Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Aposta na força do Horto


postado em 18/04/2019 05:05

Para o zagueiro Igor Rabello, levar o jogo para o Independência foi um acerto, pois a torcida faz pressão maior sobre o adversário(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press - 9/1/19)
Para o zagueiro Igor Rabello, levar o jogo para o Independência foi um acerto, pois a torcida faz pressão maior sobre o adversário (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press - 9/1/19)


Depois de 52 dias, o Atlético voltará a mandar um jogo no Independência. O Horto foi escolhido como a casa do Galo para a finalíssima do Campeonato Mineiro, sábado, às 16h30, contra o Cruzeiro. O alvinegro precisa do triunfo diante do arquirrival para conquistar o Estadual. Para isso, se apega aos números em seu caldeirão.

O retrospecto diante da equipe celeste no estádio é amplamente favorável aos atleticanos. Em 17 partidas como mandante no novo Independência, foram nove vitórias, três empates e apenas quatro derrotas – houve ainda uma igualdade por 2 a 2 em partida em que o mando era cruzeirense. O Galo marcou 24 gols e sofreu 15.

Desde que a arena foi reaberta, em 2012, após a remodelação, o alvinegro disputou 215 partidas, sendo 143 vitórias, 44 empates e 28 derrotas. Marcou 425 gols e sofreu 180. Se vencer no sábado, levantará sua terceira taça no estádio desde então: foi campeão mineiro em 2012, em cima do América, e ganhou o Estadual de 2017, em decisão contra o Cruzeiro. No Horto, o alvinegro ainda abriu as finais do Mineiro de 2013 e da Copa do Brasil de 2014 – ambas contra a Raposa.

O maior goleador do Atlético novo Independência é o atacante Jô, que marcou 27 gols entre 2012 e 2014. O centroavante poderá ser alcançado nesta decisão pelo meia-atacante Luan, que está recuperado de dor muscular e já balançou as redes do estádio em 26 oportunidades.

NO GRITO DA MASSA
Para os jogadores do Galo, o Independência faz jus ao apelido de caldeirão. É nesse fator que os alvinegros se apegam para devolver a derrota ao Cruzeiro, que venceu o primeiro jogo, no domingo, no Mineirão, por 2 a 1. Como teve melhor campanha na fase de classificação, o Galo tem a vantagem de levar o título em caso de igualdade no saldo de gols, portanto, triunfo por qualquer placar valerá a taça.

“A gente sabe que é caldeirão. Quando o Atlético joga lá, a torcida tem um gás a mais. É um pouco diferente do Mineirão, então, que a gente possa fazer a diferença, que a torcida possa fazer essa diferença também. Quando os torcedores estão motivados, ajuda muito dentro de campo, é uma força a mais. Que no sábado eles possam incendiar o jogo”, disse o lateral-direito Guga.

Apesar de ter sido contratado nesta temporada, o zagueiro Igor Rabello afirma já ter se apegado ao Independência. “Particularmente, prefiro o Independência também, por ser um estádio menor e virar aquele caldeirão. Não vai todo mundo porque não dá, mas acho que lá o Atlético tem uma força maior. A torcida vai e faz um barulho incrível. Tenho certeza que a diretoria escolheu porque sabe disso, e vai dar certo”.


Publicidade