Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Luan vai ou fica?

Cobiçado pelo Corinthians, meia-atacante deve definir seu futuro nos próximos dias. No Atlético, há uma ala que aprova a saída e outra que defende a permanência do jogador


postado em 22/01/2019 05:04


De menino humilde que deu os primeiros toques na bola na pequena São Miguel dos Campos (AL) a xodó da torcida do Atlético, o meia-atacante Luan viveu de tudo em sete temporadas na Cidade do Galo: lesões graves, volta por cima, gols e títulos de expressão, como a Copa Libertadores’2013 e a Copa do Brasil’2014. Agora, o camisa 27 pode viver a dura sensação da despedida. Balançado pela proposta do Corinthians, Luan definirá o futuro com seus empresários nos próximos dias e pode ser mais um campeão continental a deixar o clube.

As duas primeiras ofertas do Timão, feitas ainda em dezembro, foram rejeitadas pelo presidente atleticano Sérgio Sette Câmara. A primeira seria o pagamento de 3 milhões de euros (R$ 13 milhões) pela compra em definitivo dos direitos econômicos do atleta de 28 anos. E a segunda envolveria R$ 4 milhões mais 15% dos direitos de um jogador do time paulista – o nome de Clayson foi apresentado e agradou à diretoria do Galo, mas o atacante não aceitou o salário oferecido pelos mineiros.

Luan foi comprado junto à Ponte Preta no fim de 2012 por R$ 800 mil, em negociação feita pelo ex-presidente Alexandre Kalil. O Atlético ficou com 27% do jogador e o restante pertence a um grupo de empresários. Ao lado do goleiro Victor, do zagueiro Leonardo Silva e do volante Lucas Cândido, Luan é um dos campeões da Libertadores que permanecem no clube. No ano passado, depois de várias reuniões, a diretoria alvinegra anunciou a renovação do compromisso com o meia-atacante até abril de 2022 – o longo tempo de contrato chegou a ser criticado por alguns torcedores na época.

O Corinthians oferece R$ 350 mil mensais de salário a Luan, valor semelhante ao que ele recebe no Atlético. A chance de trabalhar com Fábio Carille é um dos fatores que motivam o meia-atacante a apostar na mudança de ares. Durante as férias, o treinador corintiano até conversou com o jogador por telefone, para explicar-lhe o projeto e o modelo de jogo do time paulista para 2019.

A possível negociação de Luan divide opiniões dentro do próprio clube. Enquanto uns defendem a venda em definitivo para recuperar o investimento ao longo dos anos, outros temem a queda técnica que a equipe poderia ter com a saída dele. O jogador vem sendo titular com praticamente todos os treinadores que passaram pela Cidade do Galo e é considerado pela fundamental para a função de beirada de campo, uma das carências no futebol nacional.

Apesar de querer a permanência de Luan, o técnico Levir Culpi entende que o meia-atacante deve fazer o melhor para sua carreira: “O Luan é um cara muito querido pela torcida e por nós também. É um cara muito legal. Só que as boas pessoas que acompanham a gente são procurados por outras. Às vezes, temos que nos separar de amigos. Se for o caso, é algo que ele tem que resolver com o clube. Falei com o Luan, sobre administração de carreira, mas é ele quem cuida da empresa dele. Ele é quem sabe o que é bom pra ele. E tem que tomar decisão. Está meio chatinho isso, vai não vai, tomara que se resolva o mais rápido para tocarmos a vida. Ele marcou um tempo legal no Atlético também, gostaríamos de contar com ele, um cara legal e muito decisivo”.

ROMERO Paralelamente à situação de Luan, o Galo negocia com o paraguaio Ángel Romero, que está fora dos planos do Corinthians e tem compromisso com o clube paulista até o meio do ano. O Atlético ofereceu salário compatível com o que ele recebe em São Paulo e vínculo de quatro anos, o que agradou os representantes do atleta. Se os dirigentes corintianos não liberarem o paraguaio agora, os dirigentes atleticanos podem assinar já o contrato com Romero e contar com ele a partir de julho, sem a necessidade de qualquer investimento. Os casos de Luan e Romero não tem relação um com o outro.

Curiosamente, o Atlético vinha tentando a contratação do armador Óscar Romero, irmão gêmeo de Ángel, que joga no Shanghai Shenhua (CHI). Mas os valores pedidos pelos chineses (R$ 70 milhões, incluindo indenização e luvas de contrato) foram considerados altos demais na atual realidade financeira alvinegra.

 

enquanto isso...

Reservas em Tombos

O técnico Levir Culpi cumprirá à risca a estratégia de preservar os titulares do Atlético e mandará a campo uma formação inteiramente reserva contra o Tombense amanhã, às 19h45, em Tombos, pela segunda rodada do Campeonato Mineiro. O treinador deixará de fora da relação até mesmo os zagueiros Leonardo Silva e Maidana e o armador Terans, que não participaram da goleada sobre o Boa por 5 a 0, no Independência. O time escalado na atividade de ontem teve Cleiton; Carlos Cesar, Martín Rea, Matheus Mancini e Hulk; Lucas Cândido, Neto, Leandrinho, Nathan e Daniel Penha; Alerrandro. Hulk, Neto e Alerrandro representaram o Galo na Copa São Paulo de Juniores. Quase cinco meses depois de ser contratado, o zagueiro uruguaio Martín Rea finalmente deve estrear pelo alvinegro.


Publicidade