Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Japão supreende o Uruguai


postado em 21/06/2019 04:07

A Celeste Olímpica teve um pênalti discutível apontado pelo VAR e convertido por Suárez(foto: Jeferson Guareze/AFP)
A Celeste Olímpica teve um pênalti discutível apontado pelo VAR e convertido por Suárez (foto: Jeferson Guareze/AFP)


A zebra ameaçou desfilar na Arena Grêmio, ontem à noite. O Japão, que veio para a Copa América praticamente com seu time Sub-22, ficou duas vezes à frente do placar diante do forte Uruguai, considerado favorito ao título do torneio. Mas a tradição da Celeste Olímpica falou mais alto, e a partida terminou 2 a 2. O empate, certamente, não era a aposta da maioria, mas diante da surpreendente atuação dos nipônicos, foi o resultado menos pior para os sul-americanos.

A partida, que teve 33.492 pagantes, foi uma das melhores da Copa América. Numa noite em que craques do peso de Cavani e Suárez estavam em ação, roubaram a cena os jovens armadores japoneses Nakajima, de 24 anos, e Miyoshi, de 22. O primeiro, camisa 10, envolveu o meio-campo uruguaio. O segundo fez os dois gols da equipe oriental e foi eleito o melhor do jogo. O armador Kubo, de 18, chamado de “Messi japonês” (treinou no Barcelona entre 2011 e 2015, mas nesta janela foi contratado pelo Real Madrid), entrou aos 37min do segundo tempo.

O Uruguai foi envolvido pela velocidade do Japão na primeira metade do jogo, parecendo até atordoado em campo. Suárez marcou o primeiro gol da Celeste em um pênalti discutível em cima de Cavani, revisado pelo árbitro de vídeo (VAR). Giménez fez o segundo.

O ex-cruzeirense De Arrascaeta entrou aos 14min da etapa final. A seleção comandada por Óscar Tabárez melhorou a partir do segundo gol. Em seu melhor momento, desperdiçou grande chance de selar a vitória aos 34, quando Suárez acertou o travessão. “Eles (Japão) são rápidos, jovens e têm muita qualidade. Precisamos reconhecer o mérito do adversário e corrigir nossos erros”, disse Suárez, ao fim da partida.


Publicidade