Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Galo 100%

Com golaços, Atlético vence segunda seguida, quebra tabu de 17 anos contra o Vasco em São Januário e divide a liderança com o São Paulo


postado em 02/05/2019 05:12

Aos 45 da etapa final, Chará acertou chute preciso no gol vascaíno: time não foi brilhante, mas também não sofreu(foto: Bruno Cantini / Atlético)
Aos 45 da etapa final, Chará acertou chute preciso no gol vascaíno: time não foi brilhante, mas também não sofreu (foto: Bruno Cantini / Atlético)


Pela terceira vez na era dos pontos corridos, o Atlético venceu seus dois primeiros jogos no Campeonato Brasileiro. Depois de superar o Avaí por 2 a 1, domingo, no Independência, o Galo fez um excelente resultado ao derrotar o Vasco pelo mesmo placar, ontem à noite, em São Januário. Com 6 pontos, o alvinegro divide a liderança com o São Paulo, levando desvantagem no saldo de gols (3 a 2). Santos e Bahia, que jogam hoje, também podem chegar à mesma pontuação.

O Galo repetiu o feito de 2011 e 2012, quando venceu nas duas primeiras rodadas. E ainda deu fim a um jejum de 17 anos sem superar o cruzmaltino em São Januário pelo Brasileiro. O mais importante: o grupo vai recuperando a confiança, depois de um mês conturbado, caindo na Libertadores e perdendo o Mineiro para o arquirrival, Cruzeiro. “É importante começar bem, se segurar até a parada para a Copa América no pelotão da frente. E também para recuperar a autoestima, confiança, que estava arranhada pelas dificuldades do último mês”, afirmou o goleiro Victor.

Na próxima rodada, o Galo volta a jogar fora de casa, contra o Ceará, que ontem perdeu para o Cruzeiro por 1 a 0, no Mineirão. A partida será sábado, às 21h, no Castelão, em Fortaleza. De lá, o grupo parte para a Venezuela, onde encerra participação na Libertadores (eliminado, tenta garantir vaga na Sul-Americana) contra o Zamora, terça-feira, às 19h15 (de Brasília), em Barinas. Preocupado com os desdobramentos da crise política no país vizinho, o clube aguarda resposta da CBF e Conmebol sobre a realização da partida, que em princípio está mantida.

O interino Rodrigo Santana comemorou o resultado. “Saio feliz pela entrega da equipe. O Vasco cresceu dentro de casa. Quebramos um tabu, o Atlético não vencia desde 2002. Procuramos fazer jogo seguro, eficiente. Com o Atlético é assim, tem que ser na raça. E nada como fazer gol no final para coroar a vitória deste grupo”.

O Atlético teve um primeiro tempo de baixa criatividade. Sem Cazares, o alvinegro dependeu muito de Luan, que ficou sobrecarregado, tentando fazer ligação com Ricardo Oliveira, Geuvânio e Chará, sem sucesso. Tanto que a equipe passou os primeiros 45 minutos sem nenhuma finalização a gol. O Vasco também não ofereceu riscos a Victor.

No intervalo, Luan deu lugar a Maicon Bolt. Com isso, Elias se soltou mais, chegando ao ataque. E foi assim que o Atlético chegou ao gol, aos 14min do segundo tempo, na primeira vez que arrematou à meta adversária. Depois de bola rebatida, o volante acertou um belo chute de fora da área, no ângulo esquerdo de Alexander. Mas o Atlético não conseguiu segurar a vantagem por muito tempo. Aos 20min, Yago Pikachu arriscou de fora da área, a bola bateu em Réver e, na sobra, Maxi López tocou no canto de Victor. Pouco depois, o argentino teve a chance da virada, mas Igor Rabello salvou na pequena área.

NO ÂNGULO Nos minutos finais, Santana mexeu no time. Zé Welison saiu machucado para a entrada de Jair, e Geuvânio deu lugar a Nathan, que quase conseguiu o segundo do Atlético. Aos 38min, ele abriu espaço e chutou de fora da área. Alexander pulou no canto esquerdo e espalmou para fora. Aos 45min, Chará passou pelo ex-atleticano Valdívia e acertou um belo chute cruzado. O colombiano, que fez gol parecido na derrota para o Palmeiras por 3 a 2, no ano passado, festejou bastante. “Muito importante. O time está se preparando para isso, para ganhar fora de casa. O time sabe da importância de conseguir pontos fora de casa”, afirmou.

A delegação desembarca hoje de manhã em Confins e faz trabalho regenerativo à tarde, na Cidade do Galo. Viaja amanhã pela manhã para Fortaleza.


FICHA TÉCNICA
VASCO 1 X 2 ATLÉTICO

Vasco: Alexander; Cláudio Winck, Werley, Ricardo e Henrique; Fellipe Bastos (Andrey 18 do 2º), Lucas Mineiro, Yago Pikachu (Rossi 33 do 2º) e Yan Sasse; Marrony (Valdívia 26 do 2º) e Maxi López
Técnico: Marcos Valadares
Atlético: Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Jair 28 do 2º), Elias, Geuvânio (Nathan 35 do 2º), Luan (Maicon Bolt, intervalo) e Chará; Ricardo Oliveira
Técnico: Rodrigo Santana
2ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: São Januário
Gols: Elias 14, Maxi López 20, Chará 45 do 2º
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Daniel Luis Marques (SP)
VAR: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Pagantes: 6.559
Renda: R$ 138.302
Próximos jogos do Atlético: Ceará (f), Palmeiras (c) e Flamengo (c)


Morre Zé Maria Pena

Morreu ontem, aos 70 anos, José Maria Pena, lateral-direito campeão brasileiro pelo Atlético em 1971 como reserva. Formado nas categorias de base do clube, ele defendeu o Galo em 146 jogos, de 1968 a 1973. Além do Brasileiro, venceu o Mineiro (1970) e a Taça Belo Horizonte (1971 e 1972). Foi auxiliar de Humberto Ramos no vice do Brasileiro, em 1999, e comandou o Galo em sete partidas em 2001. Passou também pelo América e diversos clubes mineiros, com destaque para o título do interior conquistado em 2007 pelo Democrata de Governador Valadares. O sepultamento será às 14h, no Cemitério da Paz.


Publicidade