Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Enfim, casa cheia

Parcial de ingressos para semifinal projeta bom público para o Mineirão, que amargou as duas menores bilheterias da competição. Organizadores veem resultado 'satisfatório'


postado em 26/06/2019 04:08

Estreia do torneio no Gigante da Pampulha, no 4 a 0 do Uruguai sobre o Equador, teve 13.611 pagantes: média em BH foi de 13.860(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Estreia do torneio no Gigante da Pampulha, no 4 a 0 do Uruguai sobre o Equador, teve 13.611 pagantes: média em BH foi de 13.860 (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)


Se o público da Copa América até agora foi decepcionante no Mineirão, com as menores bilheterias da competição, a semifinal de terça-feira tem promessa de casa cheia. Até o início da noite de ontem, pelo menos 30 mil ingressos já haviam sido vendidos. Se vencerem suas partidas de amanhã, contra o Paraguai, e sexta, diante da Venezuela, respectivamente, Brasil e Argentina se enfrentarão no Gigante da Pampulha. Uma carga de 61.846 bilhetes foi colocada à venda para o último confronto do torneio em BH. Desse total, 16 mil haviam sido resgatados no posto montado no Boulevard Shopping.

Existe, segundo a Conmebol, um pequeno número de tíquetes para os setores mais baratos, o 3 (R$ 290) e o 4 (R$ 190). Para essas duas áreas, o Comitê Geral da Copa América havia feito uma reserva técnica, que não chega a mil entradas, que começaram a ser comercializadas ontem. A expectativa é que se esgotem ainda na manhã de hoje. No entanto, quase que a totalidade dos setores mais caros, 1 (R$ 590) e 2 (R$ 390), ainda está disponível.

A venda extra para o restante das partidas até o fim da competição, incluindo as quatro das quartas de final, as duas semifinais, a disputa da medalha do terceiro lugar e do título recomeçou por meio do site Copaamerica.com.

Apesar de quase todos os jogos da primeira fase da Copa América terem apresentado grandes clarões nas arquibancadas, os organizadores da competição fizeram ontem balanço positivo da média de público nos estádios. A média até o momento é de 30 mil torcedores por jogo. No Mineirão, porém, que recebeu Uruguai 4 x 0 Equador, Argentina 1 x 1 Paraguai, Bolívia 1 x 3 Venezuela e Equador 1 x 1 Japão, ela cai para 13.860. O Comitê Organizador Local contestou a teoria de que os lugares vazios teriam relação com o alto valor cobrado pelos ingressos.

“Estamos falando de um apanhado geral, não olhamos para os jogos que tivemos menos ou tivemos mais torcedores”, considerou Agberto Guimarães, diretor de Operações do COL. “É natural, em qualquer evento esportivo, que a gente tenha algumas partidas ou alguns esportes que tenham mais apelo de público. Aconteceu também aqui. Isso a gente vê com naturalidade. Estamos cuidando do todo e estamos vendo o lado positivo.”

CRESCIMENTO Avaliação idêntica teve Thiago Jannuzzi, gerente-geral de Competições do COL. Ele prevê que a média aumentará a partir das quartas de final e descartou qualquer possibilidade de rever os valores das entradas. “A gente não pode alterar a política de preços durante o evento para respeitar aqueles que já adquiriram ingressos por determinado valor.”

Para ele, a política de preços foi compatível com a necessidade de fazer frente aos custos. Questionado se estaria ocorrendo excessiva elitização do público nas arenas e afastando o torcedor de menor poder aquisitivo, ele rechaçou a hipótese, alegando que há tíquetes pelos quais a cobrança é mais baixa. “Eu não diria que a gente se afasta do torcedor popular porque temos faixas de preço muito acessíveis.” (Com agências)


Público na Copa América
Maiores
Jogo: Chile 0 x 1 Uruguai
Estádio: Maracanã
Público: 49.275 pagantes
% de ocupação: 65,5%
Renda: R$ 11.749.970

Jogo: Brasil 3 x 0 Bolívia
Estádio: Morumbi
Público: 46.342 pagantes
% de ocupação: 69%
Renda: R$ 22.476.630

Jogo: Peru 0 x 5 Brasil
Estádio: Itaquerão
Público: 42.317 pagantes
% de ocupação: 91,6%
Renda: R$ 10.009.095

Menores
Jogo: Equador 1 x 1 Japão
Estádio: Mineirão
Público: 2.106 pagantes
% de ocupação: 15,7%
Renda: R$ 301.525

Jogo: Bolívia 1 x 3 Venezuela
Estádio: Mineirão
Público: 4.460 pagantes
% de ocupação: 18,67%
Renda: R$ 631.605

Jogo: Peru 0 x 0 Venezuela
Estádio: Arena Grêmio
Público: 11.107 pagantes
% de ocupação: 18,5%
Renda: R$ 2.400.800


Publicidade