Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Desempate na Davis com Marcelo Melo e Bruno Soares

Duelo com a Bélgica está 1 a 1 e caberá à dupla de belo-horizonte, que faz o primeiro jogo hoje, no Sabiazinho, colocar a equipe brasileira à frente no placar geral


postado em 02/02/2019 05:10

Thiago Monteiro abriu a série de confrontos em Uberlândia, ontem, vencendo Arthur de Greef por 2 a 0(foto: EVARISTO SA /AFP)
Thiago Monteiro abriu a série de confrontos em Uberlândia, ontem, vencendo Arthur de Greef por 2 a 0 (foto: EVARISTO SA /AFP)

Com o confronto entre Brasil e Bélgica empatado por 1 a 1, o jogo de duplas hoje, às 14h, abrindo o segundo dia da Copa Davis no Ginásio Tancredo Neves, o Sabiazinho, em Uberlândia, ganhou ares de decisão. Os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares enfrentarão os belgas Sander Gillé e Joran Vliegen. Ganhar será um passo importante para que a equipe brasileira garanta a classificação para a fase final do evento, em novembro, na Espanha. Disputarão o título no país ibérico a anfitriã, as 12 equipes classificadas da repescagem, mais França, Croácia, EUA, como pré-classificadas por serem as três primeiras do ranking mundial na Davis; além de Argentina e Reino Unido, que entraram como convidadas.

Após a partida de duplas, virão dois jogos de simples: Thiago Monteiro enfrentará Coppejans e Rogério Dutra, o Rogerinho, terá pela frente De Greef. Ontem, no primeiro dia, Thiago venceu Arthur de Greef por 2 a 0 ( 6-3 e 6-2) enquanto Rogerinho foi derrotado por Kimmer Coppejans, 2 a 0 (duplo 6-4).

Ponto alto da equipe brasileira no confronto com a Bélgica, Marcelo e Bruno demonstram confiança. O primeiro, inclusive, fala em devolver a derrota sofrida em 2016, na Bélgica. “Não diria que a gente é o ponto forte da equipe como andam dizendo. Jogar em casa, sim, é a nossa vantagem. Se olharmos pelo ranking individual de duplas, somos favoritos. Mas, na Davis, isso não acontece. No último confronto com os belgas, por exemplo, éramos favoritos, mas foi duro e perdemos.”

Os adversários de hoje não são os mesmos de 2016. Na ocasião, a derrota por 3 a 2, com placares apertados (3-6, 7-6 (7/5), 4-6, 6-4 e 6-4), os rivais foram Ruben Bemelmans e Joris de Loore. “Eles têm hoje, uma dupla forte, acostumada a jogar junta no circuito mundial. Não será nada fácil”, destaca Marcelo.

Para Bruno Soares, o fato de a dupla ser considerada o ponto forte do time brasileiro é importante. “Bacana isso. Ainda mais porque o jogo de duplas é o ponto do meio da Davis. Ser considerado assim, aumenta a pressão. Mas nós, eu e o Marcelo, estamos acostumados a isso. A pressão é o reconhecimento do trabalho que é feito pelos dois, daquilo que a gente vem fazendo. Será um jogo bastante difícil, mas com a ajuda da torcida temos condições de vencer e ajudar o Brasil”, diz.

OUTROS JOGOS Nos demais confrontos do primeiro dia da Copa Davis, seis equipes deram um passo importante rumo à classificação. A Sérvia venceu o Uzbequistão por 2 a 0, mesmo placar do triunfo da Austrália, em casa, sobre a Bósnia; da Itália, visitante, sobre a Índia; do Cazaquistão, em casa, sobre Portugal; da Rússia em cima da Suíça, como visitante; e da Alemanha, com apoio de sua torcida, contra a Hungria. Os demais jogos, República Tcheca x Holanda, Áustria x Chile, Eslováquia x Canadá e China x Japão estão empatados por 1 a 1.

Enquanto isso...
...Marcelo é homenageado

O dia foi também de homenagem na Davis. Marcelo Melo recebeu, da Federação Internacional de Tênis (ITF), uma bola de cristal por ter disputado 21 jogos do torneio, defendendo a equipe brasileira. Sua primeira convocação foi em 2008. São 18 vitórias, sendo 17 em duplas e uma em simples. O troféu foi entregue pelo presidente da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), Rafael Westrupp, e Ricardo Aguirre, representando a ITF. “Fui pego de surpresa com esta homenagem da ITF, prêmio que é dado pelo comprometimento com a Copa Davis. Fiquei muito feliz. Todos sabem como esta competição é importante para nós, tenistas. Então ser reconhecido foi muito legal, especialmente jogando em casa.”


Publicidade