Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Hora de mudar a escrita

Atlético precisa vencer o La Calera por mais de um gol de vantagem para ir às oitavas de final e melhorar retrospecto: nos últimos seis mata-matas internacionais, só levou a melhor em um


postado em 28/05/2019 04:09

Luan é um dos jogadores do grupo alvinegro que participarão da série de fracassos em confrontos eliminatórios que sucedeu a conquista da Libertadores(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Luan é um dos jogadores do grupo alvinegro que participarão da série de fracassos em confrontos eliminatórios que sucedeu a conquista da Libertadores (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)


Sem vencer e sem marcar gols nos últimos dois jogos, o Atlético adota o discurso de imprimir futebol ofensivo desde o início contra o Unión La Calera hoje, às 21h30, no Independência, para passar de fase na Copa Sul-Americana. Depois de perder por 1 a 0 no Chile, o Galo precisa derrotar o adversário por mais de um gol de diferença para chegar às oitavas de final e melhorar seu histórico recente em mata-matas de competições internacionais: desde que conquistou a Copa Libertadores em 2013, o Galo só se deu bem em um dos seis confrontos eliminatórios que disputou.

O Atlético disputou a segunda fase da Libertadores, a do mata-mata, em 2014, 2015, 2016 e 2017, mas só avançou para a etapa seguinte na edição de 2016, sob o comando de Diego Aguirre, quando eliminou o Racing nas oitavas de final – nas quartas, caiu diante do São Paulo. Em 2014, o algoz foi o Atlético Nacional, enquanto o Internacional tirou o alvinegro na temporada seguinte. Em 2017, foi eliminado pelo Jorge Wilstermann em pleno Mineirão lotado. Na Sul-Americana do ano passado, atuando com reservas no Horto, se despediu com o empate sem gols com o San Lorenzo, depois de derrota por 1 a 0 na Argentina.

Do grupo atleticano, o goleiro Victor, o zagueiro Leonardo Silva e o meia-atacante Luan são os únicos que estiveram nessa saga de insucessos. Confirmados para esta noite, eles têm a missão de ajudar o time a encontrar o equilíbrio em campo para buscar a classificação. “Precisamos estudar o jogo e ver o posicionamento dos jogadores de frente para marcarmos os gols. É necessário ter posse de bola para criarmos mais chances”, avalia o técnico Rodrigo Santana.

O zagueiro Igor Rabello alerta também para os cuidados com os contragolpes do La Calera: “A gente vai entrar focado para buscar o gol. Precisamos de fazer dois para passar de fase. E também precisamos estar concentrados para não tomar gol. Vamos entrar com toda nossa força pela classificação”.

O defensor, de 23 anos, acredita que o time chileno entrará em campo para jogar no erro do Atlético. “Eles têm o estilo do Sampaoli do Santos, tocam bem a bola. Como fizeram gol em casa, poderão nos esperar para depois explorar o contra-ataque. Os zagueiros saem muito para o jogo. Sabemos bem dos acertos e erros do adversário e vamos tentar explorar isso”.

Envolvido em três competições ao mesmo tempo, o Atlético assume claramente a postura de valorizar os torneios de mata-mata, como a Sul-Americana e a Copa do Brasil. Na temporada passada, a diretoria abriu mão da Sul-Americana ao escalar reservas contra o San Lorenzo e recebeu muitas críticas da torcida. Desta vez, o Galo prestigia o torneio até pelo quesito financeiro – se passar de fase, o valor pago pela Conmebol é de R$ 2 milhões.

DÚVIDA NO MEIO A equipe que joga hoje não tem muito mistério. Com o desfalque do lateral-direito Guga, que está servindo à Seleção Brasileira Sub-23, o titular será Patric, como ocorreu diante do Grêmio, em Porto Alegre. O volante Elias será a novidade no meio-campo, depois de desfalcar o Galo nos últimos dois jogos. Rodrigo Santana tem dúvida no setor criativo: o equatoriano Cazares e Geuvânio disputam vaga.  O colombiano Chará e o atacante Ricardo Oliveira não treinaram ontem, mas devem jogar.


O ADVERSÁRIO
Chilenos cautelosos
A exemplo do Atlético, o Unión La Calera dará total atenção ao confronto de hoje da Copa Sul-Americana. O técnico Francisco Meneghini optou por poupar oito titulares no empate por 1 a 1 com o Antofagasta, fora de casa, domingo, pela 14ª rodada do Campeonato Chileno – a equipe ocupa a quarta posição na competição. Hoje, a novidade deve ser o retorno do lateral-esquerdo Figueroa, que cumpriu suspensão automática na semana passada. Nesta noite, o La Calera deve entrar com postura mais cautelosa, já que o objetivo é administrar a vantagem construída em casa.


FICHA TÉCNICA
Atlético x Unión La Calera
Atlético: Victor; Patric, Leonardo Silva, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison, Elias, Luan, Cazares (Geuvânio) e Chará; Ricardo Oliveira
Técnico: Rodrigo Santana
Unión La Calera: Batalla; Andia, Alvarado, Vilches e Figueroa; Zuñiga, Laba, Lobos, Leiva e Walter Bou; Larrondo
Técnico: Fernando Meneghini
Jogo de volta da 2ª fase da Sul-Americana
Estádio: Independência
Horário: 21h30
Árbitro: Daniel Fedroczuk (URU)
Assistentes: Miguel Nievas e Horacio Ferreiro (URU)
Transmissão: Dazn




Publicidade