Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

América. Bem mais do que líder

Além da ponta do Estadual, o América faz sua melhor campanha desde 2015, tem a defesa menos vazada e o segundo ataque mais positivo


postado em 08/02/2019 05:06

Em seu resultado mais elástico, Coelho goleou o Tupi por 5 a 0 no Independência, confirmando o espírito ofensivo da equipe(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Em seu resultado mais elástico, Coelho goleou o Tupi por 5 a 0 no Independência, confirmando o espírito ofensivo da equipe (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)


Embora esteja em um período de reformulação, já que conta com apenas três jogadores que eram titulares na temporada passada – os volantes Zé Ricardo e Juninho e o armador Matheusinho –, o América vive seu melhor início de Campeonato Mineiro desde a edição de 2015. Em cinco rodadas, três vitórias e dois empates. Além da liderança do Estadual, o Coelho tem o segundo ataque mais positivo (11 gols) e a defesa menos vazada, cujas redes foram balançadas duas vezes.

Em 2018, até a quinta partida o alviverde havia vencido três, empatado uma e perdido outra. A equipe havia marcado seis gols e sofrido três. O resultado final foi um terceiro lugar, superado pelo Atlético numa das semifinais, ainda que na fase de pontos corridos tenha ficado em segundo lugar, atrás do Cruzeiro.

Já no comparativo com 2017, o time somava duas vitórias, dois empates e uma derrota – goleado por 4 a 1 pelo Atlético. Por causa desse revés no clássico, acumulava até a quinta rodada seis gols sofridos, enquanto havia balançado por sete vezes as redes dos adversários. O Coelho fechou a fase classificatória na terceira posição e, na semifinal, acabou batido pela Raposa.

No ano em que foi campeão, 2016, comandado por Givanildo Oliveira, o América também teve um início de competição inferior ao de agora. Foram três vitórias, um empate e uma surpreendente derrota: 3 a 0 para o Guarani, que seria rebaixado. A exemplo de 2017, o ataque marcou sete gols e a defesa sofreu seis.

Em 2015, embora a campanha nas cinco primeiras rodadas tenha sido semelhante à deste ano, com três vitórias e duas derrotas, a posição final seria a pior em comparação às últimas cinco edições, já que terminou a competição apenas no quinto lugar.

Givanildo, porém, prefere não se ater a números ou estatísticas. Para ele, o que importa é o time continuar somando pontos e se manter em condições de encerrar a fase de classificação na frente. “Assim teremos sempre a vantagem de decidir em casa”, projeta, mirando a etapa de mata-matas.

Ontem, o treinador comandou o primeiro treino tático da semana no CT Lanna Drumond, preparando o time para a partida contra a URT, amanhã, às 21h, no Independência, pela sexta rodada do Mineiro. Além de coletivo tático em campo completo, os atletas treinaram também jogadas de bola parada e finalizações.

Se o alviverde tem números expressivos, a equipe de Patos de Minas vive situação delicada no Estadual. É a penúltima colocada da competição, com 2 pontos. Com um jogo a menos que as demais equipes (confronto com o Boa foi adiado para o dia 27), foi batida duas vezes e tem saldo negativo de cinco gols.


Publicidade