Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Bomba do Jaeci


postado em 16/03/2019 05:15

"A Venezuela vive uma crise política, mas sua gente é formada por seres humanos, como todos nós, e merece respeito"

 

DESCASO
É sabido que a Conmebol não freta aviões e não escolhe as companhias aéreas em que os clubes filiados devem voar. Porém, é preciso olhar com carinho e ter cuidado, para que tragédias como a da Chapecoense não ocorram mais. O Deportivo Lara, adversário do Cruzeiro, não conseguiu voar por problemas de logística, além das dificuldades enfrentadas por causa da crise que assola o país, correndo o risco de, no desespero, buscar companhias aéreas não consfiáveis. A Conmebol poderia chamar para si essa responsabilidade. Duvido que algum dirigente da Conmebol colocaria seus familiares para viajar numa companhia de qualidade duvidosa. Os venezuelanos são gente, como todos no mundo, e merecem respeito.

 

QATAR AIRWAYS
Como a companhia aérea do Catar é uma das patrocinadoras da Copa Libertadores, seria pedir demais para que ela ponha uma de suas aeronaves para fazer os voos, fretados, para Potosi, Oruro, Barinas, San Critóbal, Cusco, e outras cidades da América do Sul? Somos sim países de terceiro mundo, mas não se pode submeter o ser humano a qualquer tipo de risco. A tragédia da Lamia poderia ter sido evitada, caso a Chapecoense fretasse um voo em uma companhia decente, que desse as mínimas condições de segurança aos passageiros. Eu, particularmente, perdi três grandes amigos naquele voo da Chape, Paulo Júlio Clement, Victorino Chermont e Mário Sérgio, além de vários conhecidos, que perderam suas vidas por causa de um piloto ganancioso e assassino, que também morreu na tragédia, por sua negligência e irresponsabilidade.


NO BANCO
Chará (foto), uma das contratações mais caras do Atlético, que custou cerca de R$ 22 milhões, está no banco com o técnico Levir Culpi. Pelo que já vimos do atleta, ele não é isso tudo, mas tem velocidade e com ele a equipe produz muito mais do que tem feito nas últimas partidas. Enquanto isso, o torcedor sofre com Patric, Fábio Santos e outros jogadores que vivem péssimo momento. As incoerências do técnico Levir Culpi poderão levar o Galo a ser eliminado de forma precoce da Libertadores.

 

58 MIL PAGANTES
Esse foi o público pagante de Flamengo 3 x 1 LDU, quarta-feira, no Maracanã. O público presente foi de mais de 62 mil pessoas. Isso prova que quando uma equipe monta time, o torcedor diz sim e comparece em massa. Não, à toa, os torcedores de Cruzeiro, Palmeiras e Grêmio têm lotado os estádios, porque também confiam em suas equipes, apontadas como favoritas aos títulos que estão disputando. Claro que nem todo mundo está nadando em dinheiro, como Flamengo, Palmeiras e Grêmio, mas as dificuldades têm de ser superadas com competência e criatividade.


DISTÂNCIA ABISSAL
Assistir a um jogo da Liga dos Campeões da Europa, nas terças e quartas-feiras à tarde, e depois ver um jogo da Libertadores, nos faz perceber a diferença abissal entre o futebol da América do Sul e o Europeu. Lá, os técnicos têm esquemas, que são percebidos facilmente. Por essas bandas, o que a gente vê são treinadores enganadores, ganhando fortunas, sem conseguir dar sequer padrão de jogo aos times. Mas, no fim do mês, vão a banco e a conta continua engordando. Já passou da hora de os dirigentes darem um basta e mandar essa turma de come e dorme embora. Chega de brincar com o dinheiro dos clubes.


Publicidade