Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Decepção em dose tripla

Derrotado pelo Palmeiras, Atlético perde invencibilidade e liderança do Brasileiro. Sem TV, torcida foi pequena no Mineirão e bares tentaram improvisar para atrair clientes


postado em 13/05/2019 05:05 / atualizado em 13/05/2019 11:25

Defesa atleticana deixou muito espaço a partir da intermediária, o que foi bem aproveitado pelo volante Bruno Henrique, autor dos dois gols palmeirenses, um em cada tempo(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Defesa atleticana deixou muito espaço a partir da intermediária, o que foi bem aproveitado pelo volante Bruno Henrique, autor dos dois gols palmeirenses, um em cada tempo (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

O Atlético amargou uma tripla derrota ontem, no Mineirão. Com o resultado negativo diante do Palmeiras, por 2 a 0 – com dois belos gols do volante Bruno Henrique em chutes de fora da área –, o Galo, além de perder os 100% de aproveitamento e a invencibilidade no Campeonato Brasileiro, ficou sem a liderança, agora com o Verdão, atual campeão nacional.

Numa partida sem transmissão pela TV, esperava-se maior presença de público. Os 24.368 torcedores que foram ao Gigante da Pampulha no Dia das Mães viram uma equipe sem objetividade em praticamente todo o jogo, com espaços para chegar ao ataque, mas que pecou pelo estilo burocrático e pela pouca ousadia. Na defesa, as brechas deixadas na intermediária permitiram a Bruno Henrique finalizar com precisão nas duas chances que teve.

O técnico Rodrigo Santana lamenta que a estratégia atleticana de anular o Palmeiras não tenha dado certo “Fizemos bom jogo, principalmente no primeiro tempo. Dentro da competição, ganha quem erra menos. O Bruno Henrique conseguiu encaixar bem os dois chutes”, explicou, atenuando o revés em casa: “Fizemos um bom jogo, mas temos de enaltecer que enfrentamos o atual campeão brasileiro, que está invicto e não toma gols. O Brasileiro é assim. Conseguimos pontos fora de casa e hoje (ontem) perdemos. Vale para rever os erros”.

Um dos poucos jogadores do Galo a falar depois da partida, o atacante Alerrandro espera que o time reaja rapidamente: “O primeiro tempo foi bastante equilibrado. O Palmeiras tem uma qualidade enorme e fez belo gol de fora da área. No segundo, quando apostaríamos no abafa, o adversário fez o segundo gol, o que nos intimidou. Agora é levantar a cabeça para reagir nas próximas rodadas”.

A torcida perdeu a paciência com alguns jogadores depois do segundo gol do Palmeiras. O goleiro Victor, o lateral-esquerdo Fábio Santos, o armador Geuvânio e o atacante Ricardo Oliveira receberam muitas vaias quando pegaram na bola. Ao ser substituído pelo prata da casa Alerrandro, o camisa 9 ironicamente aplaudiu a manifestação dos torcedores. O meia-atacante Luan foi praticamente o único poupado.

Rodrigo Santana encara as críticas a Ricardo Oliveira com naturalidade e diz confiar muito no jogador, de 39 anos: “Não há adjetivos para falar do Ricardo. É um ótimo jogador, um líder e tem condições para doar muito. Independentemente de vaia, é um jogador que admiro, confio e acredito. Eu o tirei para preservá-lo. Ele é soberano na posição, pois é um jogador experiente. Contamos muito com ele”.

COPA DO BRASIL O Galo terá uma série de jogos difíceis pela frente. Volta a campo na quarta-feira, diante do Santos, no Independência, na estreia nas oitavas de final da Copa do Brasil. Pelo Brasileiro, os próximos compromissos serão diante de Flamengo, sábado, no Independência, e Grêmio, no Sul do país.

Atlético
Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson (Nathan 9 do 2º), Elias, Geuvânio (Vinícius 30 do 2º), Luan e Chará; Ricardo Oliveira (Alerrandro 21 do 2º)
Técnico: Rodrigo Santana

Palmeiras

Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique, Dudu (Felipe Pires 43 do 2º), Raphael Veiga (Moisés 23 do 2º) e Zé Rafael (Hyoran 40 do 2º); Deyverson
Técnico: Luiz Felipe Scolari

4ª rodada do Brasileiro
Estádio: Mineirão
Gols: Bruno Henrique 43 do 1º e 7 do 2º
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Elio Nepomuceno de Andrade (RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartão amarelo: Raphael Veiga, Diogo Barbosa, Felipe Melo e Nathan
Público: 24.368 presentes
Renda: R$ 503.695
Próximos jogos: Flamengo (c), Grêmio (f) e CSA (c)


Publicidade