Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Agora é ir pra cima das italianas

Enfraquecido no 2º tempo com as saídas de Marta, Formiga e Cristiane, Brasil não segura a Austrália e precisa vencer para seguir na competição sem depender de outros resultados


postado em 14/06/2019 04:07

A Austrália diminuiu o placar nos acréscimos do primeiro tempo e virou o jogo no segundo. Marta fez o primeiro gol da partida e deixou sua marca na quinta Copa do Mundo, além de igualar o recorde de 16 gols do alemão Klose(foto: GERARD JULIEN/AFP)
A Austrália diminuiu o placar nos acréscimos do primeiro tempo e virou o jogo no segundo. Marta fez o primeiro gol da partida e deixou sua marca na quinta Copa do Mundo, além de igualar o recorde de 16 gols do alemão Klose (foto: GERARD JULIEN/AFP)
 

Depois de ficar fora da estreia diante da Jamaica, pois ainda estava em fase final de recuperação de uma lesão muscular na coxa esquerda sofrida em 24 de maio, Marta fez o seu primeiro jogo no Mundial Feminino da França ontem. A melhor jogadora do mundo correspondeu ao retornar com um gol de pênalti e o Brasil chegou a abrir 2 a 0 com Cristiane, mas a Seleção Brasileira acabou sendo derrotada de virada pela Austrália por 3 a 2, em Montpellier, pela segunda rodada do Grupo C da competição. O Brasil errou muitos passes durante a partida e falhou defensivamente.

Com escalação confirmada apenas ontem pelo técnico Vadão, Marta formou dupla de ataque com Cristiane e fez a Seleção entrar em campo mais confiante na conquista de um novo bom resultado, depois de ter goleado as jamaicanas por 3 a 0, no último domingo. Porém, sofreu o seu primeiro gol diante das australianas no final do primeiro tempo e depois viu as adversárias marcarem mais dois no segundo, período no qual o time brasileiro atuou sem Formiga e Marta. A primeira já tinha cartão amarelo e foi sacada para a entrada de Luana. Já a atacante, ainda fora das condições físicas ideais, foi substituída por Luana.

O Brasil sofria no jogo e viu o seu ataque enfraquecer ainda mais com a saída de Cristiane, aos 29min. Com dores, ela saiu para entrada de Bia Zaneratto. E as australianas continuaram muito mais perto de fazer o quarto gol do que as brasileiras de empatar o duelo. Nos acréscimos do segundo tempo, porém, a árbitra do jogo acabou prejudicando o time de Vadão ao não assinalar um pênalti sofrido por Andressa. E deixou de marcá-lo mesmo após utilizar o VAR para rever a jogada.

Marta reconhece que o Brasil facilitou a vida das australianas, mas reclamou do pênalti não marcado no final do jogo. “A gente começou bem, mas nós pecamos no final do primeiro tempo, deixamos elas fazerem um gol que levantou a equipe. Conversamos, deveríamos ter voltado ligadas o tempo inteiro, elas fizeram uns gols muito baratos. E no final, ainda para completar toda a situação, um pênalti claro que ela não deu em cima da Andressa. Isso é um absurdo. Então é claro que a gente fica chateada, porque vale uma classificação. Vou quebrar o VAR”, disse a camisa 10, já  em tom de brincadeira.

Apesar da derrota, o Brasil se manteve de forma provisória na liderança do Grupo C do Mundial, cuja segunda rodada será fechada hoje com o duelo entre Itália e Jamaica, às 13h (de Brasília), em Reims. Vice-líderes da chave por terem superado as australianas por 2 a 1 na estreia, as italianas também estão com três pontos, enquanto a seleção da Oceania, com a mesma pontuação, ocupa o terceiro lugar. As jamaicanas, na lanterna, buscarão os seus primeiros pontos nesta sexta.

As brasileiras terminarão a sua campanha na primeira fase da competição na próxima terça-feira, contra a Itália, às 16h (de Brasília), em Valenciennes. No mesmo dia e horário, Austrália e Jamaica se enfrentarão em Grenoble. Pelo regulamento, avançam às oitavas de final as duas primeiras seleções de cada grupo e as quatro melhores terceiras colocadas.

Recorde Ao marcar o primeiro gol brasileiro na partida, Marta fez história ao se tornar a primeira jogadora a marcar gols em cinco Mundiais diferentes. Ela agora contabiliza 16 em Copas, igualando o mesmo número alcançado pelo alemão Klose, maior artilheiro dos Mundiais realizado entre os homens.


Publicidade