Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Galo massacra e decisão promete!

Atlético passa por cima do Boa com um convicente 5 a 0 e agora pega o Cruzeiro na final do Mineiro com vantagem. Antes, porém, rivais têm compromissos pela Libertadores na quarta-feira


postado em 08/04/2019 05:08

Elias marcou o segundo gol do Atlético(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Elias marcou o segundo gol do Atlético (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)


Comprovando o favoritismo, o Atlético confirmou o direito de enfrentar o Cruzeiro na decisão do Campeonato Mineiro de 2019 depois de golear o Boa por 5 a 0, sem nenhuma dificuldade, ontem, no Mineirão. Por ter melhor campanha, o Galo será campeão com dois empates ou vitória e derrota pela mesma diferença de gols. As datas ainda serão definidas, assim como o local da segunda partida – a primeira será no Gigante da Pampulha, mas a de volta poderá ser no Independência.


Com o resultado de ontem, o alvinegro chega à 13ª decisão de Estadual seguida, recorde no Brasil. Será também a terceira final consecutiva entre os tradicionais rivais, a 23ª na história da competição.


Antes, porém, tanto o Atlético quanto o Cruzeiro voltam as atenções para a Copa Libertadores. Enquanto o time azul, em situação tranquila no Grupo B, receberá o Huracán-ARG, o alvinegro vai a Assunção enfrentar o Cerro Porteño-PAR precisando da vitória no Grupo E. Os dois confrontos serão na quarta-feira, às 19h15.


Justamente por ter jogo decisivo pela frente que a vitória de ontem foi muito comemorada, principalmente pela forma como o time atuou. “Foi um jogo para trazer confiança, no qual o time jogou bem, não sofreu gol. Fazer cinco gols não é nada fácil, nós provocamos isso. E agora é ir com tudo na quarta-feira, não podemos perder mais pontos na Libertadores. E depois pensar no primeiro jogo da final”, afirmou o atacante Ricardo Oliveira, que não fez gol ontem, mas ajudou bastante a equipe, abrindo espaços e dando assistência. “Estamos de parabéns por tudo que fizemos contra o Boa.”


Realmente o Atlético teve atuação convicente. Logo com 5min, Réver completou de cabeça escanteio na direita e assustou o goleiro Renan Rocha. Três minutos depois, foi a vez de Fábio Santos cabecear para fora, completando cruzamento de Cazares. Já aos 10min, foi a vez de Ricardo Oliveira testar rente à trave.


E foi em novo cruzamento, aos 18min, que o Galo conseguiu colocar a bola na rede, mas com o pé esquerdo de Luan. Porém, com auxílio do VAR, o gaúcho Anderson Daronco marcou falta no goleiro Renan Rocha.


Aos 24min, o mesmo Luan completou para o gol novamente com o pé esquerdo, depois de falta na intermediária. A arbitragem voltou a recorrer ao auxílio do vídeo, mas dessa vez confirmou o gol.


Como precisava virar, o Boa foi para o ataque e deu espaço ao Galo, que se aproveitou para ampliar aos 40min. Em contra-ataque, Cazares tocou para Elias, que serviu Ricardo Oliveira. O atacante poderia ter finalizado, mas preferiu devolver para o companheiro, que tocou para o gol, praticamente definindo a partida.


O terceiro saiu nos acréscimos e foi marcado contra pelo zagueiro Victor. Ele tentou cortar cruzamento de Cazares da esquerda e mandou para a própria rede.

MAIS GOLS

Logo com 2min da etapa final o Galo fez o quarto, em nova falha da defensiva boveta. Fernando caiu sozinho e Geuvânio se aproveitou para ficar com a bola, invadir a área e bater colocado, fazendo a torcida explodir novamente.
A partir de então, os donos da casa jogaram em ritmo de treino. O técnico Levir Culpi se deu ao luxo de tirar jogadores como o zagueiro Réver e o armador Cazares. Mesmo assim, fez o quinto gol aos 28min, em bela troca de passes finalizada por Vinícius. Inicialmente foi marcado impedimento, mas, depois de consulta ao VAR, o tento foi confirmado.
“Conseguimos uma superioridade sobre o adversário até meio esquisita, pois o Boa joga regularmente bem. Mas as coisas se encaixaram e prevaleceu a qualidade dos nossos jogadores, as chances foram aproveitadas”, declarou o técnico Levir Culpi, que evita euforia. “As jogadas aconteceram, saíram gols bonitos e os jogadores estão de parabéns. Mas tem muita coisa pela frente. Mantivemos a vantagem e vamos tentar vencer este título.”


Publicidade