segundo o documento, será de um ano. No fim do manual, o clube reforça o pedido de auxílio aos colaboradores para que realizem denúncias. “O Cruzeiro incentiva para que, por meio do canal de denúncias, sejam indicados os responsáveis que atendem de forma contrária à estabelecida neste código”, diz.

O manual ainda garante que “as denúncias são sigilosas e a apuração das condutas é realizada pelo Comitê de Ética, órgão independente, imparcial e autônomo”. Por fim, o clube disponibiliza um website para relatos de “fatos que contrariam o código de conduta”. A reportagem acessou o endereço, mas ele ainda não está em funcionamento. Oficialmente, o Cruzeiro não comentou sobre a confecção de seu código de condutas interno.


Itair perde no STJD 
Afastado do Cruzeiro por decisão da Justiça Comum, o vice de futebol Itair Machado sofreu novo revés, agora no âmbito desportivo. Ontem, o Pleno do Superior Tribunal de Justiça Despotiva (STJD) julgou recurso do dirigente e, de forma unânime, manteve a decisão de punição de 90 dias de suspensão e multa deR$ 10 mil. O dirigente foi julgado por ter comparecido à partida contra o Ceará, em 1º de maio, no Mineirão, pela segunda rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, quando estava suspenso pelo Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais (TJD-MG) em função de declarações realizadas contra a Federação Mineira de Futebol (FMF), em 24 de fevereiro deste ano.Em 10 de julho, o juiz Octávio de Almeida Neves, que atua como desembargador convocado na 12ª Câmara Cível de BH, determinou o afastamento de Itair Machado do cargo de vice-presidente de futebol do Cruzeiro. A decisão é provisória.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade