Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Guerrero comanda virada no Maracanã


postado em 19/06/2019 04:09

Vitória do jogo coletivo: ataque peruano envolveu a defesa boliviana e cravou 3 a 1 no Rio de Janeiro(foto: MAURO PIMENTEL/AFP)
Vitória do jogo coletivo: ataque peruano envolveu a defesa boliviana e cravou 3 a 1 no Rio de Janeiro (foto: MAURO PIMENTEL/AFP)


Apontado por muitos como o principal camisa 9 do futebol brasileiro, o peruano Paolo Guerrero, enfim, mostrou seu potencial na Copa América de 2019. Depois de passar em branco diante da Venezuela, o atacante foi o grande nome da vitória de virada de sua seleção contra a Bolívia por 3 a 1, ontem, no Maracanã, pelo Grupo A. O resultado foi fundamental para as pretensões dos peruanos, próximos adversários do Brasil, de chegar à próxima fase.

A exemplo de Guerrero, Marcelo Moreno também foi personagem central. Ambos estabeleceram marcas importantes. Com passagens por Vitória, Cruzeiro, Flamengo e Grêmio, o boliviano marcou de pênalti no primeiro tempo, chegou aos 18 com a camisa de seu país e ficou a apenas dois de igualar o maior artilheiro da seleção, o atacante Joaquín Botero, que atuou entre 1999 e 2009. Já o peruano, que passou por Corinthians e Flamengo e joga no Internacional, empatou novamente com o chileno Vargas na lista dos maiores goleadores da história da Copa América (ambos têm 12). E isolou-se como artilheiro de sua seleção, com 37 gols. 

Sem vencer há oito meses, a Bolívia fez marcação avançada e incomodou o goleiro Gallese diversas vezes. Mas faltou qualidade na finalização. O primeiro gol surgiu num pênalti convertido por Marcelo Moreno.

No entanto, o domínio boliviano parou por aí. Com mais qualidade, o Peru usou bem as laterais para dominar o jogo. A reação começou a ser construída no primeiro tempo com um gol de Guerrero. Depois de receber de Cueva entre os zagueiros, passou pelo goleiro Lampe e empurrou para o fundo das redes. 

O domínio dos peruanos aumentou começo do segundo tempo, quando a Bolívia se fechou. De artilheiro, Guerrero se transformou em garçom. Da esquerda, o camisa 9 cruzou para Farfán, que cabeceou para o fundo das redes. Farfán chegou ao histórico número de 26 gols pelo Peru, se igualando à lenda Teófilo Cubillas, apontado como o melhor jogador do país de todos os tempos.

O gol que selou a vitória ocorreu nos acréscimos. Em contra-ataque, Farfán lançou Flores, que encobriu o goleiro Lampe. 


Publicidade