Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Messi e Cavani vêm aí

Argentina e Uruguai farão partidas no Mineirão, que receberá mais três jogos, incluindo a semifinal. Seleções têm relação histórica com estádio, mas números bastante negativos


postado em 21/12/2018 05:03

Numa de suas partidas no Gigante da Pampulha, Messi foi batido pelo Brasil, mas brilhou na única vitória dos hermanos em BH, contra o Irã, pela Copa do Mundo(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A PRESS)
Numa de suas partidas no Gigante da Pampulha, Messi foi batido pelo Brasil, mas brilhou na única vitória dos hermanos em BH, contra o Irã, pela Copa do Mundo (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A PRESS)


Cabeças de chave dos grupos B e C da Copa América, Argentina e Uruguai jogarão no Mineirão durante a fase de grupos da Copa América, em junho. Ambas as seleções têm passagens emblemáticas pela capital mineira. A Conmebol já definiu o calendário da competição, mas ainda não houve sorteio de grupos. Dessa forma, o Gigante da Pampulha receberá o jogo do cabeça de chave do grupo C (C1 x C2), em 16 de junho, um domingo, às 19h, e o do B (B1 x B2), em 19 de junho, uma quarta-feira, às 21h30.

Além desses jogos, o Mineirão receberá mais duas partidas da fase de grupos: 22 de junho, sábado, às 16h, e 24 de junho, segunda-feira, às 20h. Um dos duelos da semifinal, a ser disputado em 2 de julho, uma terça-feira, também será no estádio.

A Seleção Brasileira, líder sul-americana do ranking e anfitriã do torneio, será o cabeça de chave do Grupo A. O Brasil jogará no Morumbi, na abertura da Copa América, na Fonte Nova e na Arena Corinthians, em 14, 18 e 22 de junho, respectivamente.

Se avançar, fará a semifinal no Mineirão e, passando, a final, prevista para o Maracanã. O sorteio dos grupos será em 24 de janeiro. Participarão Brasil, Argentina, Chile, Equador, Colômbia, Uruguai, Peru, Bolívia, Venezuela, Paraguai e os convidados Japão e Catar.

Já confirmadas para o Mineirão, Uruguai e Argentina têm laços fortes com o estádio. A Seleção Uruguaia foi a primeira a pisar no gramado de Belo Horizonte. Em 7 de setembro de 1965, fez uma das partidas que marcavam a inauguração, dois dias depois de a Seleção Mineira vencer o River Plate por 1 a 0. Perdeu por 3 a 0 para o Palmeiras, que usou a camisa da Seleção Brasileira.

Na temporada seguinte, os uruguaios retornariam, desta vez para um amistoso com o Atlético. Foram derrotados por 3 a 2 diante de 7.156 torcedores – gols de Roberto Mauro (2) e Bougleux, com Langow e Elizeu Álvarez descontando. Os uruguaios voltariam ao Mineirão 47 anos depois. Dessa vez num estádio reformado, com 57.483 pessoas presentes. Mais uma vez batidos. Pela Copa das Confederações, enfrentaram o Brasil na semifinal, perdendo por 2 a 1, gols de Fred e Paulinho, contra um de Cavani. Na Copa de 2014, embora não tenha atuado no Gigante da Pampulha, o Uruguai esteve por perto, fazendo de Sete Lagoas, a 70 quilômetros, sua base.

JOGOS MARCANTES A Seleção Argentina tem um histórico maior de partidas no Mineirão. Foram seis, cinco delas contra o Brasil, cujo confronto jamais venceu em BH. Seu único triunfo ocorreria somente na Copa do Mundo, diante do Irã, com Messi marcando um golaço: 1 a 0. Pisou pela primeira vez na capital mineira em 1968, num amistoso contra a Amarelinha. Os hermanos foram batidos por 3 a 2.

Contra os argentinos há confrontos marcantes, como o 3 a 1 das Eliminatórias Sul-Americanas de 2004, com Ronaldo Fenômeno fazendo três gols em penalidades. Ou o de 2008, num 0 a 0 melancólico, em que Dunga foi severamente vaiado pela torcida. Mais recente, o 3 a 0 de 2016 marca uma performance envolvente da equipe comandada por Neymar, superando a de Messi por 3 a 1. Além disso, coroava a recuperação verde-amarela, no quinto compromisso dirigido por Tite.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade