Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Caminho sem sustos

Cruzeiro cai em chave com adversários sem tradição, enquanto Atlético enfrentará o Danubio no primeiro duelo pré-Libertadores. Internacional fica no grupo do campeão


postado em 18/12/2018 05:03

Sorteio que definiu os confrontos foi realizado na sede da Conmebol, no Paraguai: o Galo estreará em fevereiro, e a Raposa, em março(foto: NORBERTO DUARTE/AFP)
Sorteio que definiu os confrontos foi realizado na sede da Conmebol, no Paraguai: o Galo estreará em fevereiro, e a Raposa, em março (foto: NORBERTO DUARTE/AFP)


Se a teoria prevalecer, Cruzeiro e Atlético podem festejar seus caminhos a partir do sorteio de ontem da Copa Libertadores de 2019, na esperança de trazer o título mais cobiçado do continente para Minas. Com a árdua tarefa de disputar duas fases preliminares antes de chegar à etapa de grupos, o Galo terá pela frente o Danubio-URU, com o direito de decidir o confronto de volta em Belo Horizonte. Já a Raposa, cabeça de chave do Grupo B, vai encarar adversários sem tanta tradição na América do Sul: Emelec-EQU, Huracán-ARG e Deportivo Lara-VEN.

A edição de 2019 será a primeira em que a final terá jogo único, já definida para o Estádio Nacional de Santiago, no Chile, em 23 de novembro. Para deixar a competição mais atrativa do ponto de vista financeiro, a Conmebol reforçará a premiação às equipes. O próximo campeão poderá arrecadar até R$ 90 milhões, mais que o dobro do que levou o River Plate, atual vencedor, em 2018 (R$ 40 milhões).

Depois de enfrentar dois campeões (Racing e Vasco) logo de cara em 2018, os celestes terão mais sorte na próxima temporada, já que nenhum dos seus rivais jamais construiu sólida campanha no torneio. Um dos adversários que prometem dar trabalho, o Huracán é um velho conhecido do torcedor cruzeirense. Em 2015,na fase inicial, os mineiros empataram por 0 a 0 com os argentinos no Mineirão e perderam por 3 a 1 em Buenos Aires.

O supervisor administrativo, Benecy Queiroz, que representou o clube no sorteio no Paraguai, avaliou com bons olhos o começo da caminhada celeste: “Toda fase na Libertadores tem o lado positivo e o negativo. A dificuldade maior é a viagem à Venezuela. Temos de montar estrutura especial. Mas estamos muito preparados. O objetivo da diretoria é que possamos fazer melhor campanha que neste ano. Tivemos um bom desempenho, apesar dos problemas com arbitragem, mas temos um grupo unido. Temos condição de atingir nosso objetivo”. A estreia do Cruzeiro está programada para 5, 6 ou 7 de março, contra adversário indefinido. A Conmebol divulgará nos próximos dias a tabela completa da primeira fase.

Enquanto as equipes que disputam a etapa de grupos terão mais tempo para estudar seus adversários, a trajetória do Atlético começará logo no início do ano que vem, com duelos de ida programados para 5, 6 e 7 de fevereiro e os de volta para 12, 13 e 14. Se passar pelo Danubio, o Galo será obrigado a travar outro duelo de mata-mata – que sairá do confronto entre um representante boliviano e o Defensor-URU contra Barcelona-EQU – até finalmente chegar ao Grupo E, que já conta com o Nacional-URU, Cerro Porteño-PAR e Zamora-VEN. Outro brasileiro que passará pela pré-Libertadores é o São Paulo. Encara o Talleres-ARG em seu primeiro compromisso. Se superar também a fase seguinte, o tricolor cairá no grupo com o campeão de 2018, River Plate-ARG, Internacional e Alianza Lima-PER, que aí promete ser o “da morte”.

Um dos representantes do Galo no sorteio em Luque, o diretor de futebol Marques demonstra cautela com relação ao adversário na estreia e prevê duro desafio contra os uruguaios. “Vemos a dificuldade natural da competição. Pegaremos um time uruguaio de cara. São equipes aguerridas, que jogam como se fosse o último jogo de suas vidas. Como brasileiros, temos de nos acostumar a jogar esse tipo de partida na entrega, como jogam as equipes sul-americanas. Mas estou confiante. Estamos nos mexendo no mercado para estrear bem nessa competição, que é importante para nós”, afirmou, acenando com reforços pontuais.

Curiosamente, desde que se tornou assíduo na Libertadores (a partir de 2013), é a primeira vez que o Galo vai ao Uruguai jogar pela competição. O time alvinegro enfrentou o Danubio uma única vez, em 1975, e goleou por 4 a 0 num amistoso no Mineirão.

VIDAS TRANQUILAS Diferentemente de Inter e São Paulo, outras equipes brasileiras terão vidas mais tranquilas nesta Libertadores. Cabeça de chave do Grupo G, o Palmeiras terá pela frente San Lorenzo, Junior Barranquilla e Tolima. Já o Grêmio, no H, enfrentará Universidad Católica, Rosario Central e outro rival que sairá da fase preliminar (um deles é o Atlético Nacional, campeão de 2016). O Flamengo está no Grupo D, ao lado de Penãrol, LDU e um representante boliviano. E o Athlético-PR, campeão da Sul-Americana, vai enfrentar o Boca Juniors, Jorge Wilstermann e um rival que também sairá dos mata-matas iniciais.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade