Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Galo mira a Libertadores

Após os reservas levarem o time à liderança do Estadual, titulares assumem a camisa alvinegra com a missão de vencer o Defensor no Uruguai para encaminhar a vaga à fase de grupos


postado em 18/02/2019 05:04

"Espero algo semelhante com os dois jogos que fizemos, com muito equilíbrio, contra o Danubio. O Defensor me parece um time mais físico" Levir Culpi, técnico atleticano (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 28/11/18)

 

 

Com os reservas dando conta do recado no Campeonato Mineiro – com três vitórias consecutivas, levaram o time à liderança do Estadual –, o Atlético volta as atenções para sua prioridade no ano: a Copa Libertadores. O alvinegro embarca hoje, às 22h30, em voo fretado para Montevidéu, onde na quarta-feira fará o jogo de ida da terceira fase preliminar da Copa Libertadores, diante do Defensor.

A capital uruguaia foi palco de empate por 2 a 2 com o Danubio, na estreia atleticana na atual edição do torneio continental. Se superar o Defensor e passar à fase de grupos, o Galo voltará a Montevidéu logo na segunda rodada, marcada para 12 de março, para enfrentar o Nacional, que integra a Chave E ao lado do paraguaio Cerro Porteño e do venezuelano Zamora. A diferença é que, em vez de atuar no Estádio Luis Franzini, entrará em ação no Parque Central.

Na história, o time alvinegro já jogou outras seis vezes em Montevidéu, todas no Estádio Centenário. Foram duas vitórias, um empate e três derrotas, com 11 gols marcados e 15 sofridos. No geral, são 17 jogos contra equipes uruguaias, com sete vitórias do Galo, oito empates e apenas duas derrotas, com 30 gols a favor e 21 contra.

Até pelos embates com o Danubio, os atleticanos esperam encontrar dificuldade na quarta-feira, mas se mostram confiantes em conquistar um resultado positivo. O objetivo é chegar em boa condição ao duelo de volta, dia 27, em Belo Horizonte – o compromisso está marcado para o Independência, mas alguns defendem que ele seja no Mineirão, de maior capacidade de público.

“Vamos ter o mata-mata mais importante e temos de passar. Espero algo semelhante com os dois jogos que fizemos, com muito equilíbrio, contra o Danubio. O Defensor me parece um time mais físico e, se entramos como no primeiro tempo contra o Tupi, vamos correr riscos. Mas, se for como no segundo tempo, temos chances de conquistar um bom resultado”, afirmou o técnico Levir Culpi.

Ele recorre à conquista do título mundial pela Seleção do Uruguai em 1950, em pleno Maracanã, para alertar os atleticanos a respeito dos riscos da partida de quarta-feira: “Temos medo de uruguaios desde 1950. E entrar com um pouco de medo é bom, deixa o time mais alerta. Vai ser um jogo físico e estamos estudando bastante a forma de jogar deles para estarmos bem preparados”.

TITULARES Na vitória por 2 a 0 sobre o Tupi, sábado, no Horto, Levir escalou um time inteiro reserva, como vem fazendo em jogos do Mineiro. Agora, promove a volta dos titulares, não devendo apresentar muitas surpresas, ainda que parte da torcida peça a escalação de Guga na lateral direita, no lugar do contestado Patric. Levir desconversa, deixando a entender que Patric continua titular. Para o decorrer da partida, no entanto, a alteração pode ocorrer. E também a entrada de outros atletas que se destacaram no time reserva, como o atacante Maicon Bolt, que deu assistência e jogou bem contra o Tupi.

“O Maicon participou de lances decisivos em todos os jogos em que entrou. Então, isso é positivo. Ele é velocista e ainda finalizador. Foi uma contratação legal”, argumenta o treinador. “Treino e jogo para estar sempre entre os 11, mas o Levir sabe o que faz. O que tenho de fazer é continuar me dedicando”, destaca Maicon Bolt.

O time alvinegro vai finalizar a preparação para o jogo com o Defensor amanhã à tarde. A equipe treinará às 17h no CT do Danubio. A volta para Belo Horizonte será logo após a partida de quarta-feira.


ATLETICANAS...
Recurso em vão

A Conmebol anunciou ontem de manhã a negativa ao recurso impetrado pelo Barcelona de Guayaquil, do Equador, que buscava a vaga na terceira fase da Libertadores para enfrentar o Atlético. O Barcelona foi punido pela escalação irregular do volante Sebastián Pérez no primeiro jogo contra o Defensor, pela fase anterior. Por isso, o triunfo equatoriano por 2 a 1 se transformou em derrota por 3 a 0. Vitória na partida seguinte apenas por 1 a 0, em Guayaquil, resultou na eliminação. O clube alegava que não poderia ser punido por circunstâncias alheias, responsabilizando a Federação Equatoriana de Futebol (FEF), pois os documentos foram enviados no prazo, mas, por um erro da FEF, a inscrição não foi feita no período correto. Assim, a Conmebol manteve a punição ao Barcelona e o Defensor como adversário do Galo.

Suplentes de novo
O Atlético deve voltar a utilizar a formação reserva no próximo confronto do Estadual, domingo, contra o Villa Nova. A partida, pela oitava rodada da competição, será às 17h, no Independência.


Outros jogos

Com três gols na partida, todos de pênalti, o duelo entre Caldense e Boa, no Estádio Ronaldo Junqueira, o Ronaldão, em Poços de Caldas, foi marcado pelo equilíbrio. Melhor para os mandantes, que venceram de virada por 2 a 1. Felipe Baiano fez os dois da Veterana e Gindre descontou para o time de Varginha. O resultado foi importante para a Caldense, que conquistou seu primeiro triunfo no Campeonato Mineiro. No outro jogo de ontem, Patrocinense e Guarani empataram por 1 a 1. A sétima rodada será completada hoje, em Patos de Minas, com URT x Tupynambás, às 19h, no Estádio Zama Maciel.


Publicidade