Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Vagas ameaçadas no Atlético

Jogadores que vêm tendo atuações irregulares nesta temporada com a camisa alvinegra correm o risco de perder lugar na equipe nos próximos confrontos pela Copa Libertadores


postado em 14/02/2019 05:05

Colombiano Chará é um dos atleticanos que estão devendo uma boa exibição neste ano(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 9/8/18)
Colombiano Chará é um dos atleticanos que estão devendo uma boa exibição neste ano (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 9/8/18)


O Atlético ainda vive o misto de euforia e alívio pela classificação à segunda eliminatória da Copa Libertadores, depois de difícil vitória por 3 a 2 sobre o Danubio, no Independência, mas já projeta os próximos passos na competição internacional. Para os duelos com o também uruguaio Defensor, na próxima fase, o técnico Levir Culpi começa a avaliar quais atletas se deram bem nas últimas partidas e serão mantidos como titular e quais estão na berlinda, correndo risco de perder a vaga.

Neste início de ano, quem tem tido atuação pouco expressiva é o colombiano Chará. Contratação mais cara da história do Galo (R$ 22 milhões), o atacante convive com a irregularidade em 2019. Sua melhor exibição foi na goleada sobre a URT por 4 a 0, pelo Estadual, em que balançou as redes pela única vez na temporada. No primeiro jogo diante do Danubio (empate por 2 a 2, em Montevidéu), foi substituído no intervalo por Maicon Bolt, que deu assistência para o segundo gol de Ricardo Oliveira.

O colombiano vive de altos e baixos na equipe desde o ano passado, durante o Campeonato Brasileiro. Neste ano, Levir mudou o posicionamento dele em vários jogos – ele foi escalado pelo lado direito, como atuava no Junior Barranquilla.

Levir atribui o mau começo de ano de Chará e de outros jogadores à preparação física ainda longe do ideal: “Há muitas coisas que acontecem paralelamente e que prejudicam o desempenho. Os jogadores estão dando 100% e fizemos as três alterações, mas alguns saíram realmente cansados, porque a parte física é muito forçada para início de temporada. Seria interessante vocês entrevistarem nossos fisiologistas e fisioterapeutas, eles têm os dados todos dos jogadores. Acho que é uma coisa que pode ser liberada para vocês saberem como funciona a recuperação dos jogadores e o desgaste que eles têm”.

Elias é outro que tem sentido o desgaste físico. Sacado por Levir nos dois jogos contra o Danubio, o volante esteve distante de suas melhores apresentações. Seu único gol foi na goleada sobre o Boa por 5 a 0, na estreia no Campeonato Mineiro. Depois disso, não manteve o ritmo.

Neste ano, Elias esteve envolvido em polêmica depois que teve negada a transferência para o Internacional. O pai do jogador, Eliseu Resende, pressionou publicamente o Atlético para renovar o vínculo, que vence apenas em janeiro do ano que vem. A partir de agosto, ele poderá assinar pré-contrato com outra equipe. A diretoria diz que iniciará as conversas com o volante a partir de março.

TITULARES DE FORA Levir poupará outra vez os titulares no duelo de sábado, com o Tupi, às 19h, no Independência. A intenção é que eles estejam descansados até o próximo confronto pela Libertadores, com o Defensor, provavelmente na terça-feira – a Conmebol divulgará hoje a data e o horário.


ATLETICANAS...
CT sustentável

O Atlético lançou ontem um projeto inovador de sustentabilidade na Cidade do Galo. Em parceria com a EcoCidades, a meta do clube é que o local seja o primeiro centro de treinamento 100% sustentável do Brasil, com selos de ecossustentabilidade. A Cidade do Galo gera por mês cerca de 35 toneladas de resíduos, e o clube, em vez de jogá-los em aterros sanitários, fará a reciclagem de 100% na usina de triagem e compostagem, localizada dentro do próprio CT. A economia prevista no processo é de R$ 500 mil anuais. O projeto prevê, ainda, a instalação de pontos de energia eólica e energia solar, além da utilização de resíduos de mineração em parte do piso a ser utilizado na estrutura.

Outro adversário na Libertadores?
Francisco Egas, recém-empossado presidente da Federação Equatoriana de Futebol (FEF), e José Francisco Cevallos, presidente do Barcelona de Guayaquil, foram à sede da Conmebol ontem, no Paraguai, reivindicar os pontos do jogo contra o Defensor, em Montevidéu. A equipe equatoriana, que havia vencido por 2 a 1, foi punida por escalação irregular do volante Sebastián Pérez e acabou declarada derrotada por 3 a 0. Em casa, na noite de terça-feira, até ganhou por 1 a 0, mas foi eliminada pelos uruguaios. Os documentos foram enviados no prazo correto pelo clube, mas, por um erro de um funcionário da FEF, a inscrição não foi feita no período legal. “Levamos a documentação para demonstrar que o Barcelona foi o grande prejudicado”, disse Cevallos.


Publicidade