Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Brasil projeta evolução


postado em 11/06/2019 04:07

Seleção está em terceiro lugar na Liga das Nações e volta à quadra sexta-feira, contra a Sérvia(foto: FIVB/DIVULGAÇÃO)
Seleção está em terceiro lugar na Liga das Nações e volta à quadra sexta-feira, contra a Sérvia (foto: FIVB/DIVULGAÇÃO)


Com seis vitórias nas duas primeiras etapas da Liga das Nações Masculina de Vôlei, e invicto, o Brasil ainda apresentará mais evolução. É o que promete o técnico Renan dal Zotto. Em terceiro lugar (um ponto atrás de Irã e França), a Seleção Brasileira perde nos critérios de desempate, ainda que tenha ganho todas suas partidas, enquanto os adversários à frente sofreram pelo menos um tropeço, mas garantiram mais triunfos com pontuação máxima.

“Considero a nossa participação bastante positiva. Foram seis vitórias muito importantes. Mas ainda temos muito o que melhorar. Já houve evolução da primeira para a segunda etapa, mas alguns detalhes, como o entrosamento, ainda preocupam”, diz o treinador.

Segundo ele, o entrosamento será um processo gradativo. “É um time novo, que está sendo colocado junto pela primeira vez. A estrada até a fase final da Liga é longa. Enfrentamos adversários difíceis nas duas fases. Os Estados Unidos estavam desfalcados, mas são sempre perigosos. Soubemos anular o jogo deles. A Austrália é um time jovem, muito perigoso, que joga no risco. Mas aconteceram erros. Esperava um melhor desempenho na segunda etapa, mas tivemos problemas contra o Irã e a Argentina. Ganhamos de ambos por 3 a 2, mas nós erramos e colocamos os rivais nos jogos.”

O treinador diz que a nova formação, com o ponteiro Leal (cubano naturalizado brasileiro), embora seja nova, mostra uma formação com potencial ofensivo e de saque. “É um time que agride e, por isso, cria boa opções de ataque, pois coloca a defesa adversária em xeque. Mas tenho certeza de que iremos melhorar cada vez mais. Brigamos para ir à fase final e acredito que o time estará diferente, melhor.” Na próxima fase classificatória (terceira etapa), o Brasil enfrentará Sérvia, sexta-feira, China, sábado, e Portugal, anfitriã, domingo.

FEMININO Na competição feminina, o Brasil estreia hoje, às 7h30, em Tóquio, contra o Japão, no Grupo 15, pela quarta e penúltima etapa da fase classificatória. O outro jogo da chave, na preliminar, será Sérvia x Tailândia. Em sexto lugar na classificação geral do torneio, a equipe briga para melhorar, uma vez que os cinco primeiros colocados passam à fase final, junto com a China, que sediará a decisão.

O Brasil está, por enquanto, entre as classificadas, já que as chinesas ocupam a quarta posição, com o mesmo total de pontos, 20, da Polônia, uma a mais que as comandadas do técnico José Roberto Guimarães. A líder, Turquia, soma 24 pontos, seguida pela Itália, 22, e EUA, 21. A Seleção Brasileira tem grande vantagem sobre a sétima colocada, o Japão, que tem 15.

Mas, para Zé Roberto Guimarães, uma boa participação agora, com três vitórias, seria a combinação ideal. “Nos daria mais tranquilidade e estaríamos bem próximos da classificação. O time é novo e está em evolução. Avançar à fase final seria importante para o grupo”.

O segundo jogo do Brasil será contra a Tailândia, na madrugada de amanhã, às 3h40. Na quinta-feira, no mesmo horário, enfrentará a Sérvia. Na última etapa, na próxima semana, o Brasil estará no Grupo 17, com sede em Ancara, na Turquia. Vai encarar as donas da casa, Bélgica e Itália. 



Publicidade