Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Com a bênção do santo

Goleiro Victor defende três cobranças de pênaltis do La Calera, no Horto, e garante o Atlético nas oitavas de final. Adversário sai hoje


postado em 29/05/2019 04:06

Victor, que sofreu muitas críticas da torcida nesta temporada, fechou o gol para os chilenos, na disputa de penalidades. No tempo normal, o prata da casa Alerrando garantiu o triunfo do Galo(foto: Fotos: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Victor, que sofreu muitas críticas da torcida nesta temporada, fechou o gol para os chilenos, na disputa de penalidades. No tempo normal, o prata da casa Alerrando garantiu o triunfo do Galo (foto: Fotos: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)


Neste ano, ele teve o trabalho questionado várias vezes pelo torcedor do Atlético, que já não o considerava o mesmo ídolo que levou o time à glória do título da Copa Libertadores de 2013. Mas, como todo herói, a consagração pode vir no momento mais necessário. Aos 36 anos e em sua oitava temporada pelo Galo, o goleiro Victor provou mais uma vez que faz a diferença na disputa de pênaltis. Como no roteiro de sucesso da Libertadores, o camisa 1 alvinegro foi responsável direto pela classificação da equipe às oitavas de final da Copa Sul-Americana, ontem à noite, ao defender três cobranças, em sequência, diante do Unión La Calera, no Independência.

O adversário sai hoje, do confronto entre Botafogo e Sol de América, às 19h15, no Engenhão. O alvinegro carioca venceu no Paraguai por 1 a 0 e tem a vantagem do empate. Também hoje à noite, o Fluminense reencontra o Atlético Nacional, às 21h30 (de Brasília), no Estádio Atanasio Girardot, em Medellín. Na ida, em casa, goleou por 4 a 1. Quem avançar, enfrentará o vencedor de Peñarol x Deportivo Cali.

No tempo normal, o Atlético sofreu para vencer os chilenos por 1 a 0, com gol do atacante Alerrandro no segundo tempo, devolvendo a derrota pelo mesmo placar, fora de casa. Diante de um adversário com menor investimento, encontrou dificuldade para penetrar na área. Em certos momentos, faltou capricho no último passe. Em outros, faltou qualidade para formatar uma jogada mais letal.

Victor sofreu vários questionamentos do torcedor recentemente por cometer falhas diversas, como em jogadas aéreas e saídas de bola. Mas, ontem, novamente foi um gigante. Com a calma de sempre, defendeu os chutes de Walter Bou, Leyton e Larrondo, todas no canto direito – na cobrança do segundo, usou o pé esquerdo para mandar a bola para longe, o mesmo que o consagrou contra o Tijuana, na Libertadores, também no Horto, há exatos seis anos. Para consolidar a vaga, Fábio Santos, Luan e Leonardo Silva converteram seus pênaltis e garantiram R$ 2 milhões aos cofres do clube, pela passagem às oitavas.

“Estou feliz pela classificação e pelas três defesas, algo inédito na minha carreira. O Leo brincou que eu ia pegar dois pênaltis, e peguei três! Fui feliz mais uma vez no Independência, com o apoio do torcedor”, analisou o goleiro. 

Victor também comentou as críticas e reiterou que continuará trabalhando no dia dia, independentemente das cobranças: “O inferno é um caminho próximo quando você vai mal. Por ser um esporte passional, é normal que as críticas aconteçam. Nunca me omiti diante das dificuldades. As cobranças vieram em momento em que o coletivo não esteve bem, isso acabou se expandindo para o meu lado. Mas as críticas são bem vindas, quando são fundamentadas. Te motivam a trabalhar mais”.

PRÓXIMOS JOGOS Agora, o alvinegro volta a se concentrar no Campeonato Brasileiro. No domingo, encara o CSA, às 19h, no Independência, com o objetivo de manter a vice-liderança. Na quinta-feira da semana que vem, faz o jogo de volta da Copa do Brasil diante do Santos, no Pacaembu. Como empatou por 0 a 0 em casa, precisa vencer para ir às quartas de final.


FICHA TÉCNICA
Atlético 1 x 0 Unión La Calera
(Nos pênaltis, Atlético 3 x 0)
Atlético: Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison, Elias, Luan, Cazares (Chará, intervalo) e Geuvânio (Maicon Bolt 17 do 2º); Ricardo Oliveira (Alerrandro, intervalo)
Técnico: Rodrigo Santana
Unión La Calera: Batalla; Andia, Laba e Vilches; Navarrete (Rodríguez 27 do 2º), Alvarado, Leiva (Zuñiga 42 do 2º), Lobos (Leyton 38 do 2º) e Weimberg; Walter Bou e Larrondo
Técnico: Francisco Meneghini
Jogo de volta da 2ª fase da Sul-Americana
Estádio: Independência
Gol: Alerrandro 24 do 2º
Árbitro: Daniel Fedorczuk (URU)
Assistentes: Miguel Nievas e Horácio Ferreiro (URU)
Cartão amarelo: Leonardo Silva e Leyton
Presentes: 16.658
Renda: R$ 205.060



Publicidade