Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Vencer e convencer

O Atlético encara o Boa no Mineirão, às 16h, em busca da vaga na final. Mas Levir precisa ajustar o time para a sequência da temporada. Victor completará 400 jogos pelo Galo


postado em 07/04/2019 05:08

O Atlético fez o último treino ontem e o técnico Levir Culpi promete um time mais agressivo hoje, contra o Boa(foto: Bruno Cantini/Atlético)
O Atlético fez o último treino ontem e o técnico Levir Culpi promete um time mais agressivo hoje, contra o Boa (foto: Bruno Cantini/Atlético)

 

Com força máxima, o Atlético decide hoje, às 16h, no Mineirão, uma vaga para a final do Campeonato Mineiro contra o Boa, de Varginha. Na partida de ida da semifinal, as equipes empataram por 0 a 0, no Estádio do Melão. Por ter tido melhor campanha na primeira fase, o alvinegro tem a vantagem de jogar por empate em Belo Horizonte.
Apesar da vantagem, o técnico do Atlético, Levir Culpi, garante uma postura agressiva dos donos da casa, que jogarão diante de um bom público. Segundo a última parcial divulgada pelo clube, mais de 37 mil ingressos haviam sido vendidos antecipadamente. “Vai ter muita torcida, a gente conta com isso. O Atlético é um time de investimento muito maior, tem jogadores de alta qualidade e a obrigação de ter um resultado positivo. Agora, se eu estivesse lá no Boa, ficaria feliz da vida por jogar contra um time nessa condição (sem favoritismo), com a possibilidade de fazer o melhor.”


Para Levir, a partida contra o Boa é uma oportunidade de melhorar o entrosamento da equipe. Afinal, o Atlético está a poucos dias de mais uma “decisão” no Grupo E da Copa Libertadores. Na próxima quarta-feira, às 19h15, o time encara o Cerro Porteño-PAR, em Assunção, pela quarta rodada. “Temos que melhorar em algumas coisas. É uma oportunidade para o time se encaixar, treinar, jogar bem e, principalmente, obter a vitória. Felizmente, o jogo se transformou numa ótima oportunidade”.


O técnico do time alvinegro promete escalar o time titular. Mas ele pode poupar alguns jogadores, já que o planejamento atleticano prevê jogos decisivos nas próximas semanas. Desfalques certos são os volantes Zé Welison e Jair, que cumprem suspensão. Por outro lado, Adílson se recuperou das dores no joelho direito e pode jogar.
Se eliminar o Boa, o Atlético disputará a final do Mineiro pela 13ª vez seguida. Desde 2007, o Galo termina o Estadual entre os dois melhores. De lá pra cá, foram seis títulos e outros seis vice-campeonatos. “Isso demonstra a grandeza do Atlético, do que o clube representa para o futebol mineiro e nacional. Espero que a gente consiga confirmar mais essa final, que seria importante para a história de todos e do clube. Mas sabemos que temos um adversário difícil, que nos impôs muitas dificuldades no primeiro jogo”, enfatizou o goleiro Victor.

CONFIANÇA

Ao contrário do Atlético, o Boa tenta a façanha de chegar a uma final de Campeonato Mineiro pela primeira vez na história. A melhor campanha foi em 2014, quando o time de Varginha terminou em quarto lugar. Ainda como Ituiutaba, o clube foi quarto em 2008 e terceiro em 2009. Apesar do duro desafio, os jogadores mostram confiança. “Estamos seguros o suficiente para que a gente possa fazer um grande jogo. Acredito que a equipe tem condições e qualidade para jogar de igual para igual com qualquer adversário”, assegurou o zagueiro Fernando. A tendência é que o técnico Cesinha mantenha o mesmo time que assegurou o empate no jogo de ida.


Publicidade