Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Adeus ao histórico parceiro de Pelé


postado em 12/03/2019 05:05

Pelo Santos, Coutinho ganhou seis títulos do Paulista, cinco Brasileiros, duas Libertadores e dois Mundiais(foto: José Pinto/O Cruzeiro - 26/12/62)
Pelo Santos, Coutinho ganhou seis títulos do Paulista, cinco Brasileiros, duas Libertadores e dois Mundiais (foto: José Pinto/O Cruzeiro - 26/12/62)


Antônio Wilson Vieira Honório, o Coutinho, maior parceiro da carreira de Pelé, morreu ontem, aos 75 anos. Os dois juntos ganharam todos os títulos possíveis pelo Santos entre os anos de 1958 e 1967. Ele integrou também a Seleção Brasileira campeã na Copa de 1962. Em janeiro, o ex-jogador ficou uma semana internado por causa de uma pneumonia. Em 2014, por causa da diabetes, precisou amputar dedos do pé.

“Nesse momento de imensa tristeza, o que nos fará lembrar eternamente de Coutinho são suas glórias, gols e histórias marcantes”, escreveu o Santos em sua página no Twitter.

Natural de Piracicaba, Coutinho chegou ao Santos com 14 anos, levado pelo técnico Lula. Com um domínio de bola impressionante e grande poder de finalização, logo ganhou a posição de centroavante do time, em substituição a Pagão, outro grande craque do time da Vila Belmiro.

Foi o companheiro ideal de Pelé. Diz a lenda que Coutinho passou a usar uma faixa branca no punho direito para se diferenciar do camisa 10 e ter também os elogios pelas lindas jogadas que realizava em campo. Para muitos, Coutinho tinha mais visão de jogo que Pelé na hora de finalizar, o que lhe valeu o apelido de “Gênio da pequena área”.

As tabelas Pelé-Coutinho ficaram marcadas, inclusive as de cabeça. Juntos, os dois lideraram o Santos na conquista de seis títulos paulistas (1960, 1961, 1962, 1964, 1965 e 1967), quatro Torneios Rio-São Paulo (1959, 1963, 1964 e 1966), cinco Taças Brasil (1961, 1962, 1963, 1964 e 1965), duas Libertadores (1962 e 1963) e dois Mundiais de Clubes (1962 e 1963), além de inúmeras exibições por todo o mundo. Foram 457 jogos e 370 gols. É o terceiro maior artilheiro da história santista, atrás de Pepe, com 403 gols, e Pelé, com 1.091.

Pela Seleção Brasileira, Coutinho foi convocado para a Copa do Mundo do Chile, em 1962, mas não chegou a atuar por causa de uma lesão, deixando o protagonismo para Vavá e Amarildo.

Uma de suas principais marcas foi ter enfrentado o Corinthians por 12 anos e jamais ter sido derrotado. Com tendência a engordar, sofreu com lesões e teve que encerrar a carreira precocemente, aos 30 anos. Ele ainda teve passagens por Vitória, Bangu e Atlas-MEX e se aposentou em 1973, no Saad.


Publicidade