Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Vexame celeste

Em mais uma partida irregular, Cruzeiro é massacrado pelo Fluminense no Maracanã em derrota por 4 a 1. No segundo tropeço consecutivo, time de Mano volta a repetir erros


postado em 19/05/2019 04:08

Jogadores da Raposa foram facilmente envolvidos pelo tricolor carioca e pouco criaram, principalmente na segunda etapa (foto: Lucas Merçon/Fluminense)
Jogadores da Raposa foram facilmente envolvidos pelo tricolor carioca e pouco criaram, principalmente na segunda etapa (foto: Lucas Merçon/Fluminense)


Matheus Adler

O Cruzeiro foi envolvido pelo Fluminense na noite de ontem, no Maracanã, e massacrado pela equipe carioca. A Raposa foi pouco efetiva na partida pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro e acabou derrotada por 4 a 1, com dois gols João Pedro, outro de Nino, com Luciano completando o placar. Robinho descontou para os mineiros. Com o resultado, o Cruzeiro cai uma posição (12º colocado, com 6 pontos), e pode perder mais três neste domingo. E passou a ter a pior defesa do torneio, com 11 gols, contra 10 do Vasco, que jogará hoje.

Mano Menezes admitiu a instabilidade da equipe e criticou a desatenção nos gols tomados. “Agora é a hora de apanhar, temos de ser criticados. Temos de saber, com grandeza, ouvir as críticas, aceitá-las, e trabalhar para as coisas mudarem. Isso não é normal nosso. Nem me lembro a última vez que uma equipe minha tomou quatro gols”, declarou.

A Raposa começou com suas linhas de marcação mais altas em relação ao empate por 1 a 1 pela Copa do Brasil. Como consequência, o Flu era obrigado a apelar para os chutões. Mas foi o time da casa que teve a primeira chance de gol, aos 5 minutos, com Matheus Ferraz cabeceando e Rafael dando um tapa na bola pela linha de fundo.

Quatro minutos depois, Robinho descolou um belo passe para Pedro Rocha, que iria sair cara a cara com Agenor. No entanto, o atacante foi derrubado por Gilberto, último homem na marcação. A arbitragem nada marcou, apesar do empurrão. Em seguida, Egídio achou Pedro Rocha, que finalizou para a defesa de Agenor. O goleiro do saiu bem e abafou a jogada. Apesar das chances criadas, o Cruzeiro errava muitos passes e tinha dificuldade em manter a posse de bola. O preço disso foi pago aos 44 minutos, com o gol de Nino. O zagueiro tricolor venceu Henrique pelo alto e cabeceou para o fundo das redes: 1 a 0.

O início do segundo tempo foi quente. Logo na primeira investida do Fluminense, Luciano recebeu da esquerda e aproveitou descuido da zaga azul para finalizar e ampliar: 2 a 0. Três minutos depois, o time celeste se valeu de um erro de saída de bola do tricolor e diminuiu com Robinho: 2 a 1.

Assim como no primeiro tempo, o Cruzeiro não conseguia manter a posse de bola por muito tempo. Dessa forma, o Fluminense se aproximou de marcar o terceiro gol. Matheus Ferraz pegou rebote na área e finalizou com força, para a excelente defesa de Rafael.

FALHAS Após o susto, a equipe passou a jogar mais no campo de ataque, mas seguia pecando nos erros de passe. Mano, então, apostou em David na vaga de Rodriguinho para dar velocidade ao time, mas o tricolor predominava. Cinco minutos depois, João Pedro, de 17 anos, recebeu cruzamento a meia altura e escorou para o gol: 3 a 1. O mesmo João Pedro fechou o placar. Ele recebeu na área, limpou três marcadores e finalizou para fazer 4 a 1.

Com a goleada, Mano Menezes chamou para si a responsabilidade do momento ruim da equipe, embora tenha criticado a postura em campo, afirmando que o time sofreu gols “ridículos”. Ele até avaliou que a Raposa jogou menos no empate por 1 a 1 com o mesmo Flu, pela Copa do Brasil, do que ontem. E lamentou as desatenções:

“Estamos tomando gols... como tomamos esse de bola parada no fim do primeiro tempo, que não estamos acostumados a tomar. Tomamos um gol ridículo na volta do segundo tempo. Ridículo porque é um chutão para frente e nossa defesa, que sempre foi firme, bateu cabeça. Tomamos gol ridículo no quarto gol, num lateral. Mas a responsabilidade é do treinador. Quando as coisas não funcionam de maneira geral, a responsabilidade é do treinador e sou eu que tenho que resolver”.


FLUMINENSE 4 X 1 CRUZEIRO


Fluminense
Rodolfo; Gilberto, Nino, Matheus Ferraz e Caio Henrique; Allan, Daniel (Igor Julião), Ganso e Léo Artur (João Pedro); Luciano (Marcos Paulo) e Yony González
Técnico: Fernando Diniz

Cruzeiro

Fábio; Orejuela (Marquinhos Gabriel), Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Romero; Robinho, Rodriguinho (David) e Pedro Rocha; Fred (Sassá)
Técnico: Mano Menezes

Quinta rodada do Campeonato Brasileiro

Estádio: Maracanã
Gols: Nino 44 1º; Luciano 1, Robinho 3 e João Pedro 35 e 49 do 2º
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse
Cartão amarelo: Rodriguinho, Pedro Rocha, Allan e Luciano
Pagantes: 10.724
Renda: R$ 253.360


Publicidade